Menu
Busca terça, 18 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Primeira parcela do IPVA 2011 vence no dia 31 de janeiro

24 janeiro 2011 - 11h13

Os proprietários de veículos podem pagar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) a vista, com 10% de desconto, até 31 de janeiro. Na mesma data vence a primeira parcela do imposto para os que optarem em dividir o valor a ser pago em três vezes. Em 28 de fevereiro vence a segunda e no dia 31 de março é o último prazo para pagamento da terceira parcela.

Os carnês foram entregues pelos Correios em dezembro de 2010. O contribuinte que não recebeu o boleto pode acessar a página da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) na Internet (www.sefaz.ms.gov.br) para emitir a guia de pagamento. Depois, deve verificar as informações sobre o endereço de recebimento junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS). Na página virtual o proprietário pode fazer consulta sobre débitos anteriores, saber o valor do desconto, prazo, forma e locais para pagamento. Correntistas do Banco do Brasil podem efetuar o pagamento pela Internet. O boleto também pode ser emitido na Agência Fazendária (Agenfa).

O valor do Imposto é calculado com base nos preços médios de mercado do automóvel (valor venal) multiplicado pela alíquota específica, com percentuais de 2,5% para automóvel, 2% para moto e 1,5% para caminhão. O valor de mercado é avaliado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), contratada para apurar a base de cálculo do imposto, tendo a tabela do mês de outubro de 2010 como referência.

O governo do Estado oferece benefício fiscal aos veículos zero quilômetro, com isenção do imposto no primeiro ano de uso e 50% para motos. Os automóveis com data de fabricação superior a 15 anos, veículos oficiais e de propriedade de igrejas estão isentos do pagamento do imposto. Um total de 273 mil automóveis deixarão de pagar o tributo por terem mais de 15 anos e cerca de 57 mil por serem considerados imune, que se enquadram na categoria oficiais ou de igrejas.

Em 2010 a Sefaz emitiu um total de 631 mil boletos, 56 mil a mais que no ano anterior. O valor a ser arrecadado gira em torno de R$ 200 milhões. Os recursos são divididos em partes iguais para os cofres estaduais e municípios de origem do emplacamento do veículo.

Inadimplência

A Sefaz notificou cerca de 200 mil proprietários de veículos em débito com o tributo nos últimos cinco anos. A inadimplência no pagamento do IPVA gira em torno de 5% a 8%, segundo o superintendente de Gestão da Informação André Luiz Cance. “Para quem tem dívida de 2005 pra cá já mandamos um aviso que vamos ajuizar”, alerta o superintendente. Depois de ajuizada, a dívida passa a ser cobrada na justiça.





Deixe seu Comentário

Leia Também

COTAÇÃO
Dólar fecha em queda de 0,23%, de olho no cenário externo e na CPI da Covid-19
Senador pede a inclusão de frentistas nos grupos prioritários para vacinação contra covid
CONGRESSO NACIONAL
Senador pede a inclusão de frentistas nos grupos prioritários para vacinação contra covid
TRE/MS marca data e Sidrolândia elege novo prefeito em junho
SUPLEMENTAR
TRE/MS marca data e Sidrolândia elege novo prefeito em junho
Neno Razuk solicita recursos a Agraer para compra de equipamentos para produtores
BODOQUENA
Neno Razuk solicita recursos a Agraer para compra de equipamentos para produtores
Com arma de fogo, jovem rouba bar no Jardim Santo André
DOURADOS
Com arma de fogo, jovem rouba bar no Jardim Santo André
DOURADOS
Conselho Tutelar alerta famílias sobre sinais que indicam abuso sexual
TACURU
Operação Cupim investiga crime ligado a peculato
BATAGUASSU
Polícia Civil prende jovem foragido da justiça
PESQUISA
Pesquisador do MS ajuda a contar história de soldado da II Guerra
MS
Homem suspeito de atirar em adolescente é preso

Mais Lidas

POLÍCIA
'Apaixonado', rapaz furta objetos na PED para ser preso e reencontrar marido
CLIMA
Frio mais intenso do ano é previsto para esta semana em Dourados
REGIÃO
Mulher mata o marido a facadas após discussão em MS
FEMINICÍDIO
Mulher é encontrada morta com golpe de faca no pescoço na região do João Paulo II