Menu
Busca quarta, 28 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Trabalhadores sem-terra aperfeiçoarão técnicas de teatro

20 outubro 2004 - 14h03

Dando continuidade ao trabalho de formação dos atores e atrizes do MST-MS (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra de Mato Grosso do Sul) será realizado agora em outubro uma oficina integrante da segunda edição do Terra, Teatro e Cidadania. Quarenta e cinco pessoas participarão do encontro que acontecerá em Sidrolândia entre os dias 19 e 28, no Centro de Capacitação do Assentamento Geraldo Garcia. Entre as atividades programadas estão o aprendizado do trabalho com Fantoches - Produção e Manipulação, que será ministrado pela produtora cultura de Campo Grande, Andréa Freire. Segundo Alessandra Moraes, do setor de cultura do MST-MS e integrante do Grupo Utopia de Teatro, a opção de começar a contar com os fantoches nas peças que tratam principalmente de temas de formação sócio-políticas é para "conseguir atingir o público infantil, além de chamar a atenção dos adultos", afirmou.O produtor e diretor de teatro, José Fernando (Grupo Teatro de Narradores/SP), passará aos sul-mato-grossenses um pouco mais sobre o teatro épico, que inclui a forma de linguagem, o aperfeiçoamento e a abordagem das questões políticas. E Rafael Vilas Boas, da Brigada Nacional do Patativa do Assaré, terá como tema o teatro do oprimido e a discussão sobre a organização do setor de cultura do movimento.Alessandra Moraes conta que outras regiões também estão organizando oficinas para formação dos grupos teatrais. Em Mato Grosso o encontro acontecerá de 10 a 20 de outubro e no Distrito Federal será de 27/11 a 3/12. Já no mês de novembro está previsto uma atividade envolvendo representantes de cada Estado do Centro-Oeste.Terra, Teatro e Cidadania I - Em 2003 o projeto, que tem apoio do Governo do Estado, chegou a mais de 150 pessoas em MS, que hoje estão organizadas em sete grupos representando as várias regionais do Estado. Ao todo, estão envolvidas hoje com o setor de cultura do MST-MS mais de 300 pessoas. "Todos os grupos de alguma forma, mesmo que os integrantes estejam separados porque cada um mora em uma área, se reúnem e fazem apresentações para debater alguma questão", explicou Alessandra Moraes. Entre os temas políticos preferidos para criação de peças estão a Alca (Área de Livre Comércio das Américas) e alimentos transgênicos. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Veículo carregando com 200 quilos de maconha é apreendido na BR-267
Veículo carregando com 200 quilos de maconha é apreendido na BR-267
JUDICIÁRIO
Gilmar Mendes manda PGR se manifestar sobre investigação de Braga Netto
Jovem é agredida por tio após ele encontrar teste de gravidez no banheiro
Atleta de MS, Leonardo de Deus termina final dos 200m borboleta longe do pódio
JOGOS DE TÓQUIO
Atleta de MS, Leonardo de Deus termina final dos 200m borboleta longe do pódio
Frio: prefeitura cria força-tarefa para atender pessoas em situação de rua
DOURADOS
Frio: prefeitura cria força-tarefa para atender pessoas em situação de rua
Brasileiro acusado de feminicídio é deportado do Paraguai
EDUCAÇÃO
IFMS abre matrículas da 2ª chamada para cursos de qualificação profissional
MEIO AMBIENTE
PMA resgata filhote de veado em quintal de residência em Guia Lopes
CREDENCIAMENTO
Escolagov divulga pontuação de candidatos em processo seletivo
FRONTEIRA
Polícia prende acusado de tentativa de estupro contra estudantes de medicina

Mais Lidas

ESTRELA PORÃ
Homem que atropelou e matou adolescente de 13 anos é preso em Dourados
DOURADOS
Acidente no Centro deixa motociclista com fratura na perna e motorista foge
DOURADOS
Preso, jovem afirma ter bebido e que fugiu por medo de linchamento
DOURADOS
Drogas e submetralhadora são apreendidos no Idelfonso Pedroso