Menu
Busca quinta, 26 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
Japorã

STJ nega laudo antropológico sobre terra invadida por índios em MS

08 outubro 2019 - 10h37Por André Bento

Em julgamento que envolve litígio no município de Japorã, em Mato Grosso do Sul, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu que não cabe produção de laudo antropológico em ação possessória sobre terras invadidas por índios. Relator do caso, o ministro Mauro Campbell Marques considerou que essa aceitação em“tal cenário é descabida, pois abriria a possibilidade de se reconhecer a legalidade da invasão” e seria a “possibilidade de aceitação da prática de justiça de mão própria pelos indígenas, o que afrontaria o ordenamento jurídico sob diversos ângulos".

Tornado público nesta semana, o acórdão é referente a julgamento de agosto, quando a Segunda Turma da Corte analisou os recursos especiais decorrentes de ação de reintegração de posse ajuizada por Flávio Páscoa Teles de Menezes em face do de um cacique da Comunidade Indígena Guarani Ñandeva - Terra Indígena Porto Lindo, da Funai (Fundação Nacional do Índio) e da União, em razão da ocupação de indígenas na propriedade rural denominada “Fazenda Remanso Guaçu”.

“O entendimento da turma foi adotado ao rejeitar recursos do Ministério Público Federal, da União e da Fundação Nacional do Índio (Funai), que defendiam a produção do laudo como pré-requisito para a prolação de sentença na ação de reintegração de posse ajuizada pelo proprietário regular da fazenda após a invasão. Segundo os recorrentes, a não produção do laudo, que poderia demonstrar a ocupação tradicional da terra pelos índios, caracterizou cerceamento de defesa”, detalha o STJ.

Os ministros da Segunda Turma consideraram que a produção do laudo antropológico em tal cenário “é descabida, pois abriria a possibilidade de se reconhecer a legalidade da invasão”.

Para o ministro Mauro Campbell Marques, relator do recurso, a “possibilidade de aceitação da prática de justiça de mão própria pelos indígenas, o que afrontaria o ordenamento jurídico sob diversos ângulos”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Júri condena membros de grupo de extermínio a mais de 100 anos de prisão
DOURADOS
Júri condena membros de grupo de extermínio a mais de 100 anos de prisão
MS tem alta nas internações por coronavírus e se aproxima de 400 hospitalizados
PANDEMIA 
MS tem alta nas internações por coronavírus e se aproxima de 400 hospitalizados
Autores de tráfico de drogas e receptação são presos na Capital
POLÍCIA
Autores de tráfico de drogas e receptação são presos na Capital
Adolescente é preso por cultivo de maconha
RIO VERDE
Adolescente é preso por cultivo de maconha
Traficante que atuava pelas redes sociais é preso
CAMPO GRANDE
Traficante que atuava pelas redes sociais é preso
IBGE
MS tem 10ª maior esperança de vida, mas expectativa fica abaixo do país
IMPROBIDADE
Acórdão detalha desfecho no STJ do caso de vereador douradense que perdeu mandato
MS-379
Maconha marroquina é encontrada em caminhonete abandonada com quase 1t de droga
MS-485
Caminhão é apreendido com mais de 8 toneladas de maconha em Amambai
ECONOMIA
Parcelamento de contas atrasadas com a Sanesul termina 31 de dezembro

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Mulher esfaqueia ex após discussão em hotel no Centro de Dourados
DOURADOS 
Foragido, autor de homicídio condenado a 16 anos é preso no Novo Horizonte
CRIME BÁRBARO
Suspeita de esquartejar e colocar corpo de namorado em malas se entrega à polícia
IMPROBIDADE
Caso de vereador que perdeu mandato em Dourados tem desfecho no STJ