Menu
Busca sábado, 31 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Um terço das espécies de anfíbios corre perigo de extinção

15 outubro 2004 - 15h19

Um terço das espécies de anfíbios --entre sapos, pererecas e salamandras de todo o mundo-- corre perigo de extinção, revela estudo publicado pela revista "Science".As espécies mais ameaçadas estão na América Latina. Ao total, 1.856 espécies de anfíbio pelo globo correm perigo de sumir. São 110 só no Brasil. No Haiti, o país mais pobre da região, 92% das suas espécies correm perigo de extinção.Participaram da avaliação mais de 500 cientistas de 60 países. Eles estudaram 5.743 espécies nos últimos três anos e chegaram à conclusão que 32% delas corre risco.Os anfíbios são tidos como os primeiros organismos biológicos avançados a sofrer os problemas das alterações climáticas, principalmente as que afetam a água e o ar."Os anfíbios são o melhor indicador que a natureza tem sobre a saúde ambiental", diz Russel Mittermeier, presidente da organização ecológica Conservation International."O seu catastrófico declínio constitui uma mensagem de advertência no sentido de que estamos num importante período de degradação.".O estudo constata ainda que pelo menos nove espécies de anfíbios desapareceram da face do planeta desde 1980, quando se iniciaram as alterações climáticas mais importantes.Além destas, há outras 113 espécies que não têm sido vistas nos últimos anos e que estarão também possivelmente extintas.Tanto no território continental americano como no Caribe e na Austrália, os anfíbios são afetados por uma doença infecciosa chamada quitridiomicosis, que poderá estar ligada à seca.Todavia, na maioria dos casos a ameaça maior é a destruição do habitat, a contaminação da água e do ar."Como a maioria dos anfíbios depende da água doce para viver e sente os efeitos da poluição antes de outras formas de vida, incluindo a humana, o seu rápido declínio diz-nos que um dos sistemas cruciais de apoio à vida neste planeta está desmoronando", comentou Simon Stuard, que coordenou a pesquisa."Já sabíamos que os anfíbios tinham problemas, mas esta avaliação elimina qualquer dúvida sobre a magnitude deles", disse Bruce Young, zoólogo do grupo ecologista NatureServe.Para Trevor Beebee, da Universidade de Sussex, na Inglaterra, os anfíbios podem representar um tipo de aviso semelhante ao dos canários que os mineiros costumavam levar consigo --essas aves são sensíveis aos gases perigosos que podem surgir nas minas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde encerra distribuição de senhas para vacinação em UBS de Dourados
6 MIL DOSES
Saúde encerra distribuição de senhas para vacinação em UBS de Dourados
Hospital do Câncer de Presidente Prudente é credenciado ao SUS
BRASIL
Hospital do Câncer de Presidente Prudente é credenciado ao SUS
PM prende homem com carro adulterado e espingarda calibre 12
MS
PM prende homem com carro adulterado e espingarda calibre 12
BRASIL
PF prende falsificador de cédulas foragido há 5 anos
Prefeitura informa novo recorde de vacinação com 7,6 mil doses em 24 horas
COVID-19
Prefeitura informa novo recorde de vacinação com 7,6 mil doses em 24 horas
PANDEMIA
Covid-19: Espanha libera entrada de voos do Brasil
STF
Ministro Alexandre de Moraes mantém prisão de denunciado por golpes milionários na internet
COVID-19
Anvisa recebe pedido para testes de vacina desenvolvida pela UFMG
JUSTIÇA DO TRABALHO
Carreteiro não será indenizado por dano existencial por jornada exaustiva
FALTOU CHUVA
Julho de 2021 chega ao fim entre os mais secos da história de Dourados

Mais Lidas

ACIDENTE DOMÉSTICO
Após discussão com entregador jovem acaba ferido
PARAGUAI
Militares executados na fronteira eram sargentos da FTC
PONTA PORÃ
Bilhete ao lado de corpo esquartejado indica próximos "alvos" de criminosos
CLIMA
Dourados bate recorde de frio no ano com geada forte