Menu
Busca segunda, 17 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Vila Olímpica e CAPS trarão avanços, diz Geraldo

15 fevereiro 2011 - 07h16

O deputado Geraldo Resende (PMDB-MS) disse durante entrevista à Rádio Grande FM nesta segunda-feira (14), ter esperança em viabilizar um CAPS/AD – Centro de Assistência Psicossocial para Dependentes de Álcool e Drogas na Reserva Indígena de Dourados. Durante a entrevista Geraldo reafirmou as articulações para que a presidenta Dilma Roussef visite Dourados para inaugurar, junto com o ministro dos Esportes, Orlando Silva, a Vila Olímpica Indígena. A obra segue o cronograma, mas o período de chuvas pode retardar a inauguração, inicialmente prevista para o dia 19 de Abril. A falta de mão-de-obra qualificada também prejudica o andamento das obras, segundo o deputado.

Geraldo disse que o ministro Orlando Silva já colocou a Vila Olímpica em sua agenda, assegurando sua presença na inauguração, independentemente de data. Mas vai continuar articulando para trazer a presidenta, em razão do alcance social da obra.

A ideia é aproveitar o evento para lançar o projeto do CAPS indígena, simbolizando a conjugação de duas ações importantes para superar a situação de violência nas aldeias. Segundo Geraldo, a Vila Olímpica vai dar oportunidade da prática de esportes e também será uma praça de integração, servindo de palco para grandes competições, além de oferecer espaços para prática de esporte e lazer na reserva, contribuindo para redução dos índices de violência e consumo de drogas. As ações se completariam com o CAPS, para tratar os dependentes químicos. "Considero a reserva como um bairro, com todas as mazelas".

Segundo Geraldo, o ministro Alexandre Padilha (Saúde) já sinalizou apoio à implantação do CAPS para atende pacientes com transtornos decorrentes do uso e dependência de drogas. Hoje são consumidas drogas ilícitas (maconha e crack) e lícitas (álcool). "Acredito que o lazer é uma alternativa para os jovens marginalizados e entregues às drogas e a prostituição", disse Geraldo.

Vila Olímpica|

Para tornar possível a implantação da primeira Vila Olímpica Indígena, cujas obras começaram em 13 de maio de 2008, o deputado Geraldo Resende apresentou, no Orçamento Geral da União/2006, uma emenda individual de R$ 400 mil no Ministério dos Esportes e convenceu seu colega Fernando Gabeira (PV-RJ) a destinar uma outra emenda de R$ 300 mil para a mesma obra. Além disso, a Prefeitura investiu, como contrapartida, mais R$ 180 mil, totalizando R$ 800 mil. Em 2008, Geraldo apresentou outra emenda de R$ 750 mil, sendo que o Estado está investindo mais R$ 83.333,33.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Parceria garante computadores a escolas indígenas
DOURADOS
Parceria garante computadores a escolas indígenas
Jovem invade apartamento e furta celular e tablet
DOURADOS
Jovem invade apartamento e furta celular e tablet
Novo decreto de emergência é publicado e modifica texto do ano passado
DOURADOS
Novo decreto de emergência é publicado e modifica texto do ano passado
Secretário acompanha obras e fala de investimento em infraestrutura para Dourados
MELHORIAS
Secretário acompanha obras e fala de investimento em infraestrutura para Dourados
BRASIL
Governo espera que IFA para o Butantan chegue até o fim de maio
EDUCAÇÃO
Startup da Inova Unigran é vice-campeã do Techstars Startup Weekend Sustentabilidade
HABITAÇÃO
Escrituras do programa de regularização fundiária são entregues em Dourados
PANDEMIA
Equipamentos são entregues para desafogar fila de espera por UTI Covid em Dourados
DOURADINA
Homem é multado em R$ 15 mil por incêndio e desmatamento de área de Mata Atlântica
LEGISLATIVO
Emenda de Barbosinha aperfeiçoa funcionalidade do Cartório Virtual em MS

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Após discussão, jovem bate veículo em poste e namorada que estava no capô morre
POLÍCIA
'Apaixonado', rapaz furta objetos na PED para ser preso e reencontrar marido
FEMINICÍDIO
Mulher baleada na cabeça pelo ex-marido morre no hospital
REGIÃO
Mulher mata o marido a facadas após discussão em MS