quinta, 25 de abril de 2024
Dourados
22ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

STF arquiva pedido de habeas corpus de Roberto Razuk

03 setembro 2003 - 07h04

A 2ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) arquivou ontem o pedido de habeas corpus ajuizado em favor do empresário Roberto Razuk, condenado por crime contra o Sistema Financeiro Nacional. A decisão unânime acompanhou o voto da ministra Ellen Gracie que acolheu manifestação do MPF (Ministério Público Federal).A condenação do empresário a 20 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado, foi decidida em março deste ano pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Mato Grosso do Sul. Roberto Razuk foi acusado pela obtenção fraudulenta de um financiamento de R$ 3,5 milhões junto ao Banco do Brasil, tendo apresentado como garantia parte de uma gleba de terras que não foi localizada.A defesa recorreu ao Supremo contra ato do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que reconheceu a competência da Justiça Federal para julgar Razuk, julgando correto o decreto de prisão preventiva. O Habeas corpus visava colocar Razuk em liberdade sob o argumento de falta de provas que fundamentassem a ordem de prisão. Dessa forma, contestou-se a decisão do TRF da 3ª Região, mantida pelo STJ, que negou liberdade provisória ao empresário. O advogado de Razuk sustentou, também, a incompetência da Justiça Federal para processar e julgar seu cliente, porque o suposto crime não foi praticado contra “serviços, bens ou interesses da União”, mas contra o Banco do Brasil, que é uma sociedade de economia mista.Durante o julgamento, porém, abriu mão dessa alegação e alegou, por fim, a validade do recurso, apesar da condenação, justificando que se não havia base para a decretação da prisão preventiva por inexistência da prova do alegado crime, também não poderia haver condenação “sem a prova do corpo de delito”.Na opinião da Procuradoria Geral da República, o pedido de habeas corpus tornou-se prejudicado diante da condenação, uma vez que todas as alegações da defesa estariam superadas ou já teriam sido levadas em conta na sentença judicial, que só poderia ser reexaminada pelo TRF da 3ª Região. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA

Regulamentação da reforma tributária prevê alíquota média de 26,5%

POLÍTICA

Sessão do Congresso Nacional sobre vetos presidenciais é adiada

ECONOMIA

Vacina tetravalente contra a gripe do Butantan terá verbas do BNDES

SAÚDE

Unidade Móvel do Hospital de Amor está em Coronel Sapucaia nesta semana

PESQUISA

A cada 8 minutos, uma mulher é vítima de estupro no país

CÂMARA DE DOURADOS

Marcio Pudim pede obras de asfalto, tubulação e quebra-molas em distritos

COMUNICAÇÃO

EBC passará a ter Comitê Editorial e de Programação

UEMS

Reclassificados em seleção por histórico escolar são convocados para matrícula

LEVANTAMENTO

Brasil registra déficit habitacional de 6 milhões de domicílios

UNIVERSIDADE

Sustentabilidade é foco da 15ª Jornada Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo

Mais Lidas

COLISÃO

Mãe e criança morrem após colisão de caminhonete e carro na BR-163

SENAR

Do Japão para Mato Grosso do Sul: filha assume legado do pai e se tornou pecuarista

DOURADOS

Concurso "Miss e Mister Indígena" acontece no próximo sábado na Jaguapiru

DOURADOS 

Jovem é encontrado morto no Parque Antenor Martins