Menu
Busca quinta, 03 de dezembro de 2020
(67) 99659-5905
SAÚDE & BEM - ESTAR

Rindo por fora, chorando por dentro - o que te impede de buscar ajuda de um psicólogo?

21 novembro 2020 - 07h00Por Uisney Gomes Portella

Estamos vivos! Sei que você não tem dúvida disso. Permita-me, no entanto, apresentar dois argumentos que comprovam essa afirmação. O primeiro deles é a capacidade que temos de interagir com o ambiente, sentir perfumes, contemplar paisagens, fazer planos. A segunda é termos problemas! É isso mesmo, problemas! Você conhece alguma pessoa viva que não os tenha? Eu não. Parece pessimismo, mas não é. A vida nos exige a capacidade de adaptação, desde o início dos tempos. Viver é a busca constante por assumir o controle de nossa própria existência. Por outro lado, nem tudo está sob nosso controle, é a partir daí que surgem os famosos problemas. Acredite, todos nós temos problemas!

A constatação de que nem sempre “estamos no controle” movimenta a nossa condição humana. Acha exagero? Pergunte a um estudante que prestará vestibular para um curso concorrido, para a mulher que tenta engravidar e não consegue ou, ainda, para aquela pessoa que estava “vendendo saúde”, nos grupos de pedalada de dourados e foi diagnosticada com câncer. Certamente elas dirão que gostariam de estar no controle. Concorda? Diante disso, os mais críticos dirão que estou sugerindo que viver não vale a pena! Agradeço a crítica, mas digo que se trata exatamente do oposto: viver é maravilhoso!

Viver um personagem. É sobre isso que venho falar hoje com vocês. Fingir que está tudo bem, quando, na verdade, não está! Posar de forte, quando, na verdade, a necessidade é de um abraço! Rir por fora, chorando por dentro! Essa é uma “farsa” que tem consumido milhões de seres humanos em seus próprios personagens. A saúde mental começa quando conseguimos ser o que somos, sem máscaras. Não há nada mais démodé do que dizer que não precisamos de ajuda, que conseguimos resolver nossas questões emocionais sozinhos.

“Coringa” – Produção Warner Bros. Filmes 

Nada melhor para ilustrar do que o icônico personagem “Coringa”. A risada patológica que escondia um interior devastado. Não precisamos viver como personagens. A ajuda de um psicólogo é fundamental! Pena que ainda existe muito preconceito e resistência em se buscar essa ajuda. Nesta matéria falarei sobre isso. O que te impede de buscar ajuda de um psicólogo? Após ler o texto, o convite que faço é para que reflita sobre como você está de fato, por dentro, onde ninguém consegue ver. Vamos lá?

“PSICÓLOGO É COISA PARA MALUCO”

Historicamente esse é um dos mitos que mais impede a busca por ajuda de um psicólogo. Coitada da pessoa que fosse flagrada saindo de um consultório de psicologia. O comentário seria “fulano de tal está ficando maluco, ele estava saindo do psicólogo”. Ainda pagamos um preço muito alto devido ao medo, e resistência, que se estabeleceu em relação ao trabalho do psicólogo. Diante disso podemos constatar que há uma injustiça cultural em relação à saúde mental. 

Longe de ser uma “coisa para maluco” a psicologia é uma ciência que evoluiu muito. A capacidade técnica de entender o contexto no qual as pessoas estão inseridas, proporcionando autoconhecimento e autossuporte é incontestável. Pensemos na atualidade. Qual a incidência de fatores estressores na sociedade? Podemos elencar alguns: trânsito conturbado, custo de vida elevado, violência urbana, insegurança no emprego, riscos à saúde, dentre outros tantos. Agora imagine-se há 50 anos. Claro que não havia as comodidades como internet, por exemplo, mas o ritmo de vida era muito menos demandante. O término do expediente era, realmente, o término do expediente, já que não havia “whatsapp”.

