Menu
Busca sábado, 18 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
ELEIÇÕES 2014

TRE-DF nega registro das candidaturas de Arruda e de Jaqueline Roriz

13 agosto 2014 - 09h37

O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) aprovou hoje (12) a impugnação e negou o registro da candidatura de José Roberto Arruda (PR) ao governo do Distrito Federal com base na Lei da Ficha Limpa. Na mesma sessão, o TRE-DF também impugnou o registro de Jaqueline Roriz (PMN) ao cargo de deputada federal.

O tribunal acatou o pedido feito pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), que entendeu que o ex-governador e Jacqueline Roriz não poderiam concorrer ao pleito por terem sido condenados em segunda instância por crime de improbidade administrativa.

A maioria dos desembargadores seguiu o voto do relator, desembargador Cruz Macedo. O desembargador argumentou que a legislação determina o impedimento de candidaturas de pessoas condenadas pela Justiça em segunda instância.

No dia 9 de julho, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) condenou Arruda e a deputada federal Jaqueline Roriz em segunda instância por improbidade administrativa. A ação é referente à Operação Caixa de Pandora, que investigou o esquema de corrupção que ficou conhecido como Mensalão do DEM.

A defesa de Arruda e de Jaqueline pleiteou o deferimento da candidatura com base na Lei nº 9.504/97, que estabelece as normas para as eleições e coloca a data da formalização do pedido de candidatura como marco legal para verificação das condições de elegibilidade. O advogado dos réus, Francisco Emerenciano, argumentou que a condenação ocorreu após o prazo para o pedido de registro de candidatura na Justiça Eleitoral e que, portanto, não poderia ser enquadrado pela Lei da Ficha Limpa e, consequentemente, ser considerado inelegível.

Apesar das argumentações de Emerenciano, os desembargadores mantiveram o entendimento de que prevalece o que determina a Lei da Ficha Limpa, que considera inelegível o candidato que for condenado em sentença transitada em julgado ou em decisão proferida por órgão colegiado. Para os desembargadores, o deferimento da candidatura iria ferir os princípios da moralidade e probidade administrativa.

Mesmo com a decisão, Arruda poderá seguir em campanha até que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decida a questão em última instância. O mesmo ocorre com Jacqueline Roriz.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Jovem de 19 anos morre em acidente com motocicleta
CAPITAL
Jovem de 19 anos morre em acidente com motocicleta
TELEFONIA
Governo edita decretos para tentar destravar licitação do 5G
Casal é preso por golpe ao vender carro alugado e alegar "furto"
Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
OPORTUNIDADE
Fundação de Cultura seleciona artesãos para participar de duas Feiras
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
CAMPINAS
Grávida, Geisa Oliveira, ex seleção de basquete, morre aos 42 anos
DOURADOS
Faculdade Intercultural Indígena publica moção contra o marco temporal
FOGO AMIGO
Militar baleado ao defender mulher na rua recebe alta de hospital
ESPORTE
Dourados enfrenta Miranda na semifinal da Copa Morena neste sábado
PARAGUAI
Com mandado de prisão em abertos, brasileiro é expulso do Paraguai
EDUCAÇÃO
UEMS regulamenta retomada gradual das atividades presenciais

Mais Lidas

DOURADOS
Morto durante o trabalho em fazenda tinha 26 anos
ACIDENTE DE TRABALHO
Maquinário cai e mata trabalhador em fazenda entre Dourados e Itahum
24 HORAS DE VACINA
Dourados terá 'viradão' da vacina para aplicar doses em cinco grupos
REGIÃO
Casal precisa ser socorrido após carro quase ser "engolido" pela chuva