sexta, 14 de junho de 2024
Dourados
17ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Polícia vai investigar a morte do jogador Serginho

29 outubro 2004 - 11h47

O delegado Guaracy Moreira Filho, do 34º Distrito Policial de São Paulo (Vila Sônia), abriu na noite de ontem, um inquérito policial para investigar se houve negligência ou imprudência na morte do jogador Serginho, do São Caetano, que sofreu um ataque cardíaco no gramado do Morumbi na noite desta quarta-feira. Dirigentes, técnico e médico do São Caetano serão chamados a depor.Moreira Filho deu entrada no inquérito baseado em recorte de jornais e imagens de televisão. Para ele, "não há muito o que apurar sobre o atendimento na hora da emergência, que parece ter sido feito dentro dos procedimentos esperados". As investigações serão voltadas para a hipótese de ter havido, por parte do São Caetano, imprudência em deixar o zagueiro Serginho entrar em campo mesmo sendo portador de um problema cardíaco. De acordo com informações de médicos, familiares e colegas de profissão, o atleta sofria de arritmia cardíaca e, segundo alguns órgãos da imprensa, seu coração teria um tamanho três vezes maior que o de uma pessoa saudável de sua idade. "Primeiramente, iremos chamar médicos cardiologistas que não estão diretamente ligados ao caso para nos dar informações preliminares. Depois, quando sair a autópsia, dentro de 15 ou 20 dias, começaremos a convidar as pessoas ligadas ao caso para prestar esclarecimentos. Caso elas não aceitem, enviaremos uma carta precatória (espécie de intimação)", informou o delegado.As pessoas ligadas ao caso a que se refere o policial são familiares do jogador e funcionários do São Caetano, notadamente o técnico Péricles Chamusca, o médico Paulo Forte e o presidente do clube, Nairo Ferreira de Souza. O delegado informa ainda que deve concluir o inquérito dentro de 30 dias e que, caso seja constatado imprudência por parte da equipe do ABC paulista ao deixar Serginho entrar em campo, cabe um processo por homicídio culposo (sem a intenção de matar), cuja a pena vai de um a três anos de prisão. Se tal hipótese for constatada, Moreira Filho já imagina quem será apontado como culpado: "Se for constatado o homicídio culposo, a culpa deve ser o dirigente máximo do clube, que é, em última instância, o responsável pela entrada do jogador no gramado.Dor e emoçãoTristeza e consternação marcaram o enterro de Serginho na manhã desta sexta-feira, no cemitério Vale da Saudade, na cidade mineira de Coronel Fabriciano. Durante toda a tarde e noite da quinta-feira, milhares de pessoas passaram pelo ginásio da cidade, onde aconteceu o velório do jogador.Em um dos momentos mais emocionantes, os jogadores do São Caetano presentes no velório fizeram uma roda em torno do corpo de Serginho e rezaram. Todos os atletas não contiveram a emoção e choravam copiosamente. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

AQUIDAUANA

Ladrão invade casa, agride e amarra moradora durante roubo

POLÍTICA

Manifestantes vão às ruas contra PL que equipara aborto a homicídio

BONITO

Com carro furtado, motorista é parado a tiros ao tentar fugir da PM

SALÁRIO DE R$ 7,1 MIL

TJ/MS divulga gabarito oficial e resultado preliminar de concurso

Familiares pedem ajuda para encontrar Marcos Brandão que desaparecido
ORLA MORENA

Familiares pedem ajuda para encontrar Marcos Brandão que desaparecido

ACABOU A FERVURA?

El Niño chega ao fim, mas La Niña vem aí; saiba o que espera

Trabalhador fica ferido após cair em poço de cerca de seis metros

REPATRIADOS

Brasil vai receber da Suíça R$ 155 milhões recuperados de corrupção

CAMPO GRANDE

Homem é preso após fugir com filho e ameaçar atear fogo na casa da ex

JUDICIÁRIO

STJ anula provas contra dois investigados pela Lava Jato

Mais Lidas

HOMICÍDIO 

Douradense é encontrado morto com mãos e pés amarrados no interior do MT

DOURADOS

Interno é encontrado morto de joelhos na PED e caso é investigado

DECISÃO

Mesmo sem duplicação de pontos críticos, pedágios da BR-163 aumentam a partir desta sexta-feira

VENDA DE ALIMENTOS

Ministério Público pede fechamento de cantinas em presídios de MS