Menu
Busca sábado, 30 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Três Lagoas no topo das exportações de Mato Grosso do Sul

19 janeiro 2010 - 17h38

As exportações de Três Lagoas deram um salto de 2.100% em 2009 e colocaram a cidade no topo das exportadoras de Mato Grosso do Sul. O valor comercializado com outros países passou dos modestos US$ 15 milhões, em 2008, para US$ 347 milhões no ano passado. A fome internacional pela matéria-prima do papel – a pasta química da madeira responde por 70% das exportações – explica o crescimento digno da economia chinesa. E o país asiático não contribui apenas como objeto de comparação para desempenho das exportações de Três Lagoas. O papel da China é maior: suas compras na cidade sul-mato-grossense pularam de US$ 3,5 milhões para US$ 117 milhões em um ano, expansão de 3.000%.

Os EUA também aumentaram seu peso na importação do lugar, e compraram US$ 15 milhões no ano anterior. Mas é a Ásia que, ao lado da Europa, representa 87,9% das importações de Três Lagoas.

Enquanto os asiáticos foram às compras na cidade que agora é líder estadual em exportação, brecaram a importação de Corumbá em 63% em 2009. Com o setor de minério de ferro em baixa (queda de 52% nas vendas), a cidade amargou queda de 58% nas exportações (US$ 186,9 milhões) e saldo negativo de US$ 1,4 bilhão na balança comercial. Apenas a Aladi – bloco econômico formado por países sul-americanos, Cuba e México – aumentou as compras em 371%, passando de US$ 11 milhões para US$ 54 milhões.

Dourados cai
A arrancada de Três Lagoas e o mau desempenho na comercialização com outros países rebaixaram Dourados no ranking de exportadores. O total exportado pela cidade teve queda de 67% em 2009, passando de US$ 286,9 milhões para US$ 93 milhões, pior resultado desde 2005.

A França reduziu as importações em 35%, acompanhada por Venezuela (-10%), Hong Kong (-58), China (-89%), entre outros.

Os segmentos que mais impactaram as exportações com suas baixas foram o de bagaço e resíduos de soja (-48%), óleo de soja (-60%), carnes de suíno (-82%), entre outros.

Capital cresce
A balança comercial de Campo Grande ficou positiva em US$ 97 milhões. A cidade teve aumento nas exportações de 16,7% (US$ 274,3 milhões) e queda nas importações de 8% (US$ 176,9 milhões).

A Rússia foi a maior compradora (US$ 79,9 milhões), aumentou suas importações da cidade em 86% em relação a 2008, e representaram quase 30% das vendas de Campo Grande. A carne desossada, fresca ou congelada representa 64,6% das exportações (US$ 160 milhões).

A China comprou 43% menos e perdeu importância como parceiro comercial, assim como a União Europeia, que reduziu importações em 39%. Já Hong Kong surpreendeu, com importação 336% maior (US$ 31,9 bilhões).

Deixe seu Comentário

Leia Também

DURANTE A PANDEMIA
Saiba quais foram as maiores lives musicais realizadas na internet
SOLIDARIEDADE
Ação de ONG leva roupas e itens de higiene para famílias de Campo Grande
BRASIL
Parques e igrejas de maior porte reabrem no DF na quarta-feira
CORRIDA ESPACIAL
SpaceX e Nasa lançam foguete com astronautas nos EUA
BRASIL
Cidade de São Paulo prorroga quarentena até 15 de junho
"RAÍZES"
Documentário sobre sacis filmado em MS tem estreia online em junho
EM MIRANDA
Mulher é estuprada após ser levada para quintal de residência
REDES SOCIAIS
Bolsonaro tira fotos sem máscara após ir a lanchonete em Goiás
NA CAPITAL
Criança fica ferida ao ser atropelada por moto em avenida de Campo Grande
RELAÇÕES INTERNACIONAIS
EUA anunciam mais US$ 6 mi para ajudar Brasil no combate à pandemia

Mais Lidas

DOURADOS
Protocolo é seguido e mulher vítima do coronavírus é enterrada sem despedida de familiares
MAIORIA JOVENS
Vítima fatal da Covid-19 faz parte da faixa etária com mais casos da doença em Dourados
COVID-19
Curva segue ascendente e Dourados ultrapassa 200 casos de coronavírus
PANDEMIA
Comitê diz que Dourados não é epicentro do novo coronavírus e descarta lockdown