segunda, 17 de janeiro de 2022
Dourados
37°max
26°min
Campo Grande
34°max
23°min
Três Lagoas
38°max
26°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Representação contra Águas pode virar Ação Civil Pública

26 dezembro 2003 - 10h49

O Ministério Público Estadual vai abrir inquérito para investigar as denúncias de supersalários dos diretores da Águas Guariroba, o fato da empresa não ter assumido as dívidas da Sanesul e o desrespeito à cobrança de tarifa social estabelecida no contrato de concessão. A denúncia contra a Águas foi protocolada neste 23 de dezembro pelo deputado estadual Semy Ferraz (PT), e recebida pela promotora de justiça Filomena Depólito Fluminnan, respondendo pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público. Ela afirmou que, após a instituição do inquérito e conforme os resultados da apuração, poderá propor uma Ação Civil Pública para defender o patrimônio dos campo-grandenses. Segundo Semy, o Governo do Estado pode perder recursos do FPE (Fundo de Participação dos Estados) caso a Águas não assuma as dívidas da Sanesul, como foi acordado no contrato de concessão. Como fiador da transação, a administração estadual pode ter de desembolsar recursos para arcar com as dívidas da empresa. Isso porque a Águas, conforme o deputado, está pagando corretamente os R$ 66 milhões de dívida, mas não assumiu o débito, que ainda está no nome da Sanesul. Pelo contrato, essa transferência de titularidade deveria ter sido feita em fevereiro de 2001. Na representação, Semy lembra que em 1999, a Sanesul deixou de pagar algumas dívidas fazendo com que o Estado perdesse cerca de R$ 10 milhões da verba do FPE. Outro questionamento do deputado está relacionado aos altos salários recebidos pela diretoria da Águas Guariroba. O espanhol Luiz Santesteban Araña, diretor-presidente da empresa, por exemplo, estaria recebendo R$ 50,2 mil por mês, o que, conforme a denúncia, contribui para os prejuízos da Águas. O reajuste de 30% na tarifa de água, ocorrido este ano, também foi abusivo na opinião de Semy. Na representação, ele propõe que a empresa volte a cobrar o preço antigo e que os clientes sejam ressarcidos pelo que já foi gasto. O deputado também sugere na denúncia que a empresa estipule metas anuais de ampliação da coleta de esgoto em Campo Grande, já que atualmente esse planejamento só existe para os 30 anos em que a Águas vai operar na Capital. Segundo ele, o Grupo Agbar, acionista majoritária da Águas Guariroba, já enfrenta os mesmos problemas na Argentina, como precariedade dos investimentos previstos em contrato e déficit no balanço financeiro, o que pode ser evitado no Brasil, se as devidas providências forem tomadas. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA

Funtrab abre a semana com oferta 3,6 mil vagas de emprego

Motociclista bate a cabeça e morre após capacete abrir em batida
BONITO

Motociclista bate a cabeça e morre após capacete abrir em batida

TEMPO

Segunda-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove

Morre no Rio, aos 64 anos, a atriz Françoise Forton
LUTO

Morre no Rio, aos 64 anos, a atriz Françoise Forton

INTERNACIONAL

No Vaticano, papa Francisco diz rezar por vítimas das chuvas no Brasil

PANDEMIA

Presidente: autoteste pode conter transmissão de vírus mais rápido

ACIDENTE

Veículos colidem frontalmente na MS-450 e vítimas são encaminhadas para hospital

ESPORTE

Rayssa Leal fatura STU de Criciúma, 1ª etapa do circuito brasileiro

REGIÃO

Menor sofre acidente ao colidir bicicleta contra veículos em via pública

SAÚDE

Síndrome de Burnout é reconhecida como fenômeno ocupacional pela OMS

Mais Lidas

REGIÃO

Carro pega fogo e motorista morre em colisão entre Dourados e Fátima do Sul

DOURADOS

Confusão próxima à região conhecida como 'cracolândia' deixa homem ferido

TRAGÉDIA

Motorista carbonizado em acidente na BR-376 morava em Dourados

DOURADOS

Detento é levado para a UPA após 'surtar' e bater cabeça várias vezes em grades de cela