Menu
Busca sábado, 28 de março de 2020
(67) 9860-3221

Conab diz que redução na estimativa de crescimento da safra deve-se a fatores climáticos

07 março 2013 - 12h40

A redução de 0,8% na estimativa de crescimento da safra 2012/2013 atualizada hoje (7) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) foi atribuída pela empresa às condições climáticas adversas no período da pesquisa, como o excesso de chuva na Região Centro-Oeste e a estiagem no Sul do país.

De acordo com a atualização divulgada pela estatal - o sexto levantamento para a atual temporada - a produção brasileira de grãos deve atingir 183,5 milhões de toneladas na safra 2012/13. A quantidade é 10,5% superior ao ciclo 2011/12, em que o país produziu 166,1 milhões de toneladas. No entanto, em relação ao último levantamento, a estimativa foi reduzida em 0,8%, quando foram estimados 184,9 milhões de toneladas.

Na avaliação do diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Silvio Porto, a queda é “localizada” e não deve ser uma tendência. “Em relação à soja, diria que há nível de segurança bem expressivo de que a queda está localizada na região do Nordeste, especialmente Maranhão, Piauí e Bahia”, explicou.

Segundo o diretor, outras regiões produtoras de soja não estão sendo afetadas. “Não temos problemas em relação ao Centro-Oeste e à Região Sul. O contexto nacional está bom. Em relação a primeira safra, devemos fechar número em relação ao que está sendo divulgado hoje”, disse.

Para a Conab, o aumento da produção nacional de grãos será puxado pela soja, carro-chefe do agronegócio brasileiro. A colheita desse grão deve crescer 23,6% em comparação com o ciclo 2011/12. A produção estimada é 66,3 milhões de toneladas. Na temporada passada, os agricultores brasileiros colheram 66,3 milhões de toneladas.

No caso do milho, a Conab prevê incremento de 5,5% na colheita, ante a produção de 34,7 milhões de toneladas na safra passada. A companhia estima que a produção de milho fique em 41,2 milhões de toneladas. O arroz é outro grão que obteve crescimento (3,9%) nas previsões, ao passar das 11,6 milhões de toneladas para 12 milhões de toneladas.

A estimativa total da área plantada é 52,9 milhões de hectares, com um crescimento de 4,1% em relação à safra 2010/11, quando atingiu 50,8 milhões de hectares. O levantamento ocorreu entre 18 e 22 de fevereiro, com informações de representantes de órgãos públicos e privados das áreas de grande produção.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística pelo (IBGE) também divulgou hoje (7) sua estimativa de safra. A produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas deve totalizar 183,4 milhões de toneladas para 2013, segundo a estimativa de fevereiro. Diferentemente do previsto pela Conab, a nova projeção do IBGE supera em 86.466 toneladas a de janeiro. O instituto analisa a colheita de janeiro a dezembro, enquanto a Conab se baseia no ano-safra, que vai de agosto a julho do ano seguinte.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTADO
Teletrabalho mobiliza servidores da SAD para cumprimento de metas anuais
DOURADOS
Estado avisou sobre contato entre douradense e morador da Capital com Covid-19
COVID-19
Guarda Municipal faz mais de 400 atendimentos no toque de recolher, mas somente duas prisões
BRASIL
Laboratório descarta morte por coronavírus em Brasília
MS
Pico das notificações que testaram positivo para o novo coronavírus foi em 19 de março
COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
ARQUITETURA & DESIGN
8 séries na Netflix para os apaixonados por arquitetura
BRASIL
BC poderá pedir justificativa se bancos negarem crédito
NEGÓCIOS & CIA
Coronavírus: 8 dicas para usar o marketing digital a favor da sua empresa
PANDEMIA
Combate ao coronavírus poderá ter R$ 2 bilhões do Fundo Eleitoral

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
PANDEMIA
Bebê de três meses é novo caso confirmado de coronavírus em MS
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato
BATAYPORÃ
Paciente com suspeita de coronavírus é internada em estado grave em Dourados