sexta, 21 de janeiro de 2022
Dourados
38°max
23°min
Campo Grande
35°max
22°min
Três Lagoas
37°max
23°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Polícia faz reconstituição de crime que vitimou ex-amásio

24 outubro 2003 - 14h30

A Polícia Civil de Dourados, comandada pelo delegado José Roberto Batistella está neste momento na rua José Garcia Pires, nº 905, no jardim Água Boa, fazendo a reconstituição do crime que vitimou Luiz Echeverria, 32 anos, ex-amásio de Leonice Dalto Barbosa, 39 anos, da madrugada do último domingo.Leonice foi presa ainda na madrugada de domingo e em depoimento à policia disse que o ex-amásio tentava agredi-la, quando para se defender ela teria dado um empurrão em Echeverria, que caiu sobre a faca, sendo ferido na altura do tórax, morrendo a caminho do hospital Evangélico.Segundo o delegado Batistella, o objetivo principal da reconstituição é esclarecer alguns pontos divergentes, entre os depoimentos da suposto autora e de testemunhas. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

RIO BRILHANTE 

Homem cobra R$ 5 mil para deixar de fazer ameaças a ex-mulher

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil registra 396 mortes por Covid em 24 h; média bate novo recorde

CAPITAL

Homem invade casa de vizinho e estupra menina de 12 anos

PEQUENOS NEGÓCIOS

Empresas terão até março para regularizar dívidas do Simples

VIOLÊNCIA

Idoso é assassinado a pauladas por não querer pagar bebida em bar

IMUNIZAÇÃO

Alan diz que Dourados aguarda orientação para aplicação de Coronavac em crianças

SETE QUEDAS

Mulher agredida no Natal morre e suspeito é preso tentando fugir

REGIÃO 

TJ/MS convoca candidatos do Concurso Extrajudicial para prova escrita

REGIÃO

Jovem é preso após agredir com chutes avô de 81 anos

EDITAL

Leda convoca associados para Assembleia Geral Extraordinária

Mais Lidas

REGIÃO

Jovem acusado de assassinar diretor de escola em 2012 troca tiros com a polícia e morre

REGIÃO

Trabalhador morre após sofrer descarga elétrica na BR-463

FRONTEIRA

Líder do PCC que tinha fugido de presídio do Brasil, é preso junto a comparsas no Paraguai

FRONTEIRA

Ostentação levou polícia até professor que faturava alto para guardar drogas