Menu
Busca quarta, 25 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
SAÚDE & BEM - ESTAR

Transtorno obsessivo compulsivo – é preciso domar essa fera!

31 outubro 2020 - 06h00Por Uisney Gomes Portella

- Será que fechei a porta?
- Sério, será que fechei a porta? 
Já estava na rua quando essa dúvida me consumiu. Tive que voltar e conferir. A pobrezinha estava fechada. Caminhei algumas centenas de metros e a dúvida retornou como uma febre alta: Será que fechei a porta? Acho que não! Preciso conferir! Novamente retornei e... a porta estava fechada! Essas idas e vindas me custaram trinta longos minutos de angústia e incerteza; MAS A PORTA ESTAVA FECHADA DESDE A PRIMEIRA VEZ!

Sinceramente, você já passou por isso? Aquela dúvida se o alarme do carro está acionado, se fechou a janela por causa da chuva que caiu de repente, enfim tantas situações cotidianas que põem dúvidas em nossas certezas. Contudo, não é a essa dúvida corriqueira a que me refiro. Estou falando de uma necessidade de verificação repetida duas, cinco, dez vezes, que se torna um obstáculo à naturalidade das atividades diárias. São pessoas que perdem compromissos, vivem sobressaltadas, não suportam que algo saia dos padrões estabelecidos por elas. Esse sofrimento tem nome: Transtorno Obsessivo Compulsivo, ou simplesmente TOC. Quem passa por isso sabe o quanto é difícil. É como viver corrigindo, alinhando, fechando, conferindo, limpando, o tempo todo! Vamos conversar sobre isso? Convido você a ler a matéria. Vamos lá? Antes um teste rápido...

O que é o transtorno obsessivo compulsivo (toc)?

Em primeiro lugar, temos que dizer que nem toda mania é TOC. Ufa! Algumas pessoas podem respirar aliviadas! A mania é um comportamento repetitivo, que traz uma certa “zona de conforto”, mas não traz nenhum tipo de prejuízo, caso não seja realizada numa determinada ocasião. Estamos falando, por exemplo, dos chinelos em determinado lugar do quarto. Quando sua esposa (ou marido) o retira do lugar, aparece aquela pequena vontade de gritar uma palavra bem bonita. Depois de localizados, é só pedir para que não sejam retirados do lugar, porque você gosta deles ali. A vida segue. Portanto, por mais estranhas que sejam as manias, não cabe a ninguém julgá-las, não há prejuízos ao funcionamento do indivíduo.

Antes de definir o Transtorno Obsessivo Compulsivo, gostaria de apresentar dois conceitos importantes. O primeiro é obsessão. O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM 5), da Associação Americana de Psiquiatria a define como pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que são vivenciados como invasivos e indesejados. O segundo, é o conceito de compulsão. O mesmo manual diz que se trata de comportamentos repetitivos ou atos mentais que um indivíduo se sente forçado a executar, em resposta a uma obsessão ou de acordo com regras que devem ser aplicadas rigidamente.

Definidas obsessão e compulsão, é o momento de montar esse mosaico de sentimentos e comportamentos, chamado de TOC. Ele é um transtorno que causa grande sofrimento psíquico, pois, faz com que a pessoa sinta aflição, medo e tentativas frustradas de ignorar a obsessão e a compulsão. Surge uma sufocante necessidade de ceder aos pensamentos invasivos e indesejados. Assim, o indivíduo passa a apresentar atos repetitivos e estereotipados. Lembram do exemplo inicial de verificar duas, cinco, dez vezes, se a porta está fechada? 

A literatura especializada diz que o TOC tem origem em fatores temperamentais como a inibição do comportamento na infância. Os fatores ambientais como abuso físico e sexual na infância e uma síndrome autoimune pós-infecciosa também podem contribuir para o desenvolvimento do transtorno. Contudo, os fatores genéticos e fisiológicos são os mais alarmantes. Segundo o DSM 5, parentes de primeiro grau de adultos com o transtorno desenvolvem duas vezes mais o TOC, do que parentes de primeiro grau daqueles sem o transtorno.

