Menu
Busca sexta, 05 de março de 2021
(67) 99257-3397

Zeca defende na Firjan desconconcentração dos investimentos

20 outubro 2003 - 13h09

O governador Zeca do PT defendeu nesta segunda-feira, em palestra para empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a desconcentração dos investimentos públicos. “Precisamos repensar o desenvolvimento e superar a secular centralização dos recursos e concentração dos investimentos no eixo Sul-Sudeste”, disse o governador, citando como exemplo a concentração de 80% dos recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e 70% das verbas federais no estados desenvolvidos, como São Paulo e Rio. O governador disse que uma das melhores saídas para as restrições fiscais é a parceria setor público com investidores privados. Ele lembrou que Mato Grosso do Sul foi um dos primeiros estados a cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e as metas de ajuste. Zeca do PT disse que pediu e o presidente Lula sinalizou com a edição e medida provisória deslocando do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) cerca de R$ 1 bilhão para o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), para financiar projetos de desenvolvimento e assegurar a expansão do agronegócio na região, já que o setor é o que mais resposta tem dado, com taxas de crescimento bem acima de outras regiões do País. Zeca do PT lembrou que o FCO é um dos organismos financeiros que tem maior liquidez, com índice de inadimplência de apenas 1,5%, quando os fundos das regiões Norte e Nordeste registram uma taxa de 48% a 50%.O governador Zeca fez uma exposição sobre as medidas de ajuste adotadas no seu primeiro governo e disse que os investimentos privados dependem, basicamente, de um “ambiente e de uma relação de confiança” em relação ao governo. Nesse sentido, lembrou “é preciso estabelecer clareza na parceria com a iniciativa privada. Mato Grosso do Sul foi pioneiro no estabelecimento de parceria real com o empresariado, não em tese”.Apesar de ser um estado como maior índice de endividamento, nos últimos quatro anos e nove meses, operou-se o maior ajuste da história do Estado e a confiança dos investidos se conquistou com a moralização da máquina, modernização do serviço público e controle absoluto dos gastos. Para o governador, a reforma da máquina foi uma medida dura, mas fundamental para reinserir o Estado no plano do desenvolvimento. Sobre as queixas em relação às restrições de investimentos públicos, em função do contingenciamento do orçamento, o governador Zeca disse que a tarefa do homem público deve ser, ao invés “do discurso da restrição com o pires na mão, o de buscar parcerias e investimentos para aumentar a produção. É muito importante que busquemos parcerias para financiar o desenvolvimento”, pregou o governador Zeca. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Jovem morre ao ser atingido por raio quando trabalhava em fazenda
PARAÍSO DAS ÁGUAS
Jovem morre ao ser atingido por raio quando trabalhava em fazenda
POLÍTICA
Secretário da prefeitura de Dourados vai à Brasília destravar projetos e obras
TRÊS LAGOAS
Vizinhos ouvem tiro, denunciam e mulher é encontrada ferida em residência
FUTEBOL
STJD indefere pedido do Vasco para anulação de jogo com o Inter
PMA realiza campanha educativa sobre atropelamentos de animais silvestres 
CORUMBÁ
PMA realiza campanha educativa sobre atropelamentos de animais silvestres 
JUSTIÇA
Weintraub é condenado por dizer que universidades cultivam maconha
PARAGUAI
Polícia acha explosivos e descobre 'tentativa de fuga em massa' de presídio
EDUCAÇÃO
Lista de espera do Prouni está disponível para consulta
TRÁFICO
Traficantes de cocaína construíam carretas para levar drogas para São Paulo
ÁPICE DA TRAGÉDIA
'Chega de mimimi. Vão ficar chorando até quando?', diz Bolsonaro

Mais Lidas

DOURADOS 
Vídeo mostra momento da colisão entre veículos em Dourados
PONTA PORÃ
Casal é assassinado na fronteira e corpos são deixados um ao lado do outro
NOVA DOURADOS
Colisão entre veículos deixa pessoa gravemente ferida em Dourados
PANDEMIA 
Secretário alerta para nova variante do coronavírus na região da Grande Dourados