Menu
Busca quinta, 22 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
DESBLOQUEIO

Justiça homologa acordo entre JBS e CPI da Assembleia Legislativa

26 outubro 2017 - 06h26Por Da Redação

Nesta quarta-feira, dia 25 de outubro, foi homologado pela 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, o acordo celebrado entre a empresa JBS e a Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, liberando assim valores bloqueados, via Bacenjud, e determinando a liberação da indisponibilidade de bens imóveis efetuada por meio da Central Nacional de Indisponibilidade de Bens. O processo foi ainda suspenso, por convenção das partes, pelo prazo de 120 dias, com base no art. 313, inciso II, do CPC.

O pedido para que a justiça de Mato Grosso do Sul homologasse o acordo foi protocolado na terça-feira (24). Pelo acordo, as partes pactuaram a liberação e o consequente levantamento imediato do bloqueio de dinheiro e de imóveis. Como contrapartida, a JBS oferece em garantia cinco imóveis, que somados tem um valor estimado de R$ 756.014.986,00.

Além disto, ficou pactuado que esta garantia, de mais de R$ 700 milhões, não implica reconhecimento de débito no valor apontado na ação, que pode ser menor ou maior, mas tem por objetivo viabilizar o retorno das atividades da empresa.

Cumpridas as obrigações assumidas pela JBS, ficam automaticamente liberadas as garantias. A empresa também se compromete a retomar suas atividades imediatamente, bem como honrar os compromissos assumidos com seus colaboradores, fornecedores e produtores.

Outra cláusula do acordo suspende dois processos judiciais por 120 dias, para aguardar a apuração do valor devido pela JBS ao Estado de Mato Grosso do Sul pelo descumprimento dos TAREs, objeto do pedido inicial. Na hipótese de a empresa optar por parcelar eventual débito apurado pela Secretaria de Fazenda do Estado, aquela poderá realizar parcelamento administrativo ou enviar ao Juízo uma Proposta de Pagamento parcelado.

Na hipótese de a Secretaria de Fazenda não concluir a apuração do crédito no prazo de 120 dias, as partes informarão a dilação pelo tempo previsto necessário. Para tanto, não poderá ultrapassar este prazo, alterando-se, em consequência, por igual período, o marco inicial de todos os prazos mencionados no acordo.

Havendo o cumprimento das obrigações, qualquer das partes comunicará e comprovará ao juízo dos fatos, a fim de que o processo seja extinto.

O Executivo estadual se manifestou no acordo, a fim de evitar dano econômico e social, decorrente da paralisação das atividades empresariais da JBS, preservando os empregos, não se opondo ao acordo entabulado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Pix poderá ser usado para recolhimento do FGTS
PANDEMIA
Coronavírus matou 76 indígenas em Mato Grosso do Sul; 11 são de Dourados
MS
Volume de droga apreendido pelo DOF em 2020 já é quase três vezes maior que em 2019
LEGISLATIVO
Projeto de Lei visa incentivo ao trabalho no campo em MS
CRIME AMBIENTAL
Homem é autuado pela PMA por pesca predatória no rio Paraguai
FUTEBOL
Seleção brasileira permanece em terceiro no ranking da Fifa
UNIVERSIDADE PÚBLICA
Pandemia não impede formatura da primeira turma de medicina da Uems
POLÍTICA
Bolsonaro nomeia Kassio Nunes Marques como ministro do STF
SEM MUDANÇAS
Délia prorroga medidas contra a Covid por 2 semanas e mantém parques fechados e toque de recolher
DOURADOS
Construtora se exime de culpa por má sinalização em obra e diz que motorista foi imprudente

Mais Lidas

DOURADOS
Acidente entre carreta e motocicleta mata mulher na BR-163
HOMICÍDIO EM 2013
Condenada pela morte do ex em Dourados é presa na Capital
DOURADOS
Motorista bêbado causa acidente em semáforo da Avenida Marcelino Pires
DOURADOS
Carona de motociclista que morreu em acidente com carreta corre risco de ter perna amputada