sábado, 13 de agosto de 2022
Dourados
30°max
13°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Secretário-adjunto da Receita Federal pede demissão

04 outubro 2003 - 09h36

O secretário-adjunto da Receita Federal, Leonardo de Andrade Couto, pediu demissão do cargo na noite desta sexta-feira, de acordo com o "Jornal da Globo". A voz de Couto aparece em uma das fitas gravadas pela Polícia Federal na investigação das fraudes na Receita Federal e no INSS, no Rio de Janeiro.Couto trabalhava na Receita há 18 anos e desde janeiro era o secretário-adjunto, o segundo posto na hierarquia nacional da Receita.Na gravação, o secretário conversa com o auditor fiscal Flávio Franco, que chama o corregedor Moacir Leão, encarregado das investigações, de "um cara tão mau que tem que levar um tiro na cabeça". Couto explicou que "a gravação foi divulgada completamente fora de contexto".Na noite desta sexta-feira três dos acusados foram libertados: o advogado Antonio Daniel de Carvalho Neto; o auditor Manoel Soares da Paz e o diretor de uma indústria química, Nélio Augusto Manhães Rodrigues.O delegado da Polícia Federal Maurício Manarino disse já ter ouvido os acusados. Segundo ele, todos estão sendo liberados após o depoimento porque não têm mais como atrapalhar o inquérito.Antes de saírem da prisão do Ponto Zero, em Benfica, os acusados assinaram um termo de integridade que os desobriga a comparecer à sede da Polícia Federal. Todos foram diretamente para suas casas.O corregedor geral da Receita Federal, Moacir Leão, disse nesta sexta-feira que há uma ligação entre as fraudes descobertas na Receita Federal e no INSS com o esquema do argentino César de la Cruz Mendonza Arrieta.O argentino é acusado de comandar uma quadrilha que, em 1994, teria fraudado cerca de R$ 3 bilhões do INSS.Segundo Leão, quatro grande empresas do Rio Grande do Sul, cujos pedidos de compensação tributária haviam sido negados, tiveram a compensação aceita na Receita do Rio depois que mudaram o endereço de domicílio das respectivas sedes."Nós confirmamos realmente que há uma conexão. Os fatos estão apontando para isso", afirmou Leão.Nesta semana, a polícia revelou que uma quadrilha, que seria formada por auditores, servidores do INSS, despachantes e advogados, é suspeita de apagar dívidas de empresas no sistema da Receita, emitir certidões negativas de débito, forjar fiscalizações e conceder restituição de créditos indevidos. Segundo relatório da Corregedoria da Receita, há indícios de que 33 empresas teriam se beneficiado do esquema, lesando o erário em pelo menos R$ 250 milhões.Uma força-tarefa deve, a partir da próxima semana, realizar uma auditoria na arrecadação feita pela Delegacia da Administração Tributária do Rio nos últimos cinco anos. A força-tarefa, composta por 12 auditores, terá ajuda do Ministério Público Federal e prazo de um mês para concluir a auditoria.Dos 15 suspeitos de envolvimento com o grupo e que foram presos preventivamente, dez são auditores da Receita. Uma outra pessoa conseguiu habeas corpus antes mesmo de ser presa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Procurado por homicídio em festa na fronteira é preso em Portugal
INTERPOL

Procurado por homicídio em festa na fronteira é preso em Portugal

MORTES NA PANDEMIA

Barroso envia à PGR acusação de vítimas da Covid contra Bolsonaro

Homem é preso com droga avaliada em mais de R$ 6 mil
IVINHEMA

Homem é preso com droga avaliada em mais de R$ 6 mil

GERAL

Juiz manda para presídio policial bolsonarista que matou petista

Polícia Militar apreende mais de 140 quilos de maconha, na MS-473
NOVA ANDRADINA

Polícia Militar apreende mais de 140 quilos de maconha, na MS-473

EDUCAÇÃO

Acadêmicos da UEMS podem se inscrever em Universidades parceiras

Empresário é preso com arma furtada de policial no Rio de Janeiro

EDUCAÇÃO

Prouni: universidades acusam MEC de atrasar dados para matrículas

CAPITAL

Prestes a casar a filha, homem morreu atropelado sem realizar o sonho

ECONOMIA

Empresas poderão renegociar dívidas com o Fisco com 70% de desconto

Mais Lidas

TRAUMATISMO CRANIANO

Madrasta de menina de 7 anos que morreu ao dar entrada na UPA é presa em Dourados

DOURADOS

Madrasta de criança morta em UPA é encaminhada para cela da Depac

DOURADOS

Acusado de raptar a ex e trocar tiros com a polícia tem alta e é levado para delegacia

INVESTIGAÇÃO

Madrasta demorou 3h para levar menina até UPA e não há registro de acionamento no Samu