Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
(67) 99659-5905
POLÍCIA AMBIENTAL

Arrecadação em multas por tráfico de animais em MS aumentou 447% em 2019

06 janeiro 2020 - 12h05Por Vinicios Araújo

Em 2019 a Polícia Militar Ambiental arrecadou R$ 799.000,00 em multas por tráfico de animais em Mato Grosso do Sul. O valor é 447% maior do que o arrecadado em 2018 [R$ 145.000,00]. 

O tráfico de animais silvestres, conforme a corporação, se concentra a maioria em aves, especialmente papagaios. 

No ano passado foram autuadas sete pessoas e apreendidas 345 aves, número 141,25% maior do que em 2018. Dessas aves apreendidas, 180 eram papagaios, 5 periquitos e 160 canários peruanos, estes apreendidos com uma corumbaense de 33 anos.  

No ano de 2018 foram autuados 8 traficantes e apreendidos ao todo, 143 animais, sendo: 141 papagaios, um sabiá e um coleirinho. 

Naquele período a quantidade foi 72% inferior a 2017, quando foram apreendidos ao todo 521 animais, sendo majoritariamente aves. Desses animais, 341 eram papagaios, 252 canários-da-terra, o que para a PMA não é muito comum, 2 periquitos, 4 maritacas, um azulão e 5 cardeais.

Em 2017 o total de multas aplicadas pela PMA chegou a R$ 290.000,00.

COMBATE 

Em Mato Grosso do Sul a PMA realiza operações preventivas, no sentido de evitar a retirada dos papagaios dos ninhos, ou prender os traficantes que tenham retirado poucas aves. Em 2018 e 2019 foram realizada operações conjuntas com o Ibama.

Trabalhos de informação e de Educação Ambiental que são realizados em áreas rurais são fundamentais, porque a principal estratégia dos traficantes é de aliciamento dos sitiantes e funcionários de propriedades rurais e assentados, para que retirem os animais e os avise para que os comprem. Muitas pessoas fazem isto, às vezes, sem saber que estão cometendo crime ambiental.

A região com maior índice de tráfico de animais é constituída pelos municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. Nessa área, ninhos também são monitorados pelos policiais, para evitar a retirada dos filhotes, visto que essa é a preocupação maior devido o interesse desses criminosos nos animais ainda pequenos. 


Eles optam por filhotes pois assim o aprendizado do animal em repetir a fala humana é altamente mais assertivo.

A base do trabalho é evitar a retirada dos animais, evitando custos à fauna e ao Estado, tendo em vista que a reintrodução dos filhotes na natureza exige alto investimento financeiro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Carro que atingiu ciclista pega fogo após bater em árvore ao lado de Avenida
TRAGÉDIA
Ciclista morre após ser atropelado por carro na Avenida Marcelino Pires
INFORMAÇÃO
Especialista recomenda prazo de adaptação à Lei de Proteção de Dados
PANDEMIA
Rio de Janeiro registra 10.667 mortes por coronavírus
CAMPO GRANDE
Moradores da Capital realizam ação solidária e arregacam 1t de alimentos
ESPORTES
Flamengo vence com tranquilidade e se aproxima do título estadual
DOURADOS
Acusado de matar secretário em Dourados acaba preso em barreira sanitária
LUTO
Martha Rocha, 1ª Miss Brasil, morre em Niterói, no Rio de Janeiro
PANDEMIA
Brasil chega a 1,6 milhão de casos confirmados de coronavírus
ECONOMIA
Pesquisa mostra potencial para a expansão do home office

Mais Lidas

POLÍCIA
Assassinado no Izidro é secretário de Agricultura Familiar de Dourados
PANDEMIA
Mulher morre de covid-19 logo após dar à luz em Dourados
DOURADOS
Ex-funcionário é o suspeito de matar secretário de Agricultura
CAMPO GRANDE
Jovem que estava desaparecida é encontrada morta