Menu
Busca segunda, 02 de agosto de 2021
(67) 99257-3397

Waldir Gerra escreve sobre o acidente com o avião da TAM

23 julho 2007 - 15h35

Os que viajam seguidamente para São Paulo e usam o aeroporto de Congonhas devem estar hoje, após tantas informações a respeito do acidente com o avião da TAM, se perguntando por que o governo não se antecipou com as providências agora sendo anunciadas?

Se nós leigos já tínhamos a noção do perigo que corríamos durante o pouso, ou na decolagem, por que o governo, com tantos dados estatísticos em suas mãos, não se antecedeu a mais essa desgraça?

Nem é necessário um ministro vir a público agora e dizer que o movimento de passageiros na última década cresceu 12% ao ano – enquanto o aumento do PIB foi pouco mais de 3%. Os milhões de brasileiros que passam pelo aeroporto de Congonhas vêem com seus próprios olhos que ali o crescimento está exagerado. O espaço não está apertado apenas para os passageiros que se espremem ao redor dos portões de embarque; ele está pequeno também para a quantidade de aviões no pátio, pois são mais de 30 decolagens por hora – isso significa que a cada dois minutos há um avião saindo de lá.

O tráfego aéreo ao redor do aeroporto também está oferecendo outro enorme perigo não porque seja pequeno, mas pelo mau funcionamento do controle aeronáutico, problema que ficou evidente na ocasião do acidente com o avião da GOL no ano passado.

O que fez até agora de prático o governo para solucionar o problema, além de procurar os culpados? Nada! Pelo contrário, errou ao se omitir sempre, inclusive agora ao demorar três dias para vir ao público para lastimar este acidente. Errou também – mas salvou-se por um triz na hora "H" – ao apoiar os sargentos insubordinados.

Até o Congresso organizou uma CPI para investigar o caso, mas para que irá servir na verdade? Como é de se esperar, se muito, apenas para apontar alguns culpados.

A confusão com os controladores de vôo, durante um ano inteiro, estava na verdade mostrando um dos menores problemas da nossa aviação: a falta de pessoal capacitado no setor. Os maiores problemas ainda estão aí vivos, em terra e no ar. São aeroportos saturados como o Congonhas; são equipamentos desatualizados e que não recebem investimentos em sua infra-estrutura há anos; são companhias aéreas gananciosas que operam aviões além do limite e se digladiam pelas rotas, especialmente após o fechamento da VARIG.

Mas o único culpado mesmo de todo o caos aéreo é, sim, o governo. Não apenas este, mas o anterior também. Se o governo sabia que o crescimento de passageiros está na ordem de 12% ao ano, por que não investiu pelo menos aqueles bilhões de reais que arrecada na venda das passagens todos os anos? Que não tenha recursos orçamentários para investir na infra-estrutura aeroportuária a gente sabe, mas os bilhões das taxas de embarque, onde estão?

Deus me ajude, pois ando com um nó no peito quando penso que esta outra desgraça pode não ser o fim desse apagão já que o setor aéreo é totalmente dependente do governo, tanto em investimentos como em sua administração. E esta outra desgraça vai mostrando ao mundo – para nossa humilhação – a nossa incompetência governamental.

* Cidadão douradense; foi vereador, secretário do Estado e deputado federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JOGOS OLÍMPICOS
Vôlei: Brasil vence Quênia e pega o Comitê Russo nas quartas em Tóquio
Agosto tem duas frentes frias previstas para primeira quinzena na região
CLIMA
Agosto tem duas frentes frias previstas para primeira quinzena na região
Julho registra queda de mais de 50% de casos e óbitos com relação a junho
BALANÇO
Julho registra queda de mais de 50% de casos e óbitos com relação a junho
Após ideia de filha, empresária cria 'varal comunitário' para ajudar quem tem frio
DOURADOS
Após ideia de filha, empresária cria 'varal comunitário' para ajudar quem tem frio
BRASIL
Apostas da Lotofácil da Independência começam hoje
VEÍCULOS MS
Assinatura de veículos: Um novo nicho de mercado
JOGOS DE TÓQUIO
Alison e Álvaro Filho passam por mexicanos e estão nas quartas de final
BAIXA UMIDADE
Há mais de 50 dias sem chuvas expressivas, Dourados tem alerta
COMER BEM
Aprenda a fazer esse maravilhoso cappuccino com ganache
TAÇA BRASIL
Magnus deixa Dourados com título inédito da competição ao vencer JEC

Mais Lidas

SP
Homem leva menina de 15 anos ao hospital e diz que ela morreu após sexo; polícia investiga
POLÍCIA
Jovem é agredida durante assalto em Dourados
PANDEMIA
Homem e mulher são mais recentes vítimas da Covid-19 em Dourados
PANDEMIA
Jovem de 21 anos e sem comorbidades é vítima do coronavírus em MS