Menu
Busca sexta, 23 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Senador propõe corte gradual da CPMF até 0,08% em 2008

25 novembro 2004 - 10h56

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apresentou ontem no Congresso proposta de emenda constitucional de redução gradual da alíquota da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) do atual 0,38% para 0,08% em janeiro de 2008. A proposta de Jereissati é que a alíquota caia para 0,28% a partir de 1º julho de 2005, até atingir 0,08% em 2008, quando se transformaria em permanente.Em sua justificativa, Jereissati alegou que a proposta de redução da CPMF, a partir de 2005, fez parte de um amplo entendimento entre governo e oposição quando foi aprovada, no final de 2003, a prorrogação da contribuição por quatro anos."A prorrogação pura e simples, por quatro anos, desse tributo de má qualidade, com alíquota tão elevada, não se coadunava, evidentemente, com a nossa proposta de reforma tributária."De acordo com o que a Folha apurou, antes de encaminhar a PEC ao Congresso, Jereissati apresentou a proposta a membros do PT e do governo, entre eles o senador Aloizio Mercadante (SP), líder do governo no Senado. A PEC conta com a adesão de 29 senadores e irá tramitar inicialmente na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.Jereissati argumenta também, em sua justificativa, que o ganho da receita com o aumento da alíquota do PIS/Cofins e com a cobrança da Cofins sobre os importados será mais do que suficiente para cobrir a perda de arrecadação com a redução da CPMF até o segundo semestre de 2006.Segundo Jereissati, as mudanças na cobrança do PIS/Cofins geraram aumento de arrecadação de R$ 9,7 bilhões, o que corresponde a aproximadamente 37% da receita da CPMF.A arrecadação da CPMF neste ano deverá atingir R$ 25,9 bilhões. Segundo Jereissati, a redução da alíquota de 0,38% para 0,28% representaria perda de receita de R$ 3,4 bilhões no primeiro semestre de 2005.No primeiro semestre de 2006 a perda seria de R$ 4,8 bilhões e, no segundo, de R$ 6,1 bilhões, quando a alíquota baixaria para 0,20%. Ou seja, em 2005 e 2006, a perda com a CPMF seria menor do que o aumento já obtido na receita com as mudanças no PIS/Cofins.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Suspeito de disparos com arma de fogo é preso pela polícia civil
ARAL MOREIRA
Suspeito de disparos com arma de fogo é preso pela polícia civil
APREENSÕES
TJ/MS anuncia abertura de leilões com 77 lotes de veículos e sucatas
Novato de MS quer surpreender na Taça Brasil e encara o atual campeão na estreia
FUTSAL
Novato de MS quer surpreender na Taça Brasil e encara o atual campeão na estreia
Após perseguição, polícia apreende três veículos com produtos de contrabando e descaminho
POLÍCIA
Após perseguição, polícia apreende três veículos com produtos de contrabando e descaminho
Em meia hora, dois são presos por violência doméstica
POLÍCIA
Em meia hora, dois são presos por violência doméstica
ALERTA
Golpista usa nome de secretário de saúde para arrecadar fundos em falso jantar
COTAÇÃO
Dólar fecha próximo da estabilidade nesta sexta-feira
POLÍCIA
Contido por populares, homem é preso ao tentar furtar residência de idoso
IMBRÓGLIO
MPF recomenda à Funai que faça a demarcação física da terra indígena em Aquidauana
MATO GROSSO DO SUL
Auditor da Receita assume Diretoria de Transportes, Rodovias e Portos na Agepan

Mais Lidas

DOURADOS
Onda de frio vai embora e previsão é de termômetros acima de 30ºC
DOURADOS
Polícia fecha 'boca' na Cachoeirinha e quatro são levados à delegacia
UTILIDADE PÚBLICA
Manutenção: onze bairros podem ficar sem água em Dourados; confira a lista
VIAS DE FATO
Confusão entre "trisal" resulta em agressão e envolvidos vão parar na delegacia