domingo, 23 de janeiro de 2022
Dourados
38°max
24°min
Campo Grande
35°max
23°min
Três Lagoas
39°max
24°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Zeca defende na Firjan desconconcentração dos investimentos

20 outubro 2003 - 13h09

O governador Zeca do PT defendeu nesta segunda-feira, em palestra para empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a desconcentração dos investimentos públicos. “Precisamos repensar o desenvolvimento e superar a secular centralização dos recursos e concentração dos investimentos no eixo Sul-Sudeste”, disse o governador, citando como exemplo a concentração de 80% dos recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e 70% das verbas federais no estados desenvolvidos, como São Paulo e Rio. O governador disse que uma das melhores saídas para as restrições fiscais é a parceria setor público com investidores privados. Ele lembrou que Mato Grosso do Sul foi um dos primeiros estados a cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e as metas de ajuste. Zeca do PT disse que pediu e o presidente Lula sinalizou com a edição e medida provisória deslocando do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) cerca de R$ 1 bilhão para o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), para financiar projetos de desenvolvimento e assegurar a expansão do agronegócio na região, já que o setor é o que mais resposta tem dado, com taxas de crescimento bem acima de outras regiões do País. Zeca do PT lembrou que o FCO é um dos organismos financeiros que tem maior liquidez, com índice de inadimplência de apenas 1,5%, quando os fundos das regiões Norte e Nordeste registram uma taxa de 48% a 50%.O governador Zeca fez uma exposição sobre as medidas de ajuste adotadas no seu primeiro governo e disse que os investimentos privados dependem, basicamente, de um “ambiente e de uma relação de confiança” em relação ao governo. Nesse sentido, lembrou “é preciso estabelecer clareza na parceria com a iniciativa privada. Mato Grosso do Sul foi pioneiro no estabelecimento de parceria real com o empresariado, não em tese”.Apesar de ser um estado como maior índice de endividamento, nos últimos quatro anos e nove meses, operou-se o maior ajuste da história do Estado e a confiança dos investidos se conquistou com a moralização da máquina, modernização do serviço público e controle absoluto dos gastos. Para o governador, a reforma da máquina foi uma medida dura, mas fundamental para reinserir o Estado no plano do desenvolvimento. Sobre as queixas em relação às restrições de investimentos públicos, em função do contingenciamento do orçamento, o governador Zeca disse que a tarefa do homem público deve ser, ao invés “do discurso da restrição com o pires na mão, o de buscar parcerias e investimentos para aumentar a produção. É muito importante que busquemos parcerias para financiar o desenvolvimento”, pregou o governador Zeca. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mulher é socorrida em estado grave após colisão entre carro e carreta
SÃO GABRIEL

Mulher é socorrida em estado grave após colisão entre carro e carreta

ECONOMIA

PIS/Pasep 2022: trabalhador já pode consultar se tem direito ao abono

Morto a tiros dentro de carro estava indo cobrar dívida, diz esposa

POLÍCIA

Durante visita, homem acaba esfaqueado pela namorada do amigo

EDUCAÇÃO

MS libera quase R$ 10 milhões para reformas em escolas do interior

CORUMBÁ

Vítimas de acidente na rodovia BR-262 são pesquisador e dentista

FUTEBOL

Palmeiras estreia no Paulistão com vitória sobre Novorizontino

TRÊS LAGOAS

Ex-funcionário rouba drogaria uma semana depois de ser demitido

ECONOMIA

UFGD abre hoje período de inscrições para 15 vagas de Bolsas Cultura

TRÁFICO

Helicóptero que saiu de MS é apreendido com 250 kg de cocaína

Mais Lidas

REGIÃO

Grave acidente deixa oito mortos em rodovia

DOURADOS

Morto em confronto, além de ser suspeito de morte de menor, tinha extensa ficha criminal

DOURADOS

Dois são flagrados com droga na PED

TRÁFICO DE DROGAS

Cocaína que saiu da região de fronteira do MS é interceptada em SP