Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
CAMPO GRANDE

"Não deu em nada", reclama jovem que denunciou assédio em terminal

09 março 2020 - 22h05Por Da Redação

“Humilhada”. “Usada”. “Praticamente sem dignidade”. “Até com nojo de mim mesma”. São palavras usadas pela estudante de 21 anos que, depois de ser assediada por homem de 43 anos, neste domingo, dia 08 demarço, no terminal do transporte coletivo Guaicurus, em Campo Grande, teve de trocar a festa para a qual estava indo pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), para registro do boletim de ocorrência.

O ataque foi testemunhado e o autor, o auxiliar de serviços gerais Helton Antônio de Souza, 43 anos, preso pela Guarda Municipal. Foi levado na tade domingo para a delegacia e liberado, depois de oferecer dinheiro para a vítima, tentar levá-la para o banheiro do espaço público e ainda persegui-la diante da resposta negativa.

A jovem esperava registro por importunação sexual, crime com pena de até cinco anos de reclusão e possibilidade de prisão, previsto desde 2018. Mas ficou decepcionada com o registro de “perturbação da tranquilidade”, contravenção penal existente desde 1941, cuja punição máxima é de prisão simples de 15 dias a dois meses.

“Não deu em nada, não tem como ficar tranquilia”, disse em conversa com o site Campo Grande News, nesta segunda-feira (9), com a cópia do boletim de ocorrência em mãos.

“O que me preocupou foi ter sabido que ele foi solto”, afirma, revelando estar com medo de sair de casa. “Foi assédio, praticamente tentativa de estupro”, entende.

A explicação obtida junto à Deam é de que o caso foi enquadrado como perturbação da tranquilidade por não ter havido “ato libidinoso”.

Ainda de acordo com o que foi informado, a autoridade policial de plantão é “soberana” para decidir sobre como tipificar os casos na hora do registro. Não foram fornecidos mais detalhes da investigação.

Traumático

Para a vítima, sobrou a memória de um dia para não esquecer, pelo lado ruim. Ainda sob as emoções do episódio, ela vislumbra dificuldade em comemorar novamente o Dia Internacional das Mulheres. “Porque todos os dias 8 de março, vou lembrar do que aconteceu”.

“Fiquei com nojo de mim, como mulher. Isso tira o orgulho de falar que é mulher, porque a gente não tem tranquilidade nem pra sair na rua”, desabafa.

Conforme o relato feito tanto à Guarda Civil Municipal, que fez a prisão, quanto na delegacia, a passageira do transporte coletivo estava esperando o ônibus para ir a uma festa com amigos, no terminal Guaicurus, no domingo à tarde. Nesse intervalo, Helton de Souza surgiu e, segundo ela, desde que a viu dirigiu o olhar para suas pernas. Incomodada, usou a mochila para tentar se proteger, mas não adiantou.

A estudante conta que o homem veio até ela e chegou a perguntar se queria fazer programa sexual. Diante da negativa, prossegue, ele a chamou para ir até o banheiro do lugar e ainda tentou puxá-la pelos punhos. Depois de conseguir se desvencilhar, relata, ela chamou a atenção de quem estava próximo, e o homem acabou preso por guardas municipais.

Olhares diferentes

A fala da estudante é, ainda, emocionada. Ela diz que teve apoio, mas também critica de pelo menos duas mulheres. Uma, segundo conta, afirmou que o assediador tem problemas mentais. A outra, o que a chateou mais, atribuiu a culpa à roupa usada por ela.
“Estava de saia jeans, cropped e tênis”, relaciona. “Como qualquer guria se veste”, avalia.

Por outro lado, “teve uma mulher que durante a confusão, me abraçava, comprou água e, ajudou a acalmar até meu irmão chegar”.

Diante de comportamentos distintos, a jovem relembra que, em dado momento, até se sentiu culpada. “Pensei que deveria ter ido de calça e camiseta”, diz. Depois, assegura, repensou e reforçou a convicção de “roupa não define ninguém”.

“É meu corpo, eu uso a roupa que eu quiser e o homem não pode fazer aquilo que tem vontade”, pontua.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Bolsonaro diz que país está em fase final de “grande provação”
MATO GROSSO DO SUL
Equipamentos de combate a incêndio e caminhões-pipa são enviados a Costa Rica e Corumbá
DOURADOS
No Dia Estadual do Chamamé, grupo leva música à Praça Paraguaia; veja vídeo
PANDEMIA
Após seis dias, Dourados volta a registrar óbitos por coronavírus
COSTA RICA
Passageiro de moto morre ao ser arremessado após colisão com ônibus
PANDEMIA
MS ultrapassa 63 mil casos de coronavírus e tem mais 14 mortes em 24h
TJMS
Candidatos à eleição podem tirar certidões on-line
INCÊNDIO
Parlamentares visitam áreas queimadas no Pantanal
É LEI EM MS
Normas sobre violência obstétrica são alteradas
DOURADOS
Dupla ameaça mulher com chave de fenda para roubar dinheiro

Mais Lidas

PERIGO POTENCIAL
Vendaval pode atingir Dourados e outras 35 cidades de MS, segundo alerta do Inmet
DOURADOS
Mulher estaciona em vaga preferencial e é xingada por médico
ELEIÇÕES 2020
Convenções chegam ao fim e sete nomes são lançados à prefeitura de Dourados
FRONTEIRA
Estudante morre após procedimento estético em clínica clandestina