Menu
Busca segunda, 28 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
FRONTEIRA

Defesa admite dupla identidade e pede liberdade de sucessor de "Minotauro"

11 fevereiro 2020 - 07h19Por Campo Grande News

A defesa de Ederson, 30, apontado como o sucessor do narcotraficante “Minotauro” na fronteira, entrou com um novo pedido de liberdade na justiça. Ele está preso desde o dia 19 de janeiro, após se envolver em briga de trânsito em Ponta Porã, chegou a pagar R$ 80 mil de fiança, mas teve a soltura suspensa após o Ministério Público constatar que ele apresentou uma identidade falsa às autoridades.

No novo pedido da revogação da prisão preventiva, a advogada Paula Monezzi admite que o cliente possui dois documentos de identidade, mas argumenta que “em nenhum dos nomes do acusado, contem ficha criminal, qualquer passagem pela policia ou qualquer fato que desabonasse sua conduta até o presente momento”.

Segundo o site Campo Grande News, no documento, a defesa também nega que a intensão do cliente era ter um documento brasileiro para usar no “SUS”, “enganar a justiça brasileira” ou “autoridades policiais”, mas sim se proteger caso estivesse sendo perseguido no Paraguai. Entre as alegações, Monezzi também alega que o cliente sempre colaborou com a investigação até a audiência de custódia e não oferece risco a ordem pública ou ao andamento das investigações, caso seja solto. A advogada ainda defende que Benitez só ocultou a sua verdadeira identidade “em um ato de desespero”, por medo de ir para a prisão já que nunca havia sido detido.

O pedido foi ingressado na Vara Criminal de Ponta Porã na última quinta-feira (06) e a defesa ainda aguarda a decisão da justiça.

O caso

No último dia 19 de janeiro, policias flagraram Salinas na rua, armado com pistola calibre 380, discutindo com Fábio, 23 anos, este, com pistola calibre 9 mm. Além deles, também foi preso o seu cunhado, Rodrigo, que dirigia a Toyota SW4 e, segundo os policiais, em visível estado de embriaguez.

Na delegacia, Edson e o cunhado disseram que o motorista do Gol emparelhou com a SW4, apontou uma arma para eles e fugiu. Após perseguição, a briga evoluiu para ameaças, mas foi interrompida pela polícia. Fábio alegou que começou a ser seguido depois de forçar ultrapassagem.

No carro com ele estavam a mulher, a cunhada e dois filhos de, 3 e 2 anos. Pouco antes de a polícia chegar, a família diz que ameaçada por Edson. Testemunhas relataram que Salinas gritava que “eles não sabiam com quem estavam mexendo” e chegou a mostrar uma foto no próprio celular para provar ter matado gente importante. Rodrigo foi indiciado por ameaça, porte ou posse ilegal de arma e condução de veículo sob efeito de álcool. Ele foi liberado após pagar fiança de R$ 40 mil. Edson e Fábio por ameaça e porte de arma ilegal.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREVENÇÃO
Bombas flutuantes são ativadas para garantir abastecimento de água em Corumbá
ECONOMIA
Economistas defendem investimentos públicos e taxação de ricos
INCENTIVO
Em segunda edição do programa, UEMS concede 711 auxílios para acesso à internet
POLÍCIA
Idoso é encontrado morto em valeta na região central de Itaporã
DOURADOS
Em MS, interessados em adquirir imóvel podem ter desconto no valor da entrada
ESPORTE
Vasco empata com Bragantino e entra, provisoriamente, no G4
PANDEMIA
Governo aposta que ‘Rastrear’ vai diminuir taxa de contaminação do coronavírus em MS
CONSUMIDOR
Após denúncias, Procon autua seis agências bancárias
PANDEMIA
Em um mês, mais de 5 mil aulas para primeira habilitação foram realizadas de forma online em MS
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Comissão mista se reúne para ouvir formuladores das propostas de reforma tributária

Mais Lidas

POLÍCIA
Caminhoneiro de Dourados morre ao capotar na serra de Maracaju
ATO DE FÉ
Após vigílias em frente a hospital, família celebra 'milagre' por homem que caiu do telhado
PONTA PORÃ
Polícia apreende comboio com contrabando avaliado em R$ 1 milhão
CAMPO GRANDE
Gêmeos são executados dentro de quitinete