Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
(67) 99257-3397

Polícia aponta que 80% da renda do PCC vem do tráfico

22 março 2008 - 06h51

Investigações da Polícia Civil mostram que 80% da renda do Primeiro Comando da Capital (PCC) tem origem no tráfico de drogas. A cúpula da facção criminosa decidiu apostar na distribuição de cocaína. Tornou-se atacadista, obrigando os donos dos pontos-de-venda a comprar seu entorpecente, mesmo que o preço e a qualidade da droga entregue não sejam os melhores existentes no mercado.

 
O envolvimento do PCC com as drogas tem duas vertentes. Uma é a filiação de donos de pontos-de-venda em regiões como as favelas do Jardim Elba (zona leste de São Paulo), Heliópolis (zona sul) e Paraisópolis (zona sul) à facção. A outra é o esquema de distribuição mantido pela cúpula da organização, o chamado bicho-papão. Entre os líderes do PCC, o tráfico é tratado simplesmente como "o progresso".

Normalmente, os traficantes individuais pagam apenas a mensalidade de R$ 600 que cada integrante da facção em liberdade deve entregar ao PCC. Há, no entanto, exceções. Esse é o caso de Edílson Borges Nogueira, o Biroska, e Marcos Paulo Nunes da Silva, o Vietnã. Biroska controla o tráfico em Diadema e Vietnã, no complexo de favelas da Alba, do Vietnã e da Água Espraiada, na zona sul. Os dois estão presos na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau e se tornaram, segundo a inteligência policial, os maiores financiadores da facção. Biroska e Vietnã encomendariam cocaína da Bolívia e maconha do Paraguai, drogas que são distribuídas em São Paulo.

O outro esquema é o do bicho-papão. Essa é uma atividade cujos dividendos são repartidos apenas entre os chefões. "Esse dinheiro não entra no caixa da organização", disse um delegado do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). A cúpula do PCC não mexe com maconha, pois ela dá pouco lucro. Isso não impede que individualmente integrantes do PCC distribuam a droga, conforme mostra interceptação telefônica feita pelo Deic das conversas mantidas por Carla Patrícia de Andrade, a Carlinha, que cuidava dos pedidos do bicho-papão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NAVIRAÍ
Homem é preso suspeito de matar sogro durante atentado a tiros
NÚMEROS DA PANDEMIA
Brasil ultrapassa 604 mil mortes por Covid; média volta à estabilidade
Suspeitos de assassinato de fazendeiro em Naviraí são presos no Paraná
POLÍCIA
Suspeitos de assassinato de fazendeiro em Naviraí são presos no Paraná
Mais de 400 atletas vão disputar modalidades coletivas dos Jogos Escolares
ESPORTE
Mais de 400 atletas vão disputar modalidades coletivas dos Jogos Escolares
CAPITAL
Guarda municipal é preso dirigindo embriagado após desacatar colegas
DOURADOS
Trecho da Rua Hayel Bon Faker afetado no temporal é liberado
IVINHEMA
Descarga de 34 mil volts mata homem que fazia reparos em rede elétrica
COMER BEM
Caderno "Comer Bem" gera visibilidade e lucro ao seu negócio
PANDEMIA
Fiocruz aponta estabilidade em casos de síndrome respiratória grave
POLÍCIA
Policial militar de folga prende autor de furto em Paranaíba

Mais Lidas

RIO BRILHANTE
Mulher é presa após se masturbar em praça pública
LEGISLATIVO
Em Dourados, projeto quer criar Dia Municipal do Torcedor Flamenguista
CAPTURA
Cobra é capturada em para-choque de carro na região central de Dourados
DOURADOS
Preso por violência doméstica passa por audiência de custódia e tem preventiva decretada