Menu
Busca sábado, 31 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Presidente da Funai diz que operação Sucuri é sucesso

28 novembro 2004 - 09h21

Em visita a cidade de Dourados na última sexta-feira, o presidente da FUNAI (Fundação Nacional do Índio), Mércio Pereira Gomes, falou ao Dourados News que a operação Sucuri instalada na Reserva Indígena de Dourados para conter os índices de violência que assolam as aldeias Bororó e Jaguapiru é um sucesso.

Ao ser questionado que a operação não tem alcançado seus objetivos e que o apoio das instituições de segurança pública não vem acontecendo, ele afirmou que não são estas as informações que tem chegado até ele, e que, segundo relatórios recebidos, a operação tem cumprido o seu papel e dado segurança e tranqüilidade aos 11 mil índios que moram na reserva.

Em matéria publicada no dia 16 de setembro, o Dourados News mostrava a inoperância da operação na cidade de Dourados apesar de terem efetuados algumas apreensões de bebida e uma pequena quantidade de entorpecentes.

Após um manifesto de 72 horas pedindo o fim da violência e mais segurança, realizado pela comunidade indígena de Dourados, das aldeias Jaguapiru e Bororó, foi instalado no dia 14 de julho um esquema especial com a finalidade de amenizar e garantir a segurança entre os Guarani, Caiuá e Terena.

Um grupo de operação especial foi criado por uma portaria da Fundação Nacional do Índio. Ele é composto por Israel Bernardo da Silva, Chefe do Núcleo em Dourados, Pedro Luiz da Silva, Auxiliar Administrativo da Funai em Cuiabá/MT, Gidelson de Araújo, Assistente Administrativo em Tangará da Serra/MT e por Willen Reis Martins da Silva, Auxiliar Administrativo, também de Cuiabá/MT.

Apesar da proibição de entrada de brancos no interior da reserva, e outras medidas que deveriam ser adotadas pela operação, fatos jamais registrados em Dourados aconteceram no dia 15 de julho: duas pessoas foram decapitadas no interior da reserva.

Este crime bárbaro fez com que o chefe de gabinete da Funai (Fundação Nacional do Índio) em Brasília, Roberto Lustosa, que representava o presidente do órgão Mércio Gomes, viesse a Dourados no dia 19 de julho, para lançar a Operação Sucuri, que propunha uma parceria com todos os organismos de segurança para dar um basta na violência instalada na comunidade indígena.

Com a operação Sucuri em andamento, o que deveria trazer tranqüilidade entre os índios toma outro rumo: no dia 1º de agosto atearam fogo na casa de reza na aldeia Bororó, no dia 3 do mesmo mês faz-se uma apreensão de droga dentro da reserva, no dia 26 de agosto foi registrado na polícia civil uma denúncia de estupro, no dia 7 de setembro um incêndio com suspeita de ter sido criminoso tirou a vida de uma criança, no dia 8 de setembro um jovem é esfaqueado no pescoço. Outro crime macabro, mais uma pessoa foi decapitada dentro da reserva indígena, fato registrado por toda imprensa douradense.

A segurança dentro da reserva indígena de Dourados está acontecendo ou será que está passando despercebido? Como está o trabalho do grupo de operações especial e de nossas autoridades policiais? Até onde vai a responsabilidade da Funai?

O lançamento de operações com muita pompa não resolve, talvez ações simples e objetivas venham atender às necessidades de nossos índios e do nosso povo. Até o momento nenhum dos comