Menu
Busca domingo, 24 de outubro de 2021
(67) 99257-3397

Planos de saúde terão de cobrir cem novos procedimentos

24 março 2008 - 13h13

A partir do dia 2 de abri, já na semana que vem, 26 milhões de brasileiros que têm plano de saúde terão direito a cirurgias e tratamentos que hoje não são cobertos. As mudanças - cerca de cem novos procedimentos - valem para todos os planos contratados a partir de 1999.

As empresas serão obrigadas a oferecer cirurgias com o uso de videolaparoscopia, além do chamado autotransplante de medula óssea e de procedimentos como vasectomia e laqueadura. Também passam a ser cobertos o fornecimento e colocação de DIU, exames de DNA para tratamento de doenças genéticas e a mamografia digital.

O segurado ainda terá direito a uma sessão por mês com psicólogo e seis por ano com
fonoaudiólogo, nutricionista e terapeuta ocupacional. Daniela Trettel, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), diz que a mudança vai ajudar o consumidor, mas que muitos procedimentos ainda estão de fora.

Consumidor
Por oito anos seguidos, as empresas de plano de saúde foram o maior alvo de queixas no Idec. E os clientes vão ter que continuar de olho pra ver se os planos vão cumprir os novos procedimentos médicos que passam a ser obrigatórios no mês que vem.

São casos como o da família de Adelina Alves de Jesus, de 76 anos, que tem o plano de saúde pago pelas filhas, mas enfrentou problemas na hora em que precisaram de tratamento.

Dona Adelina precisava operar o fígado. Só que o plano se recusou a cobrir o material cirúrgico. A família teve que se responsabilizar pela dívida de quase R$ 2 mil. "Não tinha escapatória, tinha que pagar. A gente não pensa duas vezes, (a gente) assina”, diz a manicure Ivanilde Alves Silveira, filha de Adelina.

A doença do administrador de empresas Manoel Carodoso - grave e progressiva, segundo os médicos - é uma espécie de reumatismo na coluna. Quando fez o plano de saúde, ele declarou que sofria do problema. Cumpriu dois anos de carência. Agora, não consegue o tratamento.

"E sou dependente desse medicamento, sem ele eu sinto dor na coluna, na lombar, mais especificamente”, diz Cardoso.

Custos
A Associação Brasileira de Medicina em Grupo (Abramge) informou que pediu nesta segunda-feira (24), na Justiça Federal, a suspensão das novas regras dos planos de saúde. Segundo a Abramge, as mudanças vão aumentar em até 10% o valor da mensalidade.

Já a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informou que a ampliação da cobertura não pode representar repasse de custos para os beneficiários.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TST considera fraudulento contrato de jogador e reconhece natureza salarial do direito de imagem
BRASIL
TST considera fraudulento contrato de jogador e reconhece natureza salarial do direito de imagem
LAVA JATO
Justiça Eleitoral vai julgar ação sobre empréstimo de R$ 12 milhões ao banco Schahin
MUNDO
Biden e Macron discutem defesa europeia e se reunirão em Roma
Jovem é autuado pela PMA por maus-tratos a uma cadela Pit Bull
MS
Jovem é autuado pela PMA por maus-tratos a uma cadela Pit Bull
Ministra Cármen Lúcia suspende reintegração de posse em Rondônia
STF
Ministra Cármen Lúcia suspende reintegração de posse em Rondônia
RIO MIRANDA
Catarinenses são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória em Bonito
JUDICIÁRIO
STJ define retorno de sessões presenciais para fevereiro de 2022 e dia de eleição para ministros
CAPITAL
Presidente do TJMS recebe medalhão comemorativo aos 100 anos da Justiça Militar
ROTINA
Trabalho híbrido pode piorar qualidade do sono, diz pesquisador
DOURADOS
Estado licitará na próxima semana R$ 20 milhões para revitalizar Coronel Ponciano

Mais Lidas

PRESIDENTE VARGAS
Escola dispensa alunos em Dourados após mensagens de ameaças
CÁRCERE PRIVADO
Tentativa de sequestro a criança termina com jovem preso em Dourados
DOURADOS
Print tirado de conversa entre alunos resultou em mal-entendido e levou pânico a escola
DOURADOS
Homem é removido de grupo de whats e procura a delegacia