Menu
Busca segunda, 21 de junho de 2021
(67) 99257-3397

TJ proíbe transmissão do julgamento de Suzane

02 junho 2006 - 17h15

O desembargador José Damião Pinheiro Machado Cogan, da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, proibiu nesta sexta-feira o ingresso de jornalistas no plenário do Tribunal do Júri, com o objetivo de transmissão televisiva ou gravação dos debates, durante o julgamento em que figuram como réus Suzane Louise Von Ritchofen e dos irmãos Daniel e Cristian Cravinhos. A decisão atende a um pedido de habeas-corpus impetrado pela defesa da ré Suzane Louise Von Ritchofen, argumentando que a transmissão da sessão causaria constrangimento, tanto à sua cliente quanto aos jurados. A decisão assegura, no entanto, a presença de cerca de 30 jornalistas no Tribunal do Júri, para o desenvolvimento de seus trabalhos.    

Deixe seu Comentário

Leia Também

Três pacientes aguardam por leitos de UTI Covid em Dourados
SISTEMA DE SAÚDE
Três pacientes aguardam por leitos de UTI Covid em Dourados
IMUNIZAÇÃO
Brasil recebe lote de vacinas da Pfizer pelo consórcio Covax Facility
ESPORTES
Liga das Nações: Brasil termina 1ª fase com vitória e enfrenta Japão
CULTURA
Exposição com obras de Conceição dos Bugres fica no Masp até janeiro
POLÍTICA
Congresso recebe iluminação verde para incentivar preservação ambiental
PANDEMIA
Brasil registra 17,9 milhões de casos de covid-19 e 501,8 mil mortes
POLÍTICA
Vereadores votam LDO da Capital na terça-feira com projeção de R$ 4,669 bilhões
BRASILEIRO
Ceará domina Inter fora de casa, mas duelo acaba empatado
REGIÃO
Jovem é detido por populares após roubar de cerveja em conveniência
ESPORTES
Judô paralímpico do Brasil vai quatro vezes ao pódio na Inglaterra

Mais Lidas

ASSASSINATO
Investigações apontam que mulher foi atraída para o local do crime por proposta de trabalho
VIVAL DOS IPÊS
Com suspeita de latrocínio, mulher é encontrada morta em Dourados
LAGUNA CARAPÃ
Veículo de mulher morta em Dourados é encontrado
REGIÃO
Preso, motorista de Corolla que matou moto entregador nega "racha"