Menu
Busca sexta, 27 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
RESSOCIALIZAÇÃO

Em Dourados, presos confeccionam e barateiam custo de uniforme escolar para cidade de MS

07 dezembro 2019 - 07h30Por Da Redação

As linhas e agulhas começam a trabalhar logo cedo nas mãos de detentos da Penitenciária Estadual de Dourados (PED). A meta é concluir a confecção de uniformes escolares completos de alunos da rede municipal de ensino de Três Lagoas, cuja encomenda é de responsabilidade de ONG Artaban, que possui uma oficina de costura no presídio. Parte da produção também é realizada na Penitenciária de Segurança Média de Três Lagoas (PSMTL).

A iniciativa, além de levar capacitação, ocupação produtiva e remunerada aos custodiados, refletindo diretamente no processo de ressocialização, representa economia significativa aos cofres públicos, bem como a garantia de os alunos receberem seus uniformes no início do ano letivo.

“É vantagem para todos os envolvidos”, destaca o diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Aud de Oliveira Chaves, que reforça o incentivo ao trabalho prisional também como uma forma de reduzir os índices de violência, já que diminui a probabilidade de reincidência no crime, outro fator social importante.

Na penitenciária é realizado desde o corte até a parte de serigrafia das peças, tudo com muito cuidado e sob o olhar atento da supervisora da Artaban, Neide de Souza Silva, que também é responsável por treinar os detentos. Segundo ela, a satisfação em capacitá-los é ainda maior quando percebe que também está ensinando um novo caminho. “Temos três ex-internos aqui da PED, que agora estão no semiaberto, que estão com projeto de se unirem e montarem uma confecção; isso alegra bastante a gente, pretendemos, inclusive, doar máquinas de costura para que possam iniciar esse projeto”, revela.

Nas máquinas de costura da confecção da PED, Josimar Carvalho, 33 anos, aprendeu o valor do trabalho digno e conquistou uma nova profissão que ele afirma querer levar para a vida em liberdade. “Eu não sabia nem como pregar um botão e hoje me sinto qualificado para trabalhar em qualquer indústria de confecção, ou quem sabe montar o meu próprio negócio quando eu sair daqui”, comenta com um olhar de esperança no rosto.

Com o suor de seu esforço diário, o reeducando garante remuneração de ¾ do salário mínimo mensal e remição de um dia na pena a cada três de serviços prestados, conforme estabelece a Lei de Execução Penal. “Mas a gente também ocupa bastante a mente, quando chega aqui o nosso compromisso é com o trabalho, é atender as metas, como funciona uma indústria lá fora, então a gente se sente muito satisfeito e capaz com isso”, afirma.

Responsável por coordenar a parte de serigrafia, Anderson de Oliveira Pereira, 34 anos, descobriu no ofício do pai a chance de escrever uma nova história de vida, a partir do “orgulho de se sentir útil”. É ele que repassa aos companheiros da área como se trabalha desde a montagem da matriz à finalização das peças, serigrafadas quadro a quadro.

“Às vezes, por um minuto de bobeira, a gente acaba parando aqui nesse lugar, mas esse trabalho para mim representa uma vitória, cada cor que a gente pinta, cada desenho que a gente preenche, e quando a gente vê o resultado, é muito bom. Agradeço ao meu pai por ter ensinado e agora eu vejo o valor do meu trabalho”, assegura Anderson.

O convênio é para fabricar 68 mil peças nas duas penitenciárias, entre bermudas, camisetas com mangas e regatas, mochilas pequenas e grandes, além dos estojos. Segundo a ONG Artaban, a confecção nas unidades prisionais garantirá uma economia de 40% no custo final para a Prefeitura.

Outros trabalhos

Atualmente, 600 internos trabalham na Penitenciária Estadual de Dourados, segundo informações do diretor Antônio José dos Santos.  Além das oficinas de costura e serigrafia, os custodiados atuam na cozinha, padaria, barbearia costura de bolas, fabricação de tanques e pias em concreto (para atender a própria unidade), reciclagem, entre outros serviços.

Cada três dias de serviços prestados pelos detentos garantem a eles desconto de um dia no total da pena imposta. No caso do trabalho em oficinas instaladas por meio de parcerias com empresas, também é oferecida remuneração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEVANTAMENTO
MS tem a sétima menor taxa de desocupação do país
Estadual retorna amanhã com clássico "Comerário" em Campo Grande
FUTEBOL
Estadual retorna amanhã com clássico "Comerário" em Campo Grande
Ex-servidora excluída de plano de saúde tem garantida manutenção como beneficiária
CAMPO GRANDE
Ex-servidora excluída de plano de saúde tem garantida manutenção como beneficiária
Entre aves e mamíferos, mais de 100 animais retornam à natureza após reabilitação no Cras
MEIO AMBIENTE
Entre aves e mamíferos, mais de 100 animais retornam à natureza após reabilitação no Cras
Com leitos de UTI's lotados, prefeitura aumenta toque de recolher e manda fechar clubes
DOURADOS
Com leitos de UTI's lotados, prefeitura aumenta toque de recolher e manda fechar clubes
MAPA DA COVID
Governo classifica Dourados com bandeira vermelha pela terceira semana seguida 
DOURADOS
Às vésperas de dezembro, ainda não há definição sobre horário estendido do comércio
ELEIÇÕES 2020
TSE autoriza tropas federais em duas Capitais no segundo turno
CARTA MARCADA
Gaeco investiga empresas que atuam em prefeituras e Câmaras de MS
OPERAÇÃO VIGILANTE II
Operação termina com três foragidos presos e droga e armas apreendidas

Mais Lidas

DOURADOS 
Foragido, autor de homicídio condenado a 16 anos é preso no Novo Horizonte
DOURADOS
Júri condena membros de grupo de extermínio a mais de 100 anos de prisão
PEDRO JUAN
Quatro corpos são encontrados enterrados na fronteira
BONITO
Mãe de bebê também morre após carro bater em coqueiro na MS-382