Menu
Busca quarta, 14 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Rio Nioaque poderá ter somente pesca esportiva

11 maio 2005 - 08h14

A atividade de pesca, tanto profissional como amadora, poderá ser proibida no rio Nioaque, curso d’água da região Sudoeste do Estado que corta a cidade e o município de Nioaque. A proposta será apresentada aos membros do Conpesca (Conselho Estadual de Pesca) na reunião do dia 31 de maio e é defendida por produtores da região, segundo o superintendente de Pesca da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Thomaz Lipparelli.O rio Nioaque não possui volume elevado de água mas tem importância histórica para o país, por ter sido cenário de episódios decisivos da Guerra do Paraguai. Mede no máximo sete metros de largura e se estende basicamente pelo município com o mesmo nome. A pesca predatória praticamente fez desaparecer os cardumes, causando outros danos ao meio ambiente como o desequilíbrio ecológico e assoreamento nas barrancas. Lipparelli salienta que em princípio a idéia é destinar o rio Nioaque exclusivamente para a pesca esportiva, em que o peixe é fisgado em anzóis especiais e depois devolvido à água. No entanto, ambientalistas advertem que nem mesmo essa modalidade de pesca deveria ser praticada ali, tendo em vista o grau de escassez dos recursos pesqueiros.Na reunião do Conpesca serão debatidos outros temas polêmicos como a instituição de cotas para pescadores profissionais (a exemplo do que faz Mato Grosso), a proibição ou não do anzol de galho e a comercialização de iscas vivas para fora do Estado. O Conpesca é o órgão consultivo e deliberativo da Sema para assuntos relativos à pesca; constitui-se de representantes de colônias de pescadores, organizações não governamentais que militam na área e do governo do Estado.Harmonização - Antes da reunião do Conpesca acontece, em Cuiabá (MT), nos dias hoje e amanhã, outra reunião do GTT (Grupo Técnico de Trabalho) para finalizar os termos de um acordo visando a harmonização das leis de pesca de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e União. O superintendente Thomaz Liparelli participa da reunião, ao lado de técnicos da Fema (Fundação de Meio Ambiente do Mato Grosso) e do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Assuntos como a unificação do período de defeso, licença de pesca e uso de petrechos serão discutidos no encontro. Os termos do acordo serão levados como proposta a outra reunião que acontece em junho, dessa vez em Assunção, com autoridades em nível nacional do Brasil e do Paraguai, numa tentativa de que seja adotada legislação semelhante nos rios limítrofes. Os dois países assinaram na década passada um tratado de adoção conjunta de políticas de conservação de recursos naturais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Ladrões fingem fazer revisão em cerca elétrica e assaltam casal de idosos
BRASIL
Senado aprova prorrogação da situação de emergência de saúde no país
Máquina agrícola atinge caminhonete, carro e só para após tombar
GLÓRIA DE DOURADOS
Máquina agrícola atinge caminhonete, carro e só para após tombar
TRÂNSITO
Nova Lei proíbe o transporte de menores de 10 anos em motocicletas
Celular "bombando" entrega traficante, que é preso com cocaína
VACINA
Ministério da Saúde divulga lista, por estado, de quem não tomou segunda dose
MEIO AMBIENTE
Dono de chácara é multado em R$ 5 mil por construir tanques de piscicultura
COXIM
MP denuncia ex-prefeito, ex-secretários e empresários por associação criminosa
CAPITAL
Após espancar, homem ameaça colocar fogo em casa com a ex dentro
BRASIL
Câmara aprova projeto que prorroga entrega do IR até 31 de julho

Mais Lidas

ITAPORÃ
Jovem morta com tiros de escopeta tinha passagem por tráfico de drogas
IZIDRO PEDROSO
Estado doará terrenos e busca parceria para construir casas populares em Dourados
DOURADOS
Homem foi baleado com cinco tiros no Parque do Lago II
DOURADOS
Homem sofre tentativa de homicídio na região do Parque do Lago II