Menu
Busca segunda, 19 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Brasileira cria polêmica ao proibir empregados paraguaios de falar guarani

01 março 2021 - 21h05Por Carlos Ferraz

A fazendeira brasileira Janice Neukamp Haverroth é protagonista de uma polêmica nacional no Paraguai. Dona de propriedades rurais em Curuguaty, cidade localizada na região de Paranhos, na fronteira com Mato Grosso do Sul, ela proibiu os empregados de conversarem em guarani, um dos dois idiomas oficiais do país vizinho.

Nesta segunda-feira, dia 1º de março, viralizou nas redes sociais o áudio em que Janice, falando em português, proíbe os funcionários de uma de suas propriedades de falarem em guarani e determina que a partir de agora as conversas terão de ser em português ou espanhol.

“Eu não quero falar em guarani, porque não me interessa. Creio que o português e o espanhol já está bom pra mim. Então, a partir de hoje está proibido falar em guarani na fazenda. Vocês estão escutando? Proibido. Só vamos falar em português e espanhol, que são os idiomas aqui no Paraguai”, afirma a brasileira.

Proprietária e arrendatária de terras para cultivo de soja em vários Departamentos (equivalentes a Estado) do Paraguai, Janice Neukamp Haverroth tem ascendência alemã. No áudio, a fazendeira afirma que não fala em alemão perto dos empregados porque acha feio.

A divulgação do áudio em rede social causou polêmica imediata e teve ampla divulgação nos principais meios de comunicação do Paraguai. Segundo o jornal ABC Color, após o áudio viralizar, Janice desligou o celular para não atender os repórteres.

Ainda segundo o jornal, o mais influente do Paraguai, a mensagem foi enviada pela brasileira aos funcionários da fazenda Luz Bella, no Departamento de San Pedro. Ela também teria falado que os empregados dispostos a não seguir a ordem poderiam passar no escritório e pedir demissão.

A Secretaria de Políticas Linguísticas do Paraguai repudiou a medida tomada pela fazendeira brasileira. O órgão governamental também se colocou à disposição dos funcionários e pediu para que denunciem a patroa. Janice pode ser processada, pois o guarani, assim como o castelhano (espanhol) é idioma oficial no país vizinho.

“Nos solidarizamos com nossos compatriotas que em suas próprias terras são ameaçados para que não se expressem em sua língua materna, a língua oficial do Paraguai, a língua de nossa identidade”, afirma a secretaria, em nota.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Homem dá tapa no rosto de esposa e a faz descer do carro com a filha
Prefeitura prorroga medidas restritivas contra a Covid e mantém 'lei seca' após as 21h
DOURADOS
Prefeitura prorroga medidas restritivas contra a Covid e mantém 'lei seca' após as 21h
Três veículos com produtos de descaminho são apreendidos em rota de contrabando
LAGUNA CARAPÃ
Três veículos com produtos de descaminho são apreendidos em rota de contrabando
FERIADÃO
Comarca de Miranda não terá expediente entre hoje e quarta
Após uma semana, vacinação contra gripe atinge 1,8% do público-alvo
BRASIL
Após uma semana, vacinação contra gripe atinge 1,8% do público-alvo
REGIÃO
Trabalhadores rurais encontram corpo carbonizado às margens da BR-163
BR-463
Veículo furtado em São Paulo é recuperado pela polícia
MATO GROSSO DO SUL
Beneficiários do Mais Social terão que participar de curso profissionalizante
COTAÇÃO
Dólar fecha em queda de olho na cena externa
CRIME AMBIENTAL
Homem é autuado em R$ 12 mil por derrubar árvores em área protegida de matas ciliares

Mais Lidas

ASSALTO
Mulher tem carro roubado ao parar no semáforo em Dourados
POLÍCIA
Irmãos morrem após serem atropelados por caminhonete em rodovia
DOURADOS
Interno morre após briga com companheiro de cela da PED
PED
Arma de fabricação caseira é encontra em cela de interno morto