Menu
Busca sexta, 10 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Bancada pede agilidade para solucionar conflito agrário em MS

07 março 2013 - 16h01

A bancada federal de Mato Grosso do Sul, representados pelo senador Ruben Figueiró (PSDB) e os deputados Reinaldo Azambuja (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM) solicitaram urgência ao Ministério da Justiça para solucionar uma situação de conflito entre indígenas e produtores rurais na região de Nabileque, próximo a Corumbá.

Também participaram da reunião com os assessores do Ministério, Marcelo Veiga e Teresinha Maglia, o presidente da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul) e prefeito de Anastácio, Douglas Figueiredo, o produtor Roberto Folley e o advogado de produtores rurais Carlos Souza.



O representante do Ministério, Marcelo Veiga, disse que vai solicitar informações à FUNAI de Mato Grosso do Sul e apuração dos fatos pela Polícia Federal.



O senador Ruben Figueiró alertou para o risco de uma tragédia iminente na região. “Não podemos esperar 30 dias para uma decisão. O Ministério da Justiça tem que se manifestar já na próxima semana, interferindo para a solução do conflito antes que seja tarde demais. O clima está muito tenso”, lamentou.



O advogado Carlos Souza explicou que já houve um acordo firmado pela Justiça entre os produtores e os índios kadiwéus que ocuparam 12 fazendas na região. Os índios devem devolver 3 mil cabeças de gado, além de maquinários confiscados. O problema, segundo ele, é que os indígenas estariam sendo insuflados por alguns servidores da FUNAI para não cumprirem o acordo. “O que queremos é a mediação do Ministério da Justiça nesta questão. Só é necessário cumprir o acordo”, solicitou



O deputado Reinaldo Azambuja disse que “existe uma ação de incitação às invasões e violência”. Azambuja também alertou para a repercussão negativa no Brasil e no mundo. “Vocês têm os instrumentos para uma intervenção. Para arbitrar em favor da legalidade”, disse aos assessores do Ministério da Justiça.



Já o deputado Luiz Henrique Mandetta além de fazer uma análise histórica da conquista daquelas terras pelo Brasil, ressaltou que se trata de uma região de fronteira. Segundo ele, a população indígena não tem se preocupado com a vacinação do rebanho, o que poderá provocar um surto de aftosa, prejudicando a imagem do Brasil quanto a exportação de carne bovina.



Os representantes de Mato Grosso do Sul saíram da reunião com a promessa de que na próxima semana haverá uma decisão do Ministro José Eduardo Cardozo a respeito do que o órgão fará em relação ao conflito no Estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Funcionária de hospital deixa plantão e percebe que moto foi furtada
MS
Confira as dicas dos bombeiros para um feriado prolongado mais seguro
DOURADOS
Após assalto, suspeito deixa documento pessoal cair na fuga
MS
Detran abre as portas na segunda-feira, mas agências de shoppings permanecem fechadas
DOURADOS
Desacerto em compra de casa termina com três presos por ameaça, extorsão e porte ilegal
DOURADOS
Dupla de moto dispara e atinge homem que aguardava para iniciar trabalho
PANDEMIA
Procon raciona compra de luvas e máscaras por consumidor em Dourados
MS
Capital ativa hoje Drive Thru para agilizar exames do novo coronavírus
BRASIL
Pesquisa mostra população entre 10 e 40 anos vulnerável ao sarampo
DOURADOS
Celebrações de Páscoa serão restritas a padres e diáconos transmitidas na web

Mais Lidas

COVID-19
Dourados confirma mais um caso de coronavírus e Estado chega a 89
COVID-19
Dos casos de coronavírus em Dourados, três estão curados e um internado
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí
DOURADOS
Dupla é presa acusada de tentativa de homicídio e fazer criança como escudo