É importante falarmos dos tipos de TOC, para que esta matéria alcance bons níveis de informação. O primeiro tipo é o de organização e limpeza. Nesse caso, o paciente apresenta preocupação excessiva com sujeira ou contaminação, seguida de compulsões por limpeza, lavagens excessivas e necessidade de evitar tocar em objetos ou frequentar lugares considerados sujos ou contaminados. Além disso, tende a organizar por cores, tamanhos, formatos, utilidades, enfim tudo aquilo que considera “desorganizado”. 

O segundo tipo é o de dúvidas e verificações. Nele, o indivíduo manifesta elevado medo de falhar por isso, ocorrer um prejuízo significativo ou desastre (a casa incendiar, alagar, ser invadida, etc.). Como o medo de falhar é muito alto, algumas pessoas com esse transtorno se esquivam de assumir responsabilidades, o que compromete relacionamentos e rendimento profissional. 

Outro tipo de TOC que merece destaque é o que se origina de pensamentos e impulsos. Nesse caso, ocorrem os chamados “maus pensamentos”, “pensamentos ruins” ou simplesmente pensamentos impróprios. O indivíduo é profundamente invadido por pensamentos de conteúdo agressivo ou com cenas violentas, de conteúdo sexual impróprio, de culpa excessiva diante de “pecados” cometidos, e de catástrofes. 

O tipo de TOC que envolve sequências e coleções faz com que a pessoa apresente comportamento de contar mentalmente enquanto realiza uma determinada atividade ou de repetir certas tarefas, ou certos comportamentos que envolvem determinação de quantidades, número de repetições, ordem numérica, dentre outros. Por exemplo, uma pessoa pode subir as escadas de dez andares de um edifício, contando os degraus. Caso se perca a contagem ou fique em dúvida sobre a quantidade exata de degraus, sobe e desce as escadas, quantas vezes forem necessárias, até que tenha certeza da contagem.

Os prejuízos funcionais causados pelo transtorno obsessivo compulsivo

Caro(a) leitor(a), gostaria de ressaltar que as compulsões e obsessões não são voluntárias ou prazerosas para a pessoa com TOC.  Muito pelo contrário. Elas são indesejadas, cansativas e estressantes e causam extremo sofrimento e ansiedade, em grande parte das pessoas diagnosticadas com esse transtorno. Ter uma compulsão e/ou obsessão consome muito tempo útil do dia. O desconforto que causam faz com que o indivíduo repita, repita, repita, repita, até que tenha uma mínima dose de conforto com o que acabara de fazer. Com isso, a rotina diária, a vida social, afetiva, familiar e profissional fica extremamente comprometida.

O TOC, de acordo com a gravidade dos sintomas, proporciona uma deterioração da qualidade de vida. Imaginem perder mais de uma hora, entre idas e vindas, para tentar acabar com uma sufocante dúvida. Quanto de vida social, lazer e prejuízos profissionais decorrem do tempo dispendido em obsessões e compulsões? Além disso, a pessoa desenvolve uma tendência natural de se esquivar de situações que podem desencadear as obsessões ou compulsões. Isso restringe gravemente o funcionamento psicológico equilibrado do indivíduo. Por exemplo, a obsessão por limpeza, que causa preocupação excessiva com sujeira, germes e contaminação pode impedir que a pessoa com TOC busque atendimento médico, hospitalar, odontológico, desenvolvendo doenças ou agravando quadros relativamente simples. 

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2020, o transtorno estará entre os dez motivos mais importantes de comprometimento por doença afetando cerca de 2,5% da população mundial. Como visto até aqui, de acordo com a gravidade dos sintomas, é como se a pessoa estivesse lutando contra um ser mais forte do que ela. Seria como tentar montar em um touro bravo. 

