Menu
Busca quinta, 22 de abril de 2021
(67) 99257-3397
JUSTIÇA

Cabo é condenado após exigir R$ 10 mil a soldado por fotos íntimas

08 março 2021 - 22h35Por Da Redação

Um cabo do Exército Brasileiro em Mato Grosso do Sul, foi condenado a três anos de reclusão pela Justiça Militar por chantagear um colega de farda, ameaçando divulgar fotos íntimas, retiradas do celular da vítima. Segundo o site Campo Grande News, o caso chegou ao STM (Superior Tribunal Militar), que condenou o cabo depois duas tentativas da defesa de livrar o réu da pena.

Conforme as informações divulgadas, em 2017 o militar conseguiu as fotos de um soltado e da namorada, enquanto o companheiro de pelotão fazia atividades físicas. Decidiu, então, mandar mensagem exigindo R$ 10 mil para não divulgar o conteúdo.

O soldado vítima, então, fez uma espécie de investigação preliminar, descobriu a conta na rede social de onde era enviada a comunicação e denunciou o caso aos superiores.

Tudo aconteceu em Dourados, a 230 km de Campo Grande. Os militares eram da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, a Brigada Guacurus..

Ilegalidades

O cabo respondeu à ação penal militar na Auditoria de Campo Grande por crime de chantagem, previsto artigo 245 do Código Penal Militar. Chegou a alegar furto do telefone no dia do crime, versão taxada como “fantasiosa” pela Justiça.

Na delegacia, o militar denunciado também informou ter usado o CPF de um terceiro militar para habilitar o chip que utilizou na tentativa do golpe.

“Entretanto, em nova inquirição, o acusado negou o crime, alegando ter perdido seu celular na Guarda do quartel e dado a versão de chantagem aos policiais porque se sentiu pressionado” , informa o STM ao divulgar a sentença.

Foi condenado e primeiro grau com direito a responder em liberdade.

Em duas apelações apresentadas, a defesa pediu absolvição do cabo, alegando falta de provas. Um dos argumentos foi a falta de perícia no celular. O advogado invocou o princípio “in dubio pro reo”, ou seja, se não certeza, o acusado deve ser livrado da pena.

Responsável pela análise, o ministro Luis Carlos Gomes Mattos decidiu manter a condenação proferida em primeiro grau.

Tratou-se de defesa frágil, que não tem suporte nos autos e na lógica dos acontecimentos”, descreveu. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mentiras e covardias - mais um caso de omissão na violência doméstica
ARTIGO
Mentiras e covardias - mais um caso de omissão na violência doméstica
Contorno rodoviário garante agilidade e exportação recorde em hidrovia
PORTO MURTINHO
Contorno rodoviário garante agilidade e exportação recorde em hidrovia
Homem é preso por receptação ao ser abordado conduzindo veículo furtado
BR-163
Homem é preso por receptação ao ser abordado conduzindo veículo furtado
Jogos de cassino online: a melhor maneira de se divertir
ENTRETENIMENTO
Jogos de cassino online: a melhor maneira de se divertir
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 2,5 milhões nesta quinta-feira
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 2,5 milhões nesta quinta-feira
DOURADOS
Discussão entre casal termina em homem ferido com facada na mão
EDUCAÇÃO
Aprenda Guarani em mais uma lição do Professor Elizeu
DOURADOS
Governador sanciona lei e sede do DOF é denominada Coronel Adib Massad
LEGISLATIVO DE MS
Deputados devem votar hoje PEC que altera o rateio do ICMS aos municípios
IMUNIZAÇÃO
Dourados tem mais de 48 mil habitantes vacinados contra Covid-19

Mais Lidas

TIRADENTES
Comércio, vacinação e bancos; veja o que funciona no feriado em Dourados
CLIMA
Dourados pode ter mínima abaixo de 10 graus na próxima semana, indica previsão 
BR-163
Mulher encontrada carbonizada estava desaparecida desde sábado
DOURADOS
Grupo receberia comissão se conseguisse negociar carga de maconha no Água Boa