Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(67) 99659-5905
MATO GROSSO DO SUL

Justiça condena integrantes do PCC em mais de 220 anos de prisão

06 fevereiro 2020 - 19h05Por Da redação

A 3ª Vara Criminal de Campo Grande, acolheu o pedido do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e condenou integrantes da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) a penas que, somadas, superam 220 anos de prisão.

Para o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), os réus integraram, no período de junho de 2017 a 12 de junho de 2018, organização criminosa armada, a fim de cometer crimes, em especial, tráfico de drogas e outros contra o patrimônio, bem como relacionados à aquisição, posse, guarda, fornecimento e empréstimos de armas de fogo.

Diante disso, ao todo foram condenadas 23 pessoas, dentre elas um dos líderes do PCC em Mato Grosso do Sul, a quem foi imposta uma pena de 18 anos e 4 meses de reclusão, em regime fechado, e um agente penitenciário que a ele fornecia informações, o qual ainda teve a perda do cargo decretada.

A condenação ocorreu na ação penal decorrente da Operação “Paiol”, deflagrada pelo Gaeco em conjunto com o Bope (Batalhão de Operações Especiais) e o Batalhão de Choque da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul.

A sentença condenatória ainda não transitou em julgado, ou seja, é possível a interposição de recursos.

O CASO

As investigações tiveram início em junho de 2017 e o foco foi identificar pessoas integrantes da facção criminosa do PCC, atuantes no Estado de Mato Grosso do Sul, cujas atividades eram voltadas a cuidar do setor responsável pela aquisição, guarda, comercialização e empréstimo de armas de fogo utilizadas pelos faccionados para o cometimento dos mais diversos crimes.

O nome da operação - "Paiol"- atribui-se justamente à nomenclatura utilizada pela organização para se referir ao local/setor onde são armazenados os armamentos do grupo. No decorrer das investigações, foram apreendidos 800g de skank (droga), 343 munições e 5 armas de fogo, dentre elas uma submetralhadora, marca Hugger, cal. 9mm, e um fuzil SL 15, marca Spike Táctica.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Mais três municípios solicitam à Assembleia reconhecimento de estado de calamidade
BRASIL
AGU pede ao STF que União defina aplicação de recursos da Lava Jato
MATO GROSSO DO SUL
Saúde divulga novo mapa hospitalar de leitos para coronavírus
BRASIL
Diabetes afeta rotina familiar de 80% dos pacientes, diz pesquisa
CAMPO GRANDE
Mulher é multada por atear fogo em resíduos no quintal
BRASIL
Indenização para profissional da saúde afetado por covid-19 é aprovada
MS
MPT solicita inspeção em frigoríficos para verificar medidas sanitárias diante de pandemia
CORUMBÁ
Suspeito de matar dona de restaurante é preso em motel
ECONOMIA
Dólar fecha em queda após atingir R$ 5,45
RESSOCIALIZAÇÃO
Estado lidera ranking de políticas positivas voltadas a presas

Mais Lidas

DOURADOS
Atirador chegou em igreja na hora da comunhão e entrou dizendo ter feito bobagem
BARBÁRIE
Vizinhos relatam frieza de atirador que ainda voltou para conferir se ex estava morta
CRIME BÁRBARO
Atirador que matou ex-mulher e feriu crianças fez outras vítimas antes de se suicidar
DOURADOS
Polícia vai à casa onde atirador começou noite sangrenta e identifica testemunhas