Menu
Busca quinta, 26 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

Seguranças e indígenas divergem sobre início de conflito

03 janeiro 2020 - 18h05Por Wender Carbonari

Versões diferentes sobre o começo da troca de tiros entre seguranças particulares e grupos indígenas puderam ser apuradas pela equipe de reportagem do Dourados News. 

Por um lado, tanto policiais quanto os seguranças que estavam a serviço de produtores rurais afirmam que os grupos indígenas atacaram inicialmente. 

Os vigilantes contam que foram cercados pelo grupo e que o primeiro disparo de arma de fogo foi desferido pelos índios e que pelo menos três deles estavam portando pistolas. 

Os seguranças teriam primeiramente disparado para o alto para intimidar eles mas a situação só piorou. 

Desse primeiro conflito ocorrido na parte da manhã, quatro pessoas ficaram feridas, sendo um segurança em estado grave e três indígenas. 

OUTRO LADO

Assim como os seguranças particulares, os representantes dos grupos indígenas envolvidos na confusão também pediram para não terem os nomes divulgados. 

Eles estão no local para recuperar uma área que seriam deles e que em nenhum momento utilizaram armas de fogo durante as manifestações. Porém, vídeo a qual o Dourados News teve acesso mostra o uso de arma, veja aqui

Uma indígena de 18 anos disse que as desavenças começaram ainda na quinta-feira (2) a noite, quando um barraco colocado no meio da pastagem foi derrubado. Segundo a jovem, seu pai chegou a ser ameaçado de morte pelos seguranças. 

De acordo com esta versão, hoje pela manhã o indígena se deslocou até a pastagem para arrumar o local e foi novamente ameaçado.

“Ontem de noite derrubaram um barraco e como meu pai é teimoso foi lá de novo levantar. Junto com meu pai estavam meus irmãos, um de 14 e outro de 8 anos. Eles apontaram arma para os meus irmãos. Eles [as demais lideranças] estavam conversando com o pessoal da Funai lá no fundo quando escutaram tiro. A comunidade se juntou para ver o que estava acontecendo”, disse a indígena. 

Uma das lideranças, conhecida como “Arapuchu” garantiu que os índios foram atacados primeiro, dando início ao confronto aberto. 

“Não querem deixar a gente nem passar para o outro lado. Quando a gente pisa no asfalto eles atiram”, chegou a dizer o líder se referindo aos policiais presentes. 

As informações serão apuradas e incluídas em inquérito policial. O comandante da Polícia Militar de Dourados, tenente-coronel Carlos Silva, justificou a intervenção por se tratar pelo menos aparentemente de crimes comuns como homicídios, interceptação de vias e danos aos patrimônios públicos. 

“É uma região próxima de um bairro de Dourados, não tem como a PM não estar no local. Desde o início da operação nós informamos os órgãos competentes. Se após realizado o inquérito for verificado que as motivações dos crimes foram provocadas por situações de conflito envolvendo disputa por território caberá ao MPF [Ministério Público Federal] e a PF [Polícia Federal] realizar os procedimentos necessários”, explicou. 

 

Leia Também

NOVA ALVORADA
Trabalhador morre atingido por barra de ferro no dia do aniversário
NÚMEROS DA PANDEMIA
Brasil registra 698 mortes por Covid em 24 horas e total soma 171,4 mil
CAMPO GRANDE
Preso é flagrado com 100 porções de cocaína no Centro de Triagem
JUDICIÁRIO
STF autoriza remarcação da data de concursos por crença religiosa
CAPITAL
Depoimento de assassino contradiz versão de pai sobre morte de Everton
PRESIDENTE INVESTIGADO
Bolsonaro diz que não vai depor em inquérito sobre interferência na PF
JARDIM
Homem é multado por derrubar árvores e incendiar a madeira ilegalmente
SENTENÇA
Flagrado transportando 28t de maconha, homem "pega" oito anos e 7 meses de cadeia
EMPREGO
Comarca de Sidrolândia abre vagas para remoção de juiz leigo
Justiça manda prender ex-vereador envolvido em escândalo sexual

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Mulher esfaqueia ex após discussão em hotel no Centro de Dourados
DOURADOS 
Foragido, autor de homicídio condenado a 16 anos é preso no Novo Horizonte
CRIME BÁRBARO
Suspeita de esquartejar e colocar corpo de namorado em malas se entrega à polícia
IMPROBIDADE
Caso de vereador que perdeu mandato em Dourados tem desfecho no STJ