Menu
Busca sexta, 18 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
RIO BRILHANTE

Alvo de operação, ex-prefeito diz ser vítima de perseguição política

06 agosto 2020 - 15h20Por Adriano Moretto

Ex-prefeito de Rio Brilhante e alvo de mandados de busca e apreensão durante operação desencadeada na manhã de ontem (5/8) naquele município, Sidney Foroni usou as redes sociais na noite do mesmo dia para se defender e dizer ter sido vítima de ação contendo “interesse político”. 

Ele e outros advogados são investigados pela Polícia Civil por suspeita de coagir uma mulher mantida em cárcere privado pelo ex-namorado no mês passado. 

Celulares e computadores foram apreendidos e a casa e o escritório do ex-chefe do Executivo, visitados pelas equipes.  

“Conforme prometi, darei as minhas explicações sobre esses fatos amplamente noticiados nas mídias, meramente com interesse político, na tentativa de denegrir a minha imagem pessoal, profissional e política, pois as eleições estão se aproximando e qualquer fato negativo é explorado politicamente”, disse no início da postagem.

Ao longo do relato, ele alega ser advogado do suspeito e, posteriormente, cita a existência de um boletim de ocorrência registrado pela vítima, porém, mais tarde, retirado por ela na delegacia, causando desconfiança do delegado responsável pelo caso.    

“(...) a vítima desistiu de processar o suposto agressor e o pedido foi encaminhado ao delegado e posteriormente esse pedido foi colocado sob suspeita pelo delegado, e depois a vítima novamente voltou atrás (sic) e disse que assinou de forma pressionada tal documento”, aponta outra parte do texto.  

Logo depois, o ex-prefeito afirma que a desconfiança nas atitudes da mulher causou os pedidos de busca e apreensão para a realização de checagem de mensagens, onde supostamente poderia haver pressão à vítima. 


“No intuito de tentar demonstrar que essa moça agiu sob pressão, e que os advogados estivessem agindo com patrocínio simultâneo para beneficiar o acusado, achando que no celular dos advogados poderiam ter mensagens e documentos que pudessem comprovar que a vítima foi coagida e ameaçada, e tentando encontrar qualquer objeto ilícito como armas, etc., solicitou e fez uma busca e apreensão de nossos celulares e computadores, todos já devolvidos”, detalha Sidney Foroni.

Em sua publicação, ele ainda questiona o ‘vazamento’ da informação à imprensa da operação “que deveria ser sigilosa por sua própria natureza” e cobra ainda respostas das autoridades “que deverão investigar e punir aqueles que querem mídia gratuita, porventura vazando informações sigilosas”.

A operação

Ação desencadeada na manhã de quarta-feira (5/8) em Rio Brilhante resultou na apreensão de computadores e aparelhos de telefone celular nos escritórios de advocacia e residência dos alvos. 

Os mandados de busca e apreensão aconteceram em dois escritórios de advocacia e duas residências, uma delas, do ex-prefeito Sidney Foroni. 

O motivo da ação realizada tem como base denúncia de cárcere privado ocorrido em julho na cidade. A suspeita é que os advogados se uniram para coagir a vítima e forçá-la a assinar uma retratação. 

Caso

Uma mulher de 31 anos foi mantida em cárcere privado no mês passado pelo ex-namorado por três dias e procurou a delegacia de Rio Brilhante para denunciar o caso após ser liberada pelo homem. 

Conforme noticiado anteriormente, ela foi sequestrada no dia quatro de julho, quando aceitou uma carona do autor para buscar a filha.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME AMBIENTAL
Paulista é autuado em R$ 22 mil por desmatamento ilegal de vegetação nativa
FUTEBOL
Prefeitura do Rio autoriza volta do público aos jogos no Maracanã
CAPITAL
Um dia após pedir medida protetiva, mulher tem pertences incendiados
RECURSOS NATURAIS
Egressa da UEMS desenvolve cosméticos artesanais veganos
SÃO GABRIEL
Censurado, outdoor anti-bolsonarista amanhece com Artigo da Constituição
UFGD
Inscrições ao Vestibular de Licenciatura em Letras-Libras começam 2ª-feira
BRASILÂNDIA
Após ganhar liberdade, mulher que matou homem volta para prisão
RECURSOS
União deposita R$ 20 milhões da Lei Aldir Blanc para Mato Grosso do Sul
BATAGUASSU
Mulher é multada em R$ 3 mil por maus-tratos a seis cachorros
JUDICIÁRIO
Guedes é condenado a pagar R$ 50 mil por chamar servidores de parasitas

Mais Lidas

PERIGO POTENCIAL
Vendaval pode atingir Dourados e outras 35 cidades de MS, segundo alerta do Inmet
BNH III PLANO
Ladrões tentam invadir residência de juiz em Dourados
REGIÃO
Empresário é sequestrado e morto quando visitava túmulo do filho
ELEIÇÕES 2020
Convenções chegam ao fim e sete nomes são lançados à prefeitura de Dourados