sexta, 21 de janeiro de 2022
Dourados
38°max
23°min
Campo Grande
35°max
22°min
Três Lagoas
37°max
23°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Rivellino é o novo gerente de futebol do Corinthians

01 outubro 2003 - 07h10

Roberto Rivellino, um dos principais ídolos da história do Corinthians, é o novo gerente de futebol do Corinthians. Já o cargo de treinador pode ser ocupado pelo ex-jogador Júnior, que seu reuniu ontem,  com o vice-presidente de futebol do Timão, Antonio Roque Citadini, no Hotel Excelsior, no Rio de Janeiro.Mas a negociação ainta está aberta e novos encontros devem acontecer nesta quarta. "Não estou otimista. A proposta foi bem abaixo do que eu esperava. Entendo os problemas que o Corinthians está passando, mas também preciso pensar no meu lado profissional", disse Júnior à Agência Estado.Ao desembarcar na capital carioca na noite desta terça-feira, o dirigente tentou despistar, dizendo que tinha ido resolver problemas particulares. Porém, depois se reuniu com o ex-técnico do Flamengo.No encontro ocorreu uma cena engraçada: quando se preparava para sentar com o ex-jogador em uma das mesas do restaurante do hotel, Citadini percebeu que quatro integrantes da delegação do São Paulo, que se concentra no Rio para o jogo de hoje contra o Fluminense, estavam jantando em mesas próximas. Imediatamente o dirigente corintiano se levantou e saiu com Júnior em direção a outro local.Com Rivellino, a diretoria do Corinthians conversou no Parque São Jorge. O atual gerente, Edvar Simões, segue no cargo até o final do ano, quando se desliga do clube. Ele e Rivellino devem trabalhar juntos até dezembro.A troca no comando do futebol era uma exigência de conselheiros influentes, entre eles o vice-presidente Nesi Curi. Eles pediam a contratação de um diretor "boleiro”, que tivesse facilidade para dialogar com os jogadores e, de preferência, identidade com o clube.Dessa maneira, acalmam também os torcedores, que pedem pessoas com história no Corinthians no comando do clube. Edvar Simões, por exemplo, é uma das principais vítimas das críticas da torcida, ao lado do vice de futebol, Antonio Roque Citadini, e do próprio presidente Alberto Dualib. Após deixar o Corinthians, em 1974, considerado culpado pela fila sem títulos, Rivellino não voltou a trabalhar no clube. Quando defendeu o El Helal, da Arábia Saudita, entre 78 e 81, teve proposta para voltar ao Timão, mas não foi liberado. Depois disso, encerrou a carreira e trabalhou como comentarista. Depois, foi treinador no Japão.No mesmo dia em que negociava para ter um novo técnico, o Corinthians recebeu duas boas notícias: o volante Vampeta voltou ao clube, treinou e prometeu cumprir seu contrato até dezembro. Além disso, a CBF anunciou que tentará, por meio do presidente Ricardo Teixeira, incluir o time no próximo Mundial de Clubes da Fifa. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Contribuintes com débitos na AGEMS podem aderir ao Refis até dia 31
GERAL

Contribuintes com débitos na AGEMS podem aderir ao Refis até dia 31

ECONOMIA

Unigran contrata profissionais para diferentes áreas de atuação 

Central de Atendimento ao Cidadão retoma atendimento nesta sexta
DOURADOS

Central de Atendimento ao Cidadão retoma atendimento nesta sexta

Mãe do presidente Jair Bolsonaro morre aos 94 anos em São Paulo
REGISTRO

Mãe do presidente Jair Bolsonaro morre aos 94 anos em São Paulo

Polícia apreende carga de contrabando e descaminho na MS-270
DOURADOS

Polícia apreende carga de contrabando e descaminho na MS-270

TEMPO

Sexta-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados

SÃO GABRIEL

Motorista morto em acidente na BR-163 ficou preso sob o caminhão

GERAL

Vacinação infantil irregular terá consequências, diz ministro

Erradicação de plantações de maconha no Paraguai batem recorde 

EX-MINISTRO

MP questiona liberação de madeira apreendida em operação contra Salles

Mais Lidas

REGIÃO

Jovem acusado de assassinar diretor de escola em 2012 troca tiros com a polícia e morre

REGIÃO

Trabalhador morre após sofrer descarga elétrica na BR-463

FRONTEIRA

Líder do PCC que tinha fugido de presídio do Brasil, é preso junto a comparsas no Paraguai

FRONTEIRA

Ostentação levou polícia até professor que faturava alto para guardar drogas