Menu
Busca quarta, 16 de junho de 2021
(67) 99257-3397
SAÚDE & BEM-ESTAR

O Hospital dos Olhos Dourados orienta como manter o controle da retinopatia diabética

09 junho 2021 - 09h06Por Publicidade

A retinopatia diabética é uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos dos olhos, em decorrência do diabetes. E ocorre quando o excesso de glicose no sangue danifica os vasos sanguíneos dentro da retina, caso o paciente não busque tratamento, a visão pode ficar seriamente comprometida. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), o problema é responsável por 4,8% dos 37 milhões de casos de cegueira devido a doenças oculares em todo o mundo, isto é, cerca de 1,8 milhão de pessoas. 

Dados do Atlas IDF 2017 apontam que a proporção de cegueira causada por retinopatia diabética varia entre 0-1% na África, 3-7% em grande parte do Sudeste da Ásia e 15-17% nas regiões mais ricas das Américas e Europa. Pelo menos 425 milhões de pessoas em todo o mundo têm diabetes. A previsão é que o número de portadores da doença cresça em 50% até 2045, alcançando a marca de 629 milhões. 

A retina é um tecido localizado na parte posterior do olho, responsável por transformar o estímulo luminoso em estímulo nervoso que é, então, enviado para o cérebro, onde se forma a imagem. A alta concentração de glicose no sangue - como ocorre no diabetes - causa alterações na estrutura dos vasos sanguíneos da retina. Com o tempo, essas alterações podem provocar o rompimento desses vasos, com liberação de sangue e fluidos que podem interferir diretamente na visão. 

Existem duas formas de retinopatia diabética: não proliferativa e proliferativa. Na retinopatia não proliferativa, podem haver dilatações e obstruções nos vasos que alimentam a retina com nutrientes e oxigênio, e até mesmo hemorragias, mas ainda é a forma mais leve da doença. Já o segundo caso surge quando a doença dos vasos sanguíneos da retina progride, ocasionando a proliferação de novos vasos anormais, chamados “neovasos”. 

O mais importante é manter o diabetes sob controle, por meio de alimentação balanceada, medicação recomendada, controle da glicose e da pressão arterial. Isso diminuirá as chances de complicações na visão. Além disso, é obrigatório que pacientes diabéticos realizem acompanhamento oftalmológico periódico, para detectar qualquer alteração.

Os sintomas da retinopatia diabética são progressivos e lentos, o que faz com que, em muitos casos, a doença seja descoberta apenas em estágios mais avançados. O primeiro sinal é visão embaçada, seguida de manchas turvas no campo visual. Aos poucos, a visão começa a ficar cada vez mais turva, podendo caminhar para uma hemorragia nos vasos sanguíneos dos olhos.

Além do diabetes, outros fatores contribuem para o surgimento e agravamento da doença. Segundo o CBO, existem estudos clínicos que comprovam que o bom controle do diabetes, da hipertensão, da dislipidemia e do tabagismo reduz significativamente o risco de desenvolvimento da enfermidade ocular. 

Ainda conforme orientações do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, o tratamento da retinopatia diabética deve ser realizado por oftalmologistas especializados em retina e vítreo. Para um serviço eficaz de prevenção e tratamento, é necessária a disponibilização de serviços médicos adequados e a forte colaboração do paciente ao tratamento. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), quando o tratamento é feito precocemente, 95% dos pacientes conseguem recuperar completamente a visão. Em casos mais graves, é preciso recorrer ao tratamento a laser, que coagula algumas partes da retina e tratamentos com medicações intravítreas de antiangiogênicos e corticoides. Em último caso, quando há hemorragia ou descolamento da retina, é realizada a cirurgia de vitrectomia posterior, que pode reverter parcialmente a visão.

As recomendações da SBRV para detecção da doença são as seguintes: exame de fundo de olho, oftalmoscopia indireta e biomicrospia da retina. Para o acompanhamento dos casos, a sugestão é manter o controle glicêmico, pressórico e lipídico. Em pacientes diabéticos, o acompanhamento oftalmológico deve ser programado e rigorosamente cumprido, a fim de que a retinopatia seja tratada de maneira correta e antes que surjam sequelas irreversíveis. Frequentemente, mesmo pacientes com retinopatia diabética proliferativa grave podem ser assintomáticos em alguma fase da doença, sendo fundamental que sejam feitas avaliações oftalmológicas periódicas.

O Hospital dos Olhos Dourados disponibiliza aos seus pacientes uma das mais modernas estruturas oftalmológicas do Brasil e uma equipe de retina e vítreo pronta a lhe atender. Investimos cada dia mais em novas tecnologias para a realização de consultas, exames e cirurgias oculares, diminuindo distâncias e aumentando as possibilidades e soluções em saúde, tornando a cidade de Dourados uma referência em saúde ocular para toda a região.
 
Há 6 anos, o nosso maior presente é cuidar de você e de quem você ama.
 
Fonte: Revista Veja Bem, Edição 26, pág. 16.
Com edição do Dr Daniel Nogueira, CRM-MS 5728.
Responsável Técnico: Dr. Daniel Nogueira CRM-MS 5728 / RQE Nº 3333
(67) 3033-9292 / Rua Melvin Jones, 1190, Dourados-MS | Instagram: @hospitaldosolhosdourados | Facebook: hospitaldosolhosdourados | www.hospitaldosolhosdourados.com.br

Deixe seu Comentário

Leia Também

Veículo é apreendido com mercadorias de contrabando e descaminho
REGIÃO
Veículo é apreendido com mercadorias de contrabando e descaminho
Todos os munícipios de MS já aplicaram mais de 90% das doses de vacinas recebidas
CORONAVÍRUS
Todos os munícipios de MS já aplicaram mais de 90% das doses de vacinas recebidas
LEGISLATIVO DE MS
Cinemas de MS deverão oferecer sessões mensais adaptadas
Celulares apreendidos em presídios já foram doados a mais de 2 mil alunos de MS
EDUCAÇÃO
Celulares apreendidos em presídios já foram doados a mais de 2 mil alunos de MS
Caminhão de motorista vítima do "falso frete" passa por perícia
DOURADOS
Caminhão de motorista vítima do "falso frete" passa por perícia
CAMPO GRANDE
Homem agride esposa e ateia fogo nas roupas no dia do aniversário dela
LEGISLATIVO
Projeto de Marçal Filho quer omitir dados de clientes em cobranças
AEDES AEGYPTI
Mulher que morreu em março é confirmada 11ª vítima da dengue no ano em MS
PONTA PORÃ
Baleado em confronto com a polícia, traficante mentiu nome por ter mandado em aberto
PANDEMIA
MS registra mais 67 óbitos e quase 2 mil novos casos de coronavírus

Mais Lidas

DOURADOS
Adolescente morre atropelado na BR-163 e condutor foge do local
DOURADOS
Homem tem carro furtado depois de ir com quatro pessoas para motel na BR-463
DOURADOS
Adolescentes e jovem são levados para DP para esclarecer furto de carro em motel
DOURADOS
Após filas e aglomerações, secretário faz duras críticas à população