Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
(67) 99659-5905
BENEFÍCIO

SEDHAST suspende inscrições do Vale Universidade Indígena até dia 30

25 março 2020 - 18h50Por Da Redação

A Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira, dia 24 de março, resolução normativa que determina suspender até 30 de março o prazo de inscrição dos acadêmicos interessados em participar do Programa Vale Universidade Indígena (PVUI).

De acordo com a Resolução Normativa SEDHAST/MS nº 217, a suspensão ocorre em razão da pandemia mundial do COVID-19, declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), visando a prevenção do contágio da doença. A publicação prevê que não haverá prejuízo aos acadêmicos que já realizaram suas inscrições, que serão analisadas em tempo oportuno, juntamente com os demais inscritos.

O novo cronograma do PVUI será divulgado na Diário Oficial do Estado no dia 30 de abril de 2020.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Homem passa mal, mobiliza Bombeiros e Samu e morre a caminho de UPA
AVANÇO DA PANDEMIA
Brasil registra 1.086 mortes por Civid-19 em 24 horas e chega a 25.598
CAPITAL
Homem é encontrado na rua, vai para CTI e morre sem identificação
POLÍCIA
Golpes a beneficiários do auxílio emergencial continuam em Dourados
BRASIL
PGR pede suspensão de inquérito que apura divulgação de fake news
CAMPO GRANDE
Polícia procura por segundo envolvido em assalto a delegado
CARTÃO DE CRÉDITO
Polícia alerta para golpe aplicado em idosos em Dourados
JUSTIÇA
Corretor deve devolver sinal dado em negócio não concretizado
POLÍCIA
Garota de programa que levaria droga para capital é presa na MS-164
DOURADOS
Após brigar com a ex e decidir dormir na rua, homem é assaltado e agredido

Mais Lidas

DOURADOS
Prefeitura estende toque de recolher em 2h em Dourados
PANDEMIA
Dourados tem mais de 150 casos de Covid-19 e secretário diz ser assustadora a crescente na região
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher