Menu
Busca sexta, 30 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Professor da UEMS acusado de racismo vira réu

13 dezembro 2004 - 11h24

O professor de física da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) Adriano Manoel dos Santos, 31 anos, virou réu na Justiça do Estado acusado de ser racista com o estudante de biologia Carlos Lopes dos Santos, 35 anos, que entrou neste ano na instituição, na cota para negros.Lopes afirma que o professor contava piadas sobre negros na sala de aula. De acordo com o relato dele, no dia 23 de junho passado, Santos teria dito: "Tratava-se de um homem que, cansado após um dia de trabalho, entrava no ônibus e torcia para que quem sentasse ao seu lado fosse uma loira, mas para seu azar era um negão que se sentaria".Lopes registrou queixa contra Santos na Polícia Civil. O inquérito foi enviado ao Ministério Público, que denunciou o professor com base na lei 7.716/89, a qual define crimes de "preconceito de raça ou de cor". O artigo 20 da lei em que Santos pode ser enquadrado prevê pena de um a três anos de prisão mais multa.No dia 12 de novembro passado, o juiz César Castilho Marques, de Ivinhema, aceitou a denúncia. O estudante disse que o professor também usava expressões como "um sujeito com muita melanina [proteína de cor preta encontrada na pele]" e "pretinho básico", além de afirmar que uma universidade deve "nivelar por cima, e não por baixo" --no que seria uma referência à entrada de negros na universidade.No fim de novembro, houve novo desentendimento entre os dois. Santos disse que chamou a PM porque Lopes estava atrapalhando a aula e ofendendo sua mulher. O caso virou processo no Juizado Especial. Lopes prefere não comentar o assunto.O advogado Hédio Silva Jr., especialista em legislação de combate ao racismo no país e que atua como assistente de acusação na ação contra o professor, disse que esse é o primeiro caso explícito no Brasil envolvendo estudantes beneficiados pelo sistema de cotas.Segundo Silva Jr., as cotas tendem a tornar "explícito" o racismo porque obrigam o contato entre negros e brancos. "A cota não gera racismo, somente aflora o que tem dentro da pessoa. Enquanto o negro estiver correndo da polícia, no boteco bebendo pinga ou fazendo batuque, ele está no lugar onde as pessoas querem que ele fique", diz Lopes.Na sexta-feira, Santos negou que seja racista ou tenha contado piadas do gênero. "O que me deixa angustiado é que, nas minhas raízes, o meu avô era negro e minha avó, por parte de pai, era índia", afirmou Santos. "Eu nunca tive nada contra as cotas. Sou a favor de tudo o que diminua as diferenças sociais", disse."Brincava [na sala de aula], mas nunca mencionei nada de conteúdo racista", acrescentou. Segundo ele, uma sindicância aberta pela Uems para apurar o caso foi arquivada e julgada improcedente. De acordo com Santos, cinco alunos, sorteados para prestar depoimento na polícia, negaram que ele seja racista."Nós já esperávamos que surgissem processos na questão de racismo. A entrada de negros e índios na universidade fez com que essa coisa aflorasse", afirmou a pró-reitora de ensino da Uems, Maria José Jesus Alves Cordeiro, sobre a acusação feita pelo estudante. A pró-reitora disse que o assunto está na Justiça e, portanto, diz ela, fora da universidade.A Uems possui 7.000 estudantes em 15 unidades no Estado. Para negros, a universidade reserva 20% de suas vagas em cada vestibular. A instituição ainda guarda 10% (168 vagas) para índios. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Trio que era especializado em vender drogas para universitários é preso na fronteira
MS
Trio que era especializado em vender drogas para universitários é preso na fronteira
IMUNIZAÇÃO
Butantan entrega 1,2 milhão de doses da CoronaVac ao governo federal
Juiz nega liberdade provisória para motorista que matou adolescente atropelado
DOURADOS
Juiz nega liberdade provisória para motorista que matou adolescente atropelado
TESTAGEM EM MASSA
Impacto da vacinação na fronteira apresenta 63% de queda de casos de Covid-19 em MS
Dourados fecha semestre com saldo de quase 2,6 mil novas vagas de empregos
CAGED
Dourados fecha semestre com saldo de quase 2,6 mil novas vagas de empregos
NEGÓCIOS E CIA
Seja um empreendedor de sucesso na internet com as técnicas do MSD; Conheça aqui
DOURADOS
Prefeitura pagará R$ 1,3 milhão por leitos de UTI utilizados por pacientes com Covid
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 38 milhões amanhã
DOURADOS
'Free fire', café e coberta; jovens se viram como pode na fila do 'rolezinho da vacina'
PANDEMIA
MS se aproxima de 2,3 milhões de doses de vacina aplicadas contra o coronavírus

Mais Lidas

ACIDENTE DOMÉSTICO
Após discussão com entregador jovem acaba ferido
PEDRO JUAN
'Justiceiros' voltam a atacar na fronteira e matam adolescente
DOURADOS
Motorista que fugiu após atropelar motociclista no centro não possuía CNH
CLIMA
Dourados bate recorde de frio no ano com geada forte