Menu
Busca terça, 28 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
POLÊMICA

Série com Jesus negro desperta ira de conservadores nos EUA

08 agosto 2014 - 10h51

Terra

Estreou nos Estados Unidos o seriado humorístico americano Black Jesus (Jesus Negro) que, mesmo antes de ir ao ar, já havia despertado a ira de grupos cristãos e de conservadores.

A série do canal de TV a cabo Adult Swim tem como protagonista um sorridente Jesus Cristo negro que bebe, fuma maconha e fala palavrões ao passear de túnica branca pelas ruas de Compton, um bairro pobre de maioria negra em Los Angeles.

No primeiro episódio, que foi ao ar na quinta-feira (7), o personagem transforma água mineral em conhaque e tenta transformar um terreno baldio em um jardim comunitário – onde pretende plantar legumes e verduras e maconha.

Os produtores tinham lançado apenas um trailer de dois minutos antes do episódio de quinta-feira, mas já foi suficiente para que a série fosse taxada de blasfema e que grupos lançassem campanhas para não deixá-la ir ao ar.

O idealizador da série, Aaron McGruder, é autor do polêmico The Boondocks, quadrinhos que foram transformados em um seriado de animação que aborda temas complexos como o racismo e a luta de classes nos Estados Unidos.

A sátira é contada da perspectiva de irmãos negros que vivem na casa do avô em um bairro de maioria branca em Chicago.

Interpretação possível

De acordo com o Adult Swim, uma programação para adultos que só vai ao ar à noite no canal Cartoon Network, Black Jesus representa um "filho de Deus em sua missão para difundir o amor e a bondade pelo bairro de Compton, ajudado por seu pequeno e fiel grupo de seguidores oprimidos".

Em uma nota, o canal disse à BBC que a série é uma sátira e uma interpretação possível da mensagem de Jesus, contextualizada por contos morais do dia a dia. Além disso, afirmam que "embora alguns possam considerá-la uma representação polêmica de Jesus, não é nossa intenção ofender qualquer raça ou grupo religioso".

A explicação do Adult Swim parece não ter convencido organizadores de campanhas para que a série não vá ao ar, como a Um Milhão de Mães, parte da conservadora Associação Americana da Família (AFA, na sigla em inglês).

Para o grupo, o trailer é "desagradável" porque mostra Jesus Cristo "bebendo e fumando erva", falando palavrões e "utilizando o nome de Deus em vão diversas vezes". "Há violência, tiroteios, drogas e outros gestos impróprios que distorcem a figura de Jesus completamente. Isto é blasfêmia!", afirmam os responsáveis de Um Milhão de Mães, que também destacam que o Adult Swim não "se atreveria a ridicularizar Maomé ou os muçulmanos".

A organização de mães não está só em sua batalha contra Jesus Negro. O Christian Broadcasting Network, por exemplo, lançou um abaixo-assinado contra o seriado. Eles dizem que são contra a série não porque Jesus Cristo é representado por um ator negro, mas sim pelas qualidades que os produtores lhe dão e pelo ambiente em que a trama se desenrola.

Estereótipos raciais

O programa também irritou congregações de maioria afro-americana, como a Igreja Cristã da Esperança em Beltsville, no Estado de Maryland, cujo bispo, Harry Jackson, pediu um boicote por acreditar que o seriado "reforça estereótipos raciais negativos em um tempo em que se tenta minar o respeito da sociedade aos cristãos e suas crenças bíblicas".

Já a Nação Messiânica Africana, uma organização que se opõe à representação eurocêntrica de Jesus, também rechaçou a série, argumentando que ela ataca o conceito de um "Messias negro" pelo qual vêm lutando há anos.

"A representação que Jesus Negro faz de Jesus Cristo é uma desgraça para todos que na última década dedicaram as suas vidas à promoção de uma imagem de um Messias negro", afirmou à BBC Mundo Paul Scott, fundador da organização.


A polêmica era esperada pelo professor Edward Blum, da Universidade Estatal de San Diego, na Califórnia e autor do livro A Cor de Cristo, no qual analisa diferentes representações de Jesus Cristo ao largo da história.

"Nos Estados Unidos, qualquer questão racial se transforma em polêmica. O mesmo acontece com questões religiosas. Ou seja, se misturarem raça e religião no mesmo assunto, a polêmica é ainda maior", disse à BBC Mundo.

Por outro lado, Blum considera fascinante que "conservadores e negros estejam unidos nas críticas à série, mesmo que o façam por diferentes motivos".

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia prende investigado por estupro de vulnerável
REGIÃO
Polícia prende investigado por estupro de vulnerável
Fundação de Cultura divulga relação dos beneficiados no "MS Cultura Cidadã"
Pfizer pede à Anvisa que avalie eficácia de terceira dose da vacina
SAÚDE
Pfizer pede à Anvisa que avalie eficácia de terceira dose da vacina
Ex-prefeito ficará em prisão domiciliar e usará tornozeleira eletrônica
MARACAJU
Ex-prefeito ficará em prisão domiciliar e usará tornozeleira eletrônica
Dourados aplicará dose 2 da vacina contra Covid nesta quarta-feira
IMUNIZAÇÃO
Dourados aplicará dose 2 da vacina contra Covid nesta quarta-feira
DOURADOS
Com drogas em caixas de erva de tereré, interno da PED é autuado por tráfico
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Aprovada PEC que permite cobrança de IPTU quando imóvel público for utilizado por particular
AQUÁRIO TRANSPARENTE
Governo lança site e 'abre as portas' do Aquário do Pantanal para fase final das obras
REGIÃO
Jovem com extensa ficha criminal é preso com drogas em táxi
PANDEMIA
Decreto libera lutas em Dourados, mas apenas para vacinados com as duas doses

Mais Lidas

REGIÃO
Acidente entre Dourados e Fátima do Sul matou mulheres e deixou policial ferido
EXECUÇÃO
Justiceiros matam mais um na fronteira e deixam recado
DOURADOS
Mulher é agredida em discussão e desfere golpe de faca no órgão genital do companheiro
HOMICÍDIO
Com tiros na cabeça e peito, jovem é executado em Pedro Juan Caballero