Menu
Busca quinta, 21 de outubro de 2021
(67) 99257-3397
POLÍCIA

Em Zona Eleitoral de MS, Cupertino tirou título falso cinco dias após assassinato de ator

05 novembro 2020 - 18h13Por Da redação

Cinco dias após assassinar o ator Rafael Miguel e os pais dele, Paulo Cupertino tirou um título de eleitor com dados falsos, na 19ª zona eleitora do Mato Grosso do Sul. O documento foi emitido no dia 14 de junho de 2019, conforme a Corregedoria- Geral da Justiça Eleitoral. Já a execução havia ocorrido no dia 09.

O criminoso continua foragido e é um dos mais procurados da Justiça de São Paulo. Recentemente, a polícia chegou a anunciar sua captura de forma equivocada. 

O ator Rafael Miguel, de 22 anos, e seus pais, João Alcisio Miguel, de 52, e Miriam Selma Miguel, de 50 anos, foram mortos com 13 tiros na porta da casa de Cupertino. O assassino era contra o namoro do rapaz com sua filha, Isabela Tibcherani.
Rafael ficou famoso por um papel na novela "Chiquititas" anos atrás.  

Conforme o portal R7, por ordem do corregedor-geral, ministro Luis Felipe Salomão, o juiz auxiliar Richard Pae Kim determinou que sejam adotadas medidas cabíveis, inclusive, se for o caso, registrar na folha de votação o impedimento do voto com a inscrição fraudada.

A decisão veio após a revelação de que Paulo Cupertino usou documentos falsos emitidos em nome de Manoel Machado da Silva.  A Justiça Eleitoral constatou que dois documentos foram requeridos pela mesma pessoa.  O primeiro título foi requerido em 11 de maio de 1990, com o nome de Paulo Cupertino Matias a uma zona eleitoral de São Paulo.
As informações prestadas pela secretaria da CGE (Corregedoria-Geral Eleitoral) esclarecem que a duplicidade de inscrições não foi percebida por causa da diferença nos documentos apresentados nos dois requerimentos e também porque a inscrição mais antiga não contava com identificação biométrica.

Sobre a decisão

O art. 41 da Res.-TSE nº 21.538, de 2003, atribui ao juiz eleitoral da zona da inscrição mais recente a competência para decidir sobre duplicidade ou pluralidade de inscrições, ainda que não tenham sido agrupadas pelo batimento. A decisão da corregedoria do TSE também indica o impedimento ao exercício do voto com a inscrição que tenha sido obtida fraudulentamente.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

IMUNIZAÇÂO
Dourados segue com imunização contra Covid-19 nesta quinta-feira
MS
Preso na Bolívia, "gerente" do bando que roubou aviões é extraditado
TEMPO
Quinta-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
OPERAÇÃO OURO BRANCO
Decretada preventiva de policiais que abasteciam presídio com drogas
BRASIL
Bolsonaro sanciona lei que proíbe eutanásia de cães e gatos de rua
CRIME AMBIENTAL
Homem sofre acidente, perde memória e tenta descobrir a causa
POLÍTICA
Senado aprova projeto que proíbe divulgação de infrações de trânsito
Pai perde guarda de filha após estuprá-la e obrigar assistir pornografia
PANDEMIA
Tribunal Eleitoral de MS define data de retorno ao trabalho presencial
SUMIÇO
Com esquizofrenia, homem de 56 anos está desaparecido

Mais Lidas

CAPTURA
Cobra é capturada em para-choque de carro na região central de Dourados
JARDIM MÁRCIA
Bandidos fazem "limpa" em motel de Dourados e levam até carro
REGIÃO
Duas pessoas morrem carbonizadas após queda de helicóptero carregado com cocaína
DOURADOS
Entreposto que tinha até pé de maconha é fechado e trio preso pela polícia