Menu
Busca quarta, 21 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
MORTE DE ADVOGADA

Delegado diz que Carolina ter avançado sinal foi decisivo para acidente

29 novembro 2017 - 12h20Por Da Redação

O delegado Geraldo Marim disse, em coletiva de imprensa concedida nesta quarta-feira, dia 29 de novembro, que o fato de Carolina Albuquerque Machado ter avançado o sinal vermelho foi fator decisivo para a morte dela. Isto quer dizer que, o estudante de Medicina envolvido no acidente, poderá responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, ao invés de homicídio simples.

A declaração do delegado, segundo o portal do jornal Correio do Estado, foi feita com base em laudos periciais do local do crime, do exame necroscópico e das imagens das câmeras de segurança dos estabelecimentos nas imediações.

O perito criminal Antônio César Moreira de Oliveira explicou que, o motorista da caminhonete trafegava a 115 km/h, enquanto o veículo Fox de Carolina estava a 30 km/h.

A velocidade em questão é quase o dobro permitido naquele ponto que é de 60 km/h.

Ainda conforme o Correio do Estado, os laudos do vídeo mostraram ainda que Carolina avançou o sinal vermelho, o que foi decisivo neste caso.  “O fator preponderante é o desrespeito da sinalização da via”, comentou o delegado.

Marim aguarda ainda o resultado da perícia feita no celular do estudante e já solicitou a quebra do sigilo bancário e informático dele em busca de provas sobre a embriaguez.

Imagens das câmeras de segurança de condomínio onde ele estava antes do acidente e comandas de quiosques da Afonso Pena por onde ele passou também foram solicitados.

Ao todo, 12 pessoas já prestaram depoimento e o delegado aguarda ainda o resultado desses laudos.

O CASO

O acidente aconteceu na Avenida Afonso Pena, próximo ao Shopping Campo Grande, na madrugada do dia 02 de novembro. Conforme divulgado pelo Batalhão de Trânsito de Polícia Militar, a caminhonete Nissan Frontier conduzida por João Pedro trafegava em alta velocidade na avenida.

Em razão da velocidade, não foi capaz de desviar do veículo Fox ocupado por Carolina e o filho de três anos. Já era mais de meia-noite e ela havia furado o sinal para acessar a Avenida Paulo Coelho Machado, no Bairro Chácara Cachoeira. Com o impacto, o Fox foi arremessado por cerca de 110 metros.

Carolina não resistiu e morreu no local. O filho dela e o irmão do condutor da caminhonete foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros, mas sem ferimentos graves. No local, testemunhas relataram que o autor desceu da caminhonete, embriagado, falou ao celular e disse que havia sido orientado pelo pai a fugir às pressas, para que não fosse autuado em flagrante. O irmão dele disse que ambos saíram na Frontier para passear nos Altos da Afonso Pena e encontrar amigos. Ele alegou que todos os sinais estavam verdes, mas que não tinha noção da velocidade em que estavam se deslocando.  O estudante chegou a ser preso, mas responde em liberdade.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS
Senador Arolde de Oliveira morre no Rio aos 83 anos vítima de Covid
CRIME AMBIENTAL
Trio é autuado em R$ 2,7 mil por pesca ilegal com petrechos proibidos
CORONAVÍRUS
Voluntário do teste da vacina de Oxford que morreu tomou placebo
REGIÃO
Homem é autuado por maus-tratos a cachorros
RELIGIÃO
Papa Francisco defende união civil entre gays: 'São filhos de Deus'
JARDIM INDEPENDÊNCIA
Obra de drenagem com sinalização precária provoca acidente
JUDICIÁRIO
Kassio Marques é aprovado pelo Senado e assumirá vaga no STF
TRÊS LAGOAS
Caminhão carregado com paletes balança em curva e tomba na BR-262
AVANÇO DA PANDEMIA
Brasil registra mais 571 mortes por Covid e total ultrapassa 155 mil
REGIÃO
UFGD realiza credenciamento de colaboradores para vestibulares e concursos

Mais Lidas

DOURADOS
Acidente entre carreta e motocicleta mata mulher na BR-163
HOMICÍDIO EM 2013
Condenada pela morte do ex em Dourados é presa na Capital
DOURADOS
Motorista bêbado causa acidente em semáforo da Avenida Marcelino Pires
CONTRABANDO
Depósito de cigarros paraguaios é desarticulado após denúncia em Dourados