Menu
Busca sexta, 05 de março de 2021
(67) 99257-3397

TST mantém correção de multa de 40% do FGTS

23 março 2004 - 07h21

Um dos principais temas sob discussão nas Turmas do Tribunal Superior do Trabalho, atualmente, corresponde à reposição dos expurgos inflacionários na multa de 40% do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A decisão mais recente sobre o tema foi tomada pela Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho. Adotando o posicionamento da juíza convocada Wilma Nogueira, relatora de um recurso envolvendo a Rede Ferroviária Federal e um ex-empregado, os integrantes do órgão do TST chegaram a uma conclusão conforme o caso concreto. Entendeu-se que o marco inicial para a prescrição do direito de propor a ação foi a data da edição da Lei Complementar nº 110, de 29 de junho de 2001. A legislação referida pela Terceira Turma é a que autorizou créditos de complementos de atualização monetária em contas vinculadas do FGTS. “No caso vertente, o empregado tomou conhecimento de seu direito à correção dos depósitos do FGTS a partir do advento da Lei Complementar nº 110 de 29/6/2001, sendo este o marco inicial para a contagem do prazo da prescrição de seu direito de ação”, assinalou a relatora ao votar e estabelecer o momento de abertura do prazo prescricional que, na Justiça do Trabalho, se estende até dois anos após o rompimento do contrato de trabalho. Segundo Wilma Nogueira, a definição do início da contagem do prazo com base na data de edição da lei complementar deveu-se a uma peculiaridade judicial, “visto que não há nos autos elementos que informem se o reclamante fez parte de alguma ação na Justiça Federal assegurando diferenças de correção de tais depósitos do FGTS, quando então o prazo prescricional iniciaria com o transito em julgado desta decisão judicial”. Como a reclamação trabalhista foi interposta em 26 de junho de 2003, data anterior aos dois anos de edição da Lei complementar nº 110, o TST negou o recurso da empresa e confirmou o direito do ex-empregado da RFFSA (em regime de liquidação extrajudicial) às diferenças da multa de 40% sobre o saldo do FGTS, concedido pelo TRT de Minas Gerais. Segundo a tese da Rede Ferroviária, afastada pelo TST, o prazo para o trabalhador buscar a correção do valor da multa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia usa drone para achar e prender suspeito de planejar morte de policial
LADÁRIO
Polícia usa drone para achar e prender suspeito de planejar morte de policial
IMUNIZANTE
Covid-19: Moderna confirma 13 milhões de doses da vacina para o Brasil
Motorista que saiu de MS é preso com cocaína em Minas Gerais
POLÍCIA
Motorista que saiu de MS é preso com cocaína em Minas Gerais
JUDICIÁRIO
TJ/MS divulga resultado da prova de sentença do Concurso da Magistratura
GPS e drone descobrem área de vegetação desmatada ilegalmente 
NOVA ANDRADINA
GPS e drone descobrem área de vegetação desmatada ilegalmente 
FUTEBOL
Lances de mão na bola terão novas regras; entenda o que muda
BATAGUASSU
Homem é encontrado morto com tiros na cabeça em área de pasto
PANTANAL
Agesul interdita parcialmente ponte na MS-243, na região do Nabileque
CORUMBÁ
Bombeiros suspendem buscas por homem desaparecido há 12 dias em fazenda
PAGAMENTO
Guedes diz que governo antecipará 13º de idosos e dos 'mais frágeis'

Mais Lidas

DOURADOS 
Vídeo mostra momento da colisão entre veículos em Dourados
PONTA PORÃ
Casal é assassinado na fronteira e corpos são deixados um ao lado do outro
NOVA DOURADOS
Colisão entre veículos deixa pessoa gravemente ferida em Dourados
PANDEMIA 
Secretário alerta para nova variante do coronavírus na região da Grande Dourados