Menu
Busca domingo, 07 de março de 2021
(67) 99257-3397

São Caetano tenta confirmar poder de bastidor

28 março 2004 - 08h20

O São Caetano começa neste domingo a disputar sua quinta semifinal desde que surgiu para o mundo do futebol em 2000, na Copa João Havelange. Ao contrário dos outros anos, em que se admitia um time pequeno, neste domingo, contra o Santos, o clube do ABC busca consolidar uma posição entre os poderosos do futebol paulista. Para tanto, nada melhor que o primeiro título do clube e a eliminação do que é considerado no ABC o principal empecilho para a conquista: o time do Santos, considerado pelo técnico Muricy Ramalho a "melhor equipe do país". Embora o São Caetano já esteja em evidência desde 2000, foi no último ano que aconteceu a transição de elenco modesto para clube estelar. Conhecido por formar equipes que se baseiam no "bom e barato", neste ano o São Caetano mostrou força ao bater poderosos rivais como Corinthians e São Paulo na disputa por atletas e ao quadruplicar sua folha de pagamento em quatro anos, mesmo em tempos de crise. Na João Havelange, o time pagava cerca de R$ 230 mil para manter seu elenco. Hoje, segundo apurou a Folha, a equipe custa ao clube por volta de R$ 900 mil por mês, cifra equiparável à dos grandes paulistas. A folha de pagamento do Corinthians, por exemplo, é de cerca de R$ 1,1 milhão. "Hoje o São Caetano negocia como os grandes", diz o atacante Warley, que no ano passado, ao voltar da Itália, preferiu o time do ABC ao São Paulo por motivos financeiros. Embora fosse desejado pelo presidente são-paulino, o atacante teve a proposta de R$ 25 mil mensais do Morumbi duplicada pelo São Caetano. "Aqui se paga no mesmo nível das grandes equipes do Brasil", diz Warley. E há vários outros exemplos da mudança de postura. No fim de 2003, o Corinthians chegou a oferecer R$ 80 mil a Gilberto, então lateral-esquerdo do Grêmio, mas ele preferiu ir para São Caetano.O mesmo aconteceu com Anderson Lima e Fabrício Carvalho, que, mesmo cogitados em outros endereços paulistas mais famosos, acabaram no ABC. O time ainda lutou por Ramon (Fluminense), Luizão (Botafogo) e Marcelinho (Vasco) e montou até um "banco de luxo", com nomes como Euller e Lúcio Flávio. "Acho que para ser grande você não precisa de um estádio grande, de uma torcida grande", diz Anderson Lima. "Essas coisas são importantes, mas, em certos clubes grandes, os dirigentes não são profissionais. O São Caetano faz investimento e tem organização." E não poderia ser diferente, já que 2004 é ano de eleições municipais. O time, que conta com o apoio da Prefeitura de São Caetano do Sul, é uma das bandeiras eleitorais da administração de Luiz Tortorello (PTB), também é presidente de honra do clube. Nairo Ferreira de Souza, presidente do São Caetano, é secretário de planejamento do município e um dos possíveis candidatos à sucessão de Tortorello. Para a diretoria do São Caetano, o primeiro título do clube está amadurecendo, ainda mais agora, que o time alcança sua primeira semifinal de Paulista. "Precisamos colocar a faixa de campeão no Paulista ou no Brasileiro. Temos uma boa oportunidade agora", diz o presidente Nairo. No entanto, para isso, o clube precisa vencer o tabu de não ganhar um mata-mata contra um grande paulista desde 2000, quando bateu o Palmeiras. "Será difícil, mas provamos nosso valor batendo o São Paulo", diz Muricy.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Covid-19: Saúde prevê 30 milhões de doses ainda este mês
BRASIL
Covid-19: Saúde prevê 30 milhões de doses ainda este mês
MS deve ter domingo de tempo claro na maior parte das regiões
CLIMA
MS deve ter domingo de tempo claro na maior parte das regiões
Saúde lança guia alimentar de bolso para menores de 2 anos
SAÚDE
Saúde lança guia alimentar de bolso para menores de 2 anos
Covid-19: mortes ultrapassam 264 mil e casos chegam a quase 11 milhões
BRASIL
Covid-19: mortes ultrapassam 264 mil e casos chegam a quase 11 milhões
Assunção registra violência após resposta à pandemia gerar protestos
INTERNACIONAL
Assunção registra violência após resposta à pandemia gerar protestos
DOURADOS
DAC vence o Novo por 3X0, em Campo Grande
AQUIDAUANA
Fazendeiro é autuado por exploração ilegal de madeira
PANDEMIA
Prorrogada situação de calamidade pública em dois municípios
ABERTO DE TÊNIS
Djokovic confirma retorno ao circuito no Aberto de Miami
MATO GROSSO DO SUL
Executivo envia projeto para criar fundação de apoio à pesquisa e à Educação

Mais Lidas

EXECUÇÃO
Executado na fronteira era publicitário e morador em Dourados
PONTA PORÃ
Homem é assassinado na região de fronteira e autores deixam recado ao lado do corpo
SIDROLÂNDIA
Empresário morre em acidente que deixou outros três feridos
FRONTEIRA
Corpo de bebê é encontrado em matagal e enrolado em cobertor