Sinceramente, em qual dos cenários haveria maior necessidade de ajuda psicológica, hoje ou há 50 anos? Aposto minhas fichas que a resposta é hoje! Afinal, houve considerável aumento no número de fatores estressores, em relação a cinco décadas. Com isso, ser “flagrado” saindo do psicólogo era motivo de alarde. Hoje, a realidade é outra. Buscar ajuda profissional é valorizar e investir em nossa saúde mental. Não siga a máxima de que psicólogo é coisa para maluco. Antes, dispa-se de preconceitos e busque ajuda. Isso é um ato de coragem e não de fraqueza. Lembre-se: a saúde mental é tão importante quanto a saúde física. 

TENHO OUTRAS FORMAS DE CONSEGUIR AJUDA!

Inegavelmente a pós-modernidade trouxe benefícios tais como as redes sociais, elevada velocidade de informação, internet, dentre outros “mimos”. Por outro lado, “tudo tem seu preço” e as exigências do atual estilo de vida são altas. Na maioria das vezes, esse preço nos é cobrado através de estresse, depressão e ansiedade. Em matéria recente, o site R7.com, publicou o levantamento do IBGE que identificou um aumento de 34% no número de brasileiros diagnosticados com depressão. Em 2015, no Brasil, o número de casos era cerca de 11,5 milhões. Hoje são mais de 16,3 milhões. Não precisa ser muito bom em matemática para constatar que algo anda muito errado. 

A pós-modernidade se adaptou ao problema que ela mesma criou. Como assim? É verdade, eu explico. Basta você pesquisar num site de buscas o termo “autoajuda”. Após os resultados...é só servir-se à vontade! Há respostas para quase tudo. “X-1. π passos para ser bem-sucedido”, “como viver uma vida feliz”, dentre tantas outras “soluções prontas” que esquecem do principal: as pessoas possuem realidades diferentes, o que funciona para uma pode não funcionar para outra! Somos bilhões de seres humanos e cada um de nós possui uma história de vida que nos individualiza. NÃO SOMOS PRODUÇÃO EM SÉRIE! Logo, autoajuda em massa é uma tentativa bastante lucrativa de recall da humanidade.

Os adeptos da autoajuda que me perdoem, mas a experiência mostra que ao final desse processo de “busca por respostas”, as pessoas ficam exaustas, perdidas, sem saber quem de fato são. Arrisco a dizer que surgem mais perguntas do que respostas. Sua história é única. Seus desejos e necessidades também, simplesmente porque são seus! “Terceirizar” suas experiências são desistir de entendê-las e promover o autoconhecimento. Essa sede pós-moderna por soluções rápidas e prontas, é outro fator que afasta as pessoas da busca por ajuda profissional. 

A terapia com um psicólogo possui o benefício da “exclusividade”. O atendimento é com a pessoa e voltado exclusivamente para ela. Ou seja, a escuta qualificada, técnica e sem julgamentos do psicólogo proporciona acolhimento ao paciente. Respeito sua liberdade de dizer “tenho outras formas de conseguir ajuda”, mas seria interessante experimentar as possibilidades da terapia. Fica a dica!

EXISTEM OUTRAS COISAS MAIS IMPORTANTES QUE A SAÚDE MENTAL

Você alcançou seus objetivos em sua vida? Essa pergunta pode trazer certo desconforto, uma vez que a gama de “objetivos” é muito ampla. Para alguns, pode ser uma realização profissional, para outros a estabilidade financeira, há quem diga que seu objetivo era encontrar o grande amor de sua vida, ter filhos, enfim, como falei, as possibilidades vão aos milhões. Por outro lado, não é sobre isso que desejo falar. Minha intenção é perguntar: o quanto você está saudável para usufruir de seus objetivos? Após batalhar por anos, décadas, como você está para gozar de suas recompensas? Alguns dirão que atingiram seus objetivos com saúde física por isso, estão em plenas condições de aproveitar a vida. Outros, menos afortunados, dirão que gostariam de novas oportunidades de cuidarem melhor de sua saúde.

