Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
POLÍTICA

MP 905 é tema reunião entre Reinaldo Azambuja e procurador-geral do MPT

20 janeiro 2020 - 21h20Por Da Redação

O procurador-geral do Trabalho, Alberto Balazeiro, reuniu-se na tarde desta segunda-feira, dia 20 de janeiro, com o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (‎PSDB), para alertar a respeito de profundos retrocessos no espectro trabalhista se a Medida Provisória nº 905/2019, que cria o chamado Contrato Verde e Amarelo, for confirmada pelo Congresso Nacional e se tornar lei.     

Segundo Balazeiro, a Medida Provisória foi instituída pelo Governo Federal para estimular a absorção de jovens entre 18 e 29 anos pelo mercado formal. Porém, promove muitas mudanças nas relações laborais que ultrapassam essa finalidade. Do conjunto de 53 artigos que integram a norma, apenas 19, na análise do procurador-geral do Trabalho, tratam de medidas aptas a fomentar a empregabilidade. Os demais subtraem importantes direitos sociais já alcançados, enfraquecem o papel das entidades sindicais, interferem e dificultam a atuação de instituições como o Ministério Público do Trabalho e criam insegurança jurídica nas relações laborais.

A pauta do encontro chamou atenção para dois pontos da Medida Provisória nº 905, considerados tanto por Balazeiro quanto por Azambuja como deletérios ao fortalecimento estrutural dos estados: a mudança na destinação de indenizações trabalhistas de projetos locais para a Conta Única do Tesouro Nacional e a limitação do tempo de validade dos termos de ajustamento de conduta ao prazo máximo de dois anos, renovável por igual período desde que fundamentado por relatório técnico.

Hoje, a Lei de Ação Civil Pública (nº 7.347/1985) prevê que danos causados por empresas devem ser reparados no local onde a companhia multada atua, beneficiando diretamente a comunidade lesada pelo descumprimento da legislação trabalhista. “Quando o recurso vai para o Tesouro, a aplicação é difusa. Isso viola o objetivo dos acordos firmados com as empresas, que é ofertar uma contrapartida à comunidade prejudicada”, justifica Alberto Balazeiro, em tom crítico.

Ainda sobre a questão, o governador Reinaldo Azambuja lembrou que o Estado de Mato Grosso do Sul recebeu, nos últimos anos, diversas reversões de valores resultantes de multas previstas em ações e acordos trabalhistas, que permitiram o aparelhamento de órgãos como Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros. “Vamos fazer um trabalho junto à bancada de Mato Grosso do Sul, para mostrar aquilo que entendemos que é prejudicial aos convênios que temos feito com o Ministério Público do Trabalho”, assegurou.

Também participaram do encontro, que ocorreu na capital Campo Grande, a procuradora-chefe do MPT-MS, Cândice Gabriela Arosio, o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região, Nery Sá e Silva de Azambuja, e a procuradora do Trabalho Simone Beatriz Assis de Resende.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTEBOL
Copa do Brasil: dois jogos definem primeiros classificados às oitavas
TRÁFICO DE DROGAS
Ao fugir de abordagem, condutor capota veículo abarrotado de drogas
ECONOMIA
Dia das Crianças deve movimentar R$ 9,3 mi em Dourados e superar 2019
PARAGUAI
Rede de hipermercado demite 700 funcionários devido ao fechamento da fronteira
IVINHEMA
Detran suspende atendimento em mais uma agência por suspeita de Covid-19 em servidor
PANDEMIA
Onevan de Matos testa positivo e é o quarto deputado a contrair coronavírus
DOURADOS
Igreja deve receber de volta R$ 96 mil pagos em IPTU
POLÍCIA
Veículo tomado em golpe do falso depósito é recuperado em Dourados
RIO BRILHANTE
Dupla é presa transportando drogas na BR-163
INFORME PUBLICITÁRIO
Chave na Mão: Dalfort Construtora entrega sua casa pronta com o pagamento da mão de obra facilitado

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita