Menu
Busca sexta, 10 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Mineira e capixaba são presas em MS com maconha em mochilas

27 novembro 2012 - 11h48



Durante fiscalização da Polícia Rodoviária Federal no km 68 da BR 463 no Posto Capey, no município de Ponta Porã, por volta das 07h30 de ontem (26), foram encontrados quatro malas e duas mochilas recheada de maconha.

As malas estavam no bagageiro externo de um ônibus intermunicipal, que liga Ponta Porã X Campo Grande, sendo identificadas como proprietária da droga, uma capixaba de nome Dayane Ribeiro de 19 anos e uma mineira Elisangela Lucia Costa, de 24 anos, ambas moradoras na cidade de Contagem - MG.

As garotas disseram que adquiriram a droga próximo à rodoviária de Ponta Porã onde a transportariam até sua cidade e receberiam R$ 1.000 cada pelo serviço.

A droga pesou aproximadamente 50 kg e as presas foram encaminhadas à Policia Federal de Ponta Porã para o devido flagrante.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Mulher foi atacada com facão pelo filho sem motivo após ele beber
AGLOMERAÇÃO
Bolsonaro abraça pessoas e posa para fotos em padaria de Brasília
CAMPO GRANDE
Condenado a 13 anos, homem é preso sete anos depois do crime
UFGD
Inscrições para contratação de professor visitante vão até o dia 17
RIBAS DO RIO PARDO
Caseiro atira contra ‘invasores’ e descobre que eram parentes do patrão
SOLIDARIEDADE
Campanha do Agasalho Abevê espere arrecadar 38 mil peças de roupa
DOURADOS
Inova Unigran desenvolve protótipos de protetores faciais para doação
ESTALIONATO
Produtor rural perde cerca de R$ 123 mil em golpe de venda de gado
RURAL
MS deve registrar safra de 11 milhões de toneladas, maios da história
TRÊS LAGOAS
Motorista é preso após digirir bêbado por mais de 30 quilômetros

Mais Lidas

COVID-19
Dourados confirma mais um caso de coronavírus e Estado chega a 89
COVID-19
Dos casos de coronavírus em Dourados, três estão curados e um internado
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí
DOURADOS
Dupla é presa acusada de tentativa de homicídio e fazer criança como escudo