A psicoterapia é fundamental para o tratamento do transtorno obsessivo compulsivo

Como vimos o TOC afeta relevante parcela da população mundial. Por outro lado, é necessário ressaltar que não são todas as compulsões e obsessões que incapacitam o indivíduo. Ou seja, como quase todos os tipos de transtornos psicológicos, o TOC possui gradações de acordo com a intensidade dos sintomas. O que determina a gravidade do transtorno é a capacidade de lidar com ele. Contudo, esse transtorno, quando não controlado, será agravado com o passar do tempo. Com isso, o sofrimento da pessoa aumenta e podem aparecer comorbidades como a depressão, que pode levar a pessoa a problemas mais graves como a ideação suicida.

O TOC é um transtorno abordado com sátira em filmes e programas televisivos. No entanto, a partir do que foi lido, podemos imaginar o grau de sofrimento vivenciado pelas pessoas diagnosticadas com Transtorno Obsessivo Compulsivo. Elas não adotam voluntariamente os sintomas descritos neste texto. Pelo contrário, elas experimentam uma verdadeira batalha contra suas compulsões e obsessões, até o limite do suportável, momento no qual são forçadas a ceder a esses pensamentos e comportamentos, dando vazão às repetições, como forma de aliviar a angústia que sentem.

Felizmente o TOC pode ser tratado e controlado. Em alguns casos, é impositivo o uso de medicamentos prescritos por médicos psiquiatras. EM TODOS OS CASOS a psicoterapia é uma excelente aliada no processo de retomada do autocontrole. Não é preciso deixar que os sintomas se agravem para buscar ajuda. Quanto mais brandos, maiores as chances de sucesso no tratamento. Reflita sobre isso! Busque ajuda profissional. Não há nada perdido! 

Lute por você. Lute por quem você ama. Viver é um dom! Viver bem é uma possibilidade mais próxima do que se imagina! Agende sua sessão de terapia. Aguardo seu contato.

Telefone: (67) 99660-8147

Facebook: Uisney G. Portella Psicólogo

https://uisneypsico.com.br

Rua Toshinobu Katayama 1350, Sala 7, Galeria Planalto, Vila Planalto, Dourados - MS

 

Leia Também

Carga de agrotóxico avaliada em R$ 5 milhões é apreendida em carreta
CONTRABANDO
Carga de agrotóxico avaliada em R$ 5 milhões é apreendida em carreta
Agronegócio vê clima favorável para desenvolvimento da soja em MS
ESTADO
Agronegócio vê clima favorável para desenvolvimento da soja em MS
Homem é morto a tiros após briga causada por cachorro
PONTA PORÃ
Homem é morto a tiros após briga causada por cachorro
Entreposto da droga é fechado após adolescente ser flagrado com entorpecente
DOURADOS 
Entreposto da droga é fechado após adolescente ser flagrado com entorpecente
LEGISLATIVO DE MS
Deputados devem votar cinco propostas na Ordem do Dia desta quarta-feira
EDUCAÇÃO
Candidatos infectados por covid-19 terão nova chance de fazer Enem
INFORME PUBLICITÁRIO
Restaurante Máximo's, higiene e qualidade acima de tudo
CAMPO GRANDE
Homem executado com três tiros na cabeça é identificado como "BMW do PCC"
TRÁFICO
Polícia encontra mais de 3,5t de maconha em caminhonete
DOURADOS
Trabalhos da comissão de transição começam oficialmente hoje

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Mulher esfaqueia ex após discussão em hotel no Centro de Dourados
ENTERPRISE
Operação contra tráfico internacional de cocaína cumpre mandado de prisão em Dourados
CAPITAL
Funcionária de restaurante é presa em flagrante após furtar dinheiro do caixa
CRIME BÁRBARO
Suspeita de esquartejar e colocar corpo de namorado em malas se entrega à polícia