Menu
Busca sexta, 04 de dezembro de 2020
(67) 99659-5905
FLAGRANTE

Eletricista é preso após gritar com vendedor e o chamar de "macaco"

17 dezembro 2019 - 21h05Por Da Redação

Um eletricista de 47 anos foi preso em flagrante por injúria racial na tarde desta terça-feira, dia 17 de dezembro, após ofender um vendedor de 20 anos, em loja de telefonia localizada na Rua 13 de Maio, região central de Campo Grande. Na delegacia, Luciano Rogério Hernandes, de 47 anos, confessou ter chamado o jovem de “macaco”.

Por volta das 13h50, policiais militares que faziam rondas na região central foram chamados para dar apoio em uma ocorrência. Chegando até a loja, eles foram informados que um cliente chegou irritado perguntando sobre um vendedor. Ele estava irritado porque a conta de telefone tinha ficado mais cara e culpava o rapaz pela mudança do plano.

Dentre as ofensas, ele chamou o vendedor de “vagabundo” e “macaco”. Outros vendedores ficaram indignados com a situação e decidiram acionar a polícia. O homem foi levado até a Depac do Centro, onde confessou o crime.

A vítima

Com a condição de não ser identificado, o jovem que sofreu a agressão verbal aceitou conversar com a reportagem do site  Campo Grande News. Ele disse nunca ter passado por constrangimento semelhante e lamentou o caso.

O vendedor comentou sobre o pedido para não ser fotografado ou ter o nome divulgado. “Para evitar ficar marcado por esse motivo. Ele lamentou também o fato de o eletricista não ter se desculpado em nenhum momento. “Pelo contrário, ele confirmou. Parece que com orgulho mesmo. Não disse desculpa, não era isso que eu quis dizer”.

O jovem disse ainda ter a intenção de prosseguir com a ação contra o agressor. Após o registro da ocorrência, ele declarou ter sentido “alívio porque ele está preso”.

Amigo

Outro vendedor e amigo da vítima, Fernando Farias, de 21 anos, contou que no mês passado este mesmo homem já tinha ido até o estabelecimento perguntando sobre o jovem. Na ocasião, ele também usou a expressão “macaco”, mas como a vítima não estava ele foi embora e outros resolveram esquecer a situação.

Com o retorno dele nesta terça-feira (17), eles ficaram preocupados. “É uma coisa horrível, decepcionante, mas não uma surpresa”, declarou Fernando sobre o ato de racismo.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro da Capital.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Tio e dois sobrinhos desapareceram em córrego durante temporal na Capital
JUSTIÇA
Mutirão DPVAT realiza 386 perícias na comarca de Dourados
ACIDENTE
Garoto de 15 anos desaparece em córrego durante temporal na Capital
Festival da Canção da UEMS divulga música campeã da edição 2020
CULTURA
Festival da Canção da UEMS divulga música campeã da edição 2020
COTAÇÃO
Dólar fecha cotado a R$ 5,12, menor valor desde 22 de julho
APELO
Com mudanças no toque de recolher, bares e restaurantes temem prejuízos e demissões
DOURADOS
Mulher é esfaqueada pelo ex após discussão no Canaã IV
DOURADOS
Fim de semana pode ter chuva e máxima não passa de 26°C
PANDEMIA 
Civil fecha unidade na Capital após confirmação de casos de Covid
UNIVERSIDADE
Pesquisa vai monitorar presença de Sars-CoV-2 em doadores de sangue assintomáticos

Mais Lidas

POLÍCIA
Homem é encontrado morto em ponte próximo à Vila Cachoeirinha 
CAARAPÓ
Jovem que matou companheira com mata-leão é autuado em flagrante por homicídio doloso
ACIDENTE
Rodas de carreta se soltam e atingem mulher na calçada em Amambai
DOURADOS
Corpo encontrado na pedreira é de homem desaparecido há quatro dias