Quando falamos em saúde, pensamos num corpo forte, resistente a doenças e capaz de se recuperar das inevitáveis lesões do cotidiano. Contudo, saúde não é só o físico. Temos nossa mente para cuidar. A rotina pesada faz com que esqueçamos dessa importante parte de nós. Um incomodo físico, dependendo da intensidade, nos desperta o desejo de ajuda médica, medicamentos, enfim, tudo que nos ajude a sarar. Com a saúde mental não é bem assim. Passamos anos de nossas vidas “varrendo a sujeira para baixo do tapete”. Afinal, “existem outras coisas mais importantes que a saúde mental”. Digo a você que esse equívoco é um dos maiores responsáveis pela incapacidade funcional por conseguinte, de usufruirmos daquilo que levamos uma vida inteira para conquistar.

Crédito:https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2016/08/20/preguica-de-limpar-a-casa-manual-traz-dicas-pra-facilitar-a-faxina.htm

Desconsiderar a importância da saúde mental é mais um fator que impede pessoas de buscarem ajuda de um psicólogo. Investir em saúde mental é uma “poupança” que rende dividendos por toda a vida. Melhora nos relacionamentos familiares, afetivos, controle da ansiedade, autoconhecimento, são alguns dos benefícios advindos desse investimento. Numa visão imediatista e tacanha, pode parecer “dinheiro jogado fora”. Afinal, há outras formas prazerosas de gastar o dinheiro suado. Enquanto isso, aquela emoção que consome, a angústia que só aumenta, a ansiedade que digere a qualidade de vida, tudo isso vai se avolumando, até que o “tapete” não consegue mais esconder esse entulho emocional. 

A saúde é o bem mais importante! Sem saúde os relacionamentos perdem a intensidade, as paisagens perdem suas cores, a cervejinha gelada já não “desce redondo”. Nesse momento é que surge uma palavra muito pesada e difícil de se conviver: arrependimento. Imaginar que negligenciou sua saúde mental é altamente corrosivo. Valorize sua saúde mental! Ela é tão importante quanto sua saúde física!

A INDÚSTRIA DO BEM-ESTAR: A APARÊNCIA DE QUE VAI “TUDO BEM”

Você já parou para contemplar o reino das redes sociais? Não? Existe uma certa magia nesse reino que deixa todo mundo feliz. Somente sorrisos, paisagens maravilhosas, todo mundo realizado. Ninguém vai para rede social mostrar suas fraquezas, angústias, quem de fato é, quando deita a cabeça no travesseiro. Vivemos o culto da perfeição. Sorrisos, corpos, cenários perfeitos. O problema é que SOMOS REAIS! Somos impulsionados a mostrar nosso melhor ângulo, ainda que ele seja mero jogo de câmera. Nossas mazelas, essas fazemos questão de esconder, como se vivêssemos na pele de personagens que não somos nós. 

Estamos atolados até o pescoço na indústria do bem-estar. É proibido demonstrar fraqueza. A beleza é ditada com regras cada vez mais rígidas. Quem não se enquadra, “se estrumbica”. Para pertencer é fundamental a “aparência de que vai tudo bem”. Algo aconteceu na filogênese e ontogênese humanas, pois, o contexto atual só admite os midiáticos fortes e sorridentes. A essência humana foi deslocada para uma espécie de Olimpo, com deuses e deusas que se recusam a admitir algum tipo de sofrimento HUMANO. Será que somos divindades? Prefiro acreditar na velha máxima: não somos obrigados a estarmos bem todos os dias! Não há nada mais humano que isso. 

A necessidade de demonstrar que tudo vai bem é outro fator que distancia as pessoas do atendimento psicológico. A terapia é para pessoas corajosas, que reconhecem suas necessidades e sabem de seu potencial. Sabem que podem ir “além de”. Explico. Além da dor, além da angústia, além da tristeza que consome as entranhas. Terapia é o caminho para o autoconhecimento. Para corroborar essa importância, peço vênia aos gregos antigos, para citar a frase do Pórtico de Delfos: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses”. 

