Menu
Busca domingo, 29 de março de 2020
(67) 9860-3221

Polícia Civil prende em Sete Quedas, “olheiro” de ladrões de carros

20 janeiro 2013 - 09h45

A Polícia Civil realizou a prisão nessa sexta-feira, 18 de janeiro, em Sete Quedas, de um rapaz de 26 anos, acusado de ser o “olheiro” de uma quadrinha de ladrões de carros que vinha cometendo assaltos e espalhando o terror aos moradores de várias cidades do Cone Sul do Estado, em Mato Grosso do Sul.

Segundo o delegado titular de Polícia Civil em Sete Quedas, Dr. Rinaldo Gomes Moreira, encarregado pelas investigações do caso, o acusado, Roberto Rosa Magalhães, o “Robertinho”, que reside em Sete Quedas e já tem passagem pela polícia local, era o responsável em escolher e monitorar os passos das vítimas e passar as informações aos assaltantes, que tem base em território paraguaio.

Segundo a Polícia Civil de Sete Quedas, com o auxílio de Robertinho a quadrilha teria praticado pelo menos três assaltos a mão armada na cidade no final do ano passado (2012).

No primeiro deles, registrado no dia 20 de novembro, após renderem a vítima com emprego de armas de fogo, os marginais levaram uma caminhonete, jóias, dinheiro e lâminas de cheque.

Em outra ação criminosa ocorrida no dia 20 de dezembro, após renderem uma família inteira, inclusive crianças, os membros da quadrilha tentaram roubar uma caminhonete Toyota Hilux.

No dia 28 de dezembro, também agindo com o emprego de arma de fogo, os marginais invadiram uma casa, renderam os moradores e tomaram em assalto dois veículos, o Golf e uma motocicleta e durante a fuga também levaram jóias, dinheiro e aparelhos celulares das vítimas.

A prisão do acusado

Segundo a Polícia Civil, após o trabalho de investigação levantar informações precisas sobre o envolvimento do acusado com a quadrilha, o delegado, Dr. Rinaldo Moreira representou pela prisão preventiva de Robertinho junto ao Poder Judiciário e o pedido foi deferido pelo juiz.

De posse do mandado de prisão, os investigadores passaram a efetuar diligências e conseguiram localizar e prender Roberto Rosa Magalhães, que em primeiro momento, segundo a polícia, teria tentado negar envolvimento nas ações criminosas, mas posteriormente acabou “abrindo o jogo” e inclusive delatando outros membros da quadrilha.

Segundo a Polícia Civil, Robertinho vai responder processo por co-autoria nas três ações criminosas.

Quadrilha agia em todo o Cone Sul

Segundo a Polícia Civil de Sete Quedas, Roberto Rosa Magalhães, o “Robertinho” estava agindo em favor de uma quadrilha responsável por vários roubos de veículos ocorridos em municípios da região Cone Sul no final do ano passado e no início deste ano (2013), entre eles, assaltos praticados nas cidades de Iguatemi e Eldorado.

Parte do bando já está preso e segundo a polícia, as investigações continuam em todas as delegacias onde a quadrilha agia para levantar mais possíveis envolvidos em roubos de veículos pela região.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CLIMA
Dourados registra quarta chuva de mês e se aproxima da média de março
LIVE
Lacen esclarece dúvidas sobre os exames de diagnóstico do Covid-19
DOURADOS
Prefeitura pretende manter estratégias após primeiras confirmações de coronavírus
SAÚDE
Ministério alerta para risco do uso de cloroquina sem indicação médica
AMAMBAI
Motociclista morre após colisão contra Hilux na região de fronteira
DOIS ANOS
TJ/MS prorroga a validade do VIII Concurso Público de Servidores
PREVENÇÃO
Paraguai estende isolamento total contra o coronavírus até 12 de abril
CORONAVÍRUS
'Se sair andando todos de uma vez, vai faltar para rico e pobre', diz Mandetta
BATAGUASSU
Homem é preso após tentar atropelar e ameaçar manter família em cárcere
ARTIGO
COVID-19: Reflexões a respeito do primeiro caso registrado em Dourados

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
COVID-19
Mulher de 52 anos é o 2º caso de coronavírus em Dourados, total no Estado é de 31
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato