Menu
Busca sábado, 19 de junho de 2021
(67) 99257-3397

Soja está comendo a Amazônia, aponta ONG

08 abril 2006 - 07h50

O relatório "Comendo a Amazônia", divulgado pela organização não-governamental Greenpeace Internacional, aponta que, além de devastar a floresta, o avanço na produção de soja na Amazônia impulsiona a exploração da mão-de-obra escrava na região: moradores pobres de áreas rurais e da periferia das cidades são levados para áreas remotas da Amazônia para trabalhar como escravos em áreas de desmatamento ilegal. "Os estados amazônicos que se encontram na vanguarda da expansão da soja também lideram as tristes estatísticas brasileiras de trabalho escravo registrado em fazendas, campos e em áreas de florestas", diz a versão em português do relatório. O avanço da produção de soja, de acordo com o texto, também prejudica populações indígenas e comunidades tradicionais, forçadas a deixar as terras onde vivem para ceder espaço às plantações. A poluição resultante do uso intensivo de agrotóxicos nas monoculturas de soja também traz danos à população rural, aponta o Greenpeace. Segundo a organização ambientalista, "as vilãs da indústria da soja brasileira" são três multinacionais norte-americanas do setor do agronegócio: a Cargill, a Bunge e a Archer Daniels Midland (ADM).As empresas as empresas oferecem facilidades aos produtores, como crédito e mercado garantido, "dando incentivos e recursos para que eles comprem e desmatem grandes extensões de terra a fim de que a produção de soja seja lucrativa".Em relação ao trabalho escravo, o estudo aponta a ligação entre as multinacionais e fazendas que plantam soja, explorando esse tipo de mão-de-obra. Uma delas é a Fazenda Roncador, em Querência, no Mato Grosso. De acordo com o Greenpeace, entre 1998 e 2004, fiscais do governo libertaram 215 trabalhadores que viviam em regime de escravidão. "Mesmo que os proprietários da fazenda estejam sendo processados, a fazenda Roncador continua plantando soja para o mercado. Tanto a Cargill quanto a Bunge instalaram operações em Querência e a Bunge registrou exportações da região em 2005", denuncia o documento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Caixa paga 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em fevereiro e março
Com fila quilométrica, população é orientada a não procurar mais vacinas no drive
DOURADOS
Com fila quilométrica, população é orientada a não procurar mais vacinas no drive
Thais Matos: Quais cuidados deve ter com suas Lingerie?
NEGÓCIOS & CIA
Thais Matos: Quais cuidados deve ter com suas Lingerie?
Homem perde 'telona' ao sair de casa por poucas horas no Dioclécio Artuzi
DOURADOS
Homem perde 'telona' ao sair de casa por poucas horas no Dioclécio Artuzi
Homem pula muro e 'abandona' obra com 300kg de drogas
DOURADOS
Homem pula muro e 'abandona' obra com 300kg de drogas
SAÚDE & BEM-ESTAR
Comer bem ajuda a enxergar bem? O Hospital dos Olhos Dourados fala sobre o assunto.
FISCALIZAÇÃO
"Lei seca" completa 13 anos neste sábado
ESTRADA DE FERRO
Barbosinha e Renato Câmara defendem autorregulação para agilizar traçado da Ferroeste
IMUNIZAÇÃO
Dourados vacina pessoas acima de 45 anos hoje no drive do Dom Teodardo
BRASIL
Anvisa autoriza estudo sobre dose de reforço da Pfizer

Mais Lidas

NA DELEGACIA
Motorista que atropelou indígena diz que fugiu por medo de sofrer represálias
DOURADOS
Motorista que atropelou jovem na Presidente Vargas conduzia um Gol e fugiu
DOURADOS
Incêndio criminoso em revenda de veículos destrói partes de BMW e Triton
COVID-19
Após passar aniversário em UTI Covid, douradense recebe alta em Rondônia