PSICOTERAPIA: UM UNIVERSO DE POSSIBILIDADES

A mente humana é inquietantemente encantadora! Não há como um ser humano saudável deixar de “conviver” com sua mente. Ela é a companheira que nos acompanha diuturnamente. Com uma relação tão intensa, por vezes é necessária uma “DR”, para que o convívio volte a ser o mais harmônico possível. A psicoterapia é a ferramenta que possibilita essa “DR” com qualidade e crescimento pessoal. É importante ressaltar que a teoria psicológica se molda a cada paciente que atendo. Afinal, cada pessoa é única em suas experiências. Não há Recall no consultório. Isto é apaixonante!

Cada paciente merece ser tratado com respeito e atenção, pois, é uma história de vida única, repleta de sentimentos e desejos. Busco fazer da minha profissão um porto seguro, que forneça acolhimento e ajuda para pessoas que buscam atendimento psicológico. Muitas vezes já experimentei os benefícios do acolhimento. Uma delas, faço questão de citar. Durante a formação acadêmica, minha filha mais nova passou por um grave problema de saúde. Pensei em parar a faculdade. No entanto, recebi o apoio da querida professora Regina Basso Zanon. Ela foi, antes de mais nada, terapeuta. Aquele apoio me fez seguir adiante. Ela me ajudou a ser um ser humano melhor e, com isso, um psicólogo melhor. Meus sinceros agradecimentos, professora!

Acredito na psicoterapia. Acredito em possibilidades que se descortinam a partir do autoconhecimento. Varrer entulho emocional para baixo do tapete pode ser uma solução, mas é temporária. É somente fortalecer o problema. É importante romper com preconceitos. Psicoterapia não é “coisa para maluco”, é coisa para pessoas corajosas, que desejam autoconhecimento, qualidade de vida e melhores relacionamentos, quer profissionais, quer familiares e afetivos. Quanto mais se investe na saúde mental, mais frutos de uma vida equilibrada são colhidos. Reflita sobre isso! Busque ajuda profissional. Não há nada perdido! Lute por você. Lute por quem você ama. Viver é um dom! Viver bem é uma possibilidade mais próxima do que se imagina! Agende sua sessão de terapia. Aguardo seu contato.

Telefone: (67) 99660-8147

Facebook: Uisney G. Portella Psicólogo

https://uisneypsico.com.br

Rua Toshinobu Katayama 1350, Sala 7, Galeria Planalto, Vila Planalto, Dourados - MS

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cinco pessoas são presas por tráfico durante operação da Polícia Civil
GUIA LOPES E JARDIM
Cinco pessoas são presas por tráfico durante operação da Polícia Civil
Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
BRASIL
Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
Adolescente grávida é apreendida com crack escondido em roupa de bebê
PONTA PORÃ
Adolescente grávida é apreendida com crack escondido em roupa de bebê
LEGISLATIVO DE MS
Seis propostas do Executivo passam a tramitar na Assembleia Legislativa
R$ 300 MILHÕES
Apostas para Mega da Virada continuam em todo o país
42 VÍTIMAS EM 2020
Mato Grosso do Sul não registra óbito por dengue há três meses
IMPOSTO
Detran publica calendário de licenciamento anual e alerta sobre extinção do modelo antigo em 2021
ECONOMIA
Governo apresentará meta de déficit para 2021, diz Guedes
OPERAÇÃO STATUS
MPF quer quebra de sigilo de processo que investiga 'ostentação do tráfico'
PROSSEGUIR
Dourados completa um mês no 'vermelho' em mapa da Covid e Naviraí atinge 'risco extremo'

Mais Lidas

PANDEMIA
Casos de coronavírus levam fechamento de três agências bancárias em Dourados
POLÍCIA
Homem é encontrado morto em ponte próximo à Vila Cachoeirinha 
MAUS TRATOS
Mãe é denunciada após apagar cigarro na mão da filha em Dourados
CAARAPÓ
Jovem que matou companheira com mata-leão é autuado em flagrante por homicídio doloso