Menu
Busca sexta, 07 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Setor têxtil deve exportar 2,1 bilhões de dólares este ano

29 agosto 2004 - 15h40

Para incrementar investimentos é preciso que os juros voltem a cair, acredita o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), Paulo Skaf, em entrevista exclusiva à Agência Brasil às vésperas de ser eleito o novo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Falando sobre o desempenho do setor têxtil, Paulo Skaf afirmou “há necessidade de uma redução significativa na carga tributária, bem como o alongamento para pagamento de impostos e também crédito e juros mais acessíveis”. Segundo o empresário, uma série de fatores contribuíram para o crescimento do setor têxtil neste ano. “Sem dúvida nenhuma este ano, em relação ao ano passado, está incomparável porque o cenário macroeconômico melhorou e, com isso, houve uma recuperação no mercado doméstico. Houve, também, um crescimento das exportações. Veja que, no mês de julho, nossas exportações cresceram 35%. Além disso tudo, houve um grande apoio do ‘general inverno’. Neste ano, tivemos um inverno que em muitas décadas não se via. Esse frio forte, contínuo e duradouro estimulou muito as vendas de roupa e ajudou a melhorar e alavancar os negócios”, afirmou. Paulo Skaf atribui o desempenho das exportações do setor têxtil a um conjunto de esforços, destacando o investimento da indústria para aumentar a competitividade e o trabalho em parceria com a Agência de Promoção das Exportações do Brasil (Apex-Brasil) para promover marcas e produtos brasileiros no exterior. “Quando iniciamos esse trabalho (com a Apex), há cinco ou seis anos atrás, tínhamos uma exportação de US$ 1 bilhão e, este ano, vamos fechar em US$ 2,1 bilhões. Mais do que dobramos as exportações”, dimensionou. “Melhor ainda que a dobrada das exportações é a questão do superávit comercial. Nós tínhamos, sete anos atrás, um déficit comercial de US$ 1,2 bilhões e, este ano, devemos fechar com US$ 800 milhões de superávit comercial”, acrescentou. Segundo Paulo Skaf, “o País precisa de mais investimento, empregos e exportação. O setor têxtil tem feito a sua parte, atendendo todos esses itens de uma forma bastante acentuada”, disse, ressaltando que os investimentos do setor têxtil em relação ao ano passado cresceram 20%. Este ano devemos investir, só de máquinas e equipamento, algo entre US$ 300 milhões e US$ 400 milhões. Além das máquinas e equipamentos, inclui-se construção civil, instalações, formação, capital de giro para os projetos. É possível que a gente conclua o ano de 2004 com um investimento em torno de US$ 1 bilhão" concluiu ele.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SENADO
CPI quer saber quem no governo federal está por trás da difusão da cloroquina
Homem que sofreu queda de moto e morre no Hospital de Nova Andradina
ACIDENTE
Homem que sofreu queda de moto e morre no Hospital de Nova Andradina
TECNOLOGIA
WhatsApp vai limitar funções de contas que não aceitarem novas regras
Amigos fazem vaquinha para mãe recomeçar a vida ao lado dos 4 filhos
Agetran faz cerca de 400 abordagens na primeira blitz do Maio Amarelo
DOURADOS
Agetran faz cerca de 400 abordagens na primeira blitz do Maio Amarelo
NAVIRAÍ
Operação multa arrendatário em R$ 12 mil por incêndio em pastagem
IMPEACHMENT
Tribunal absolve governador de Santa Catarina, que reassumirá o cargo
PONTA PORÃ
Baleado, homem cruza fronteira, é socorrido por policiais e morre em hospital
Detran/MS realiza neste sábado mutirão para renovação de CNH
Boliviano líder de grupo atuava no tráfico de cocaína é extraditado ao Brasil

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher presa com armas, drogas e veículos mantinha relacionamento com interno da PED
DOURADOS
Pancadaria em motel termina na delegacia com três pessoas detidas
JÓQUEI CLUBE
Jovem é presa em Dourados com armamento de uso restrito, drogas e veículo clonado
DOURADOS
Carga de tijolos cai de caminhão em rotatória na Coronel Ponciano; veja vídeo