Menu
Busca sexta, 04 de dezembro de 2020
(67) 99659-5905
MS

Operação contra pedofilia tem quatro presos, entre eles professor de Direito

29 outubro 2020 - 15h04Por Da redação

Operação Deep Caught 3 contra crimes de pedofilia na internet, resultou na prisão de quatro homens, em Campo Grande, nesta quinta-feira (29). Conforme o G1 MS, um advogado e professor de Direito Penal, de 35 anos, além de um sargento e um empresário, de 37 anos, e um auxiliar contábil, de 34 anos, estão entre os presos. 

Os cinco presos foram flagrados com material pornográfico. As prisões ocorreram respectivamente, nos bairros Bom Jardim, lar do Trabalhador, Vilas Boas e São Francisco.

A delegada Marília de Brito, titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente (Depca) e responsável pelas investigações disse que não divulgará o teor do que foi dito. No entanto, ela ressaltou que um dos suspeitos alegou que "não era ele" o responsável pelo material. Outros disseram que tinham baixado o material apenas "uma ou no máximo duas vezes".

Ainda conforme o G1, o advogado foi encaminhado para a sala de Estado-Maior, destinada a estes profissionais, no presídio militar de Campo Grande. O sargento foi encaminhado para o local específico de presos no Exército. Já os demais presos estão em uma cela da Delegacia Especializada de Repressão à Roubos e Furtos (Derf).

Nos 4 alvos, ao cumprir os mandados de busca e apreensão, a polícia também efetuou as prisões em flagrante e apreendeu computadores e celulares dos envolvidos. 

"O material ilícito totalizou aproximadamente 202 gigas. É muita coisa para um dia só de operação. Além disso, em 2 locais, tivemos o crime de posse de arma de fogo de uso permitido e eles devem responder também pelos artigos 241 A e B do ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]", finalizou a delegada.

OPERAÇÃO

Conforme divulgado pelo Dourados News, a Operação visa a repressão a abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet. Essa é a terceira vez que os investigadores atuam nessa ação. 

A pena para quem armazena esse tipo de conteúdo varia de 1 a 4 anos de prisão, de 3 a 6 anos pelo compartilhamento e de 4 a 8 anos de prisão pela produção de conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual.

A previsão está no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Jovem tem moto furtada próximo ao shopping
DOURADOS
Jovem tem moto furtada próximo ao shopping
Seja sustentável com a Eletro Marins
INFORME PUBLICITÁRIO
Seja sustentável com a Eletro Marins
Deputado ajuda levar água à sitioca de Dourados e beneficia 90 famílias
SANEAMENTO
Deputado ajuda levar água à sitioca de Dourados e beneficia 90 famílias
''Temos que nos dar as mãos e fazer uma Dourados mais pujante'', diz vereador eleito Creusimar
TV DOURADOS NEWS
''Temos que nos dar as mãos e fazer uma Dourados mais pujante'', diz vereador eleito Creusimar
Dupla de MS é presa com 500 quilos de maconha pela PRF do Paraná
TRÁFICO
Dupla de MS é presa com 500 quilos de maconha pela PRF do Paraná
REAJUSTE
Petrobras anuncia aumento em 5% valor de gás de cozinha
PROVAS
Edital convoca para divulgação das notas do Concurso da Magistratura
BRASIL
Em live, Bolsonaro pede que população economize energia elétrica
MS-156
Homem morre e duas pessoas ficam feridas em colisão de veículos
COMER BEM
Happy Hour Feito à Mão: "A inauguração foi um sucesso", diz Daniele Lemos

Mais Lidas

POLÍCIA
Homem é encontrado morto em ponte próximo à Vila Cachoeirinha 
CAARAPÓ
Jovem que matou companheira com mata-leão é autuado em flagrante por homicídio doloso
ACIDENTE
Rodas de carreta se soltam e atingem mulher na calçada em Amambai
DOURADOS
Corpo encontrado na pedreira é de homem desaparecido há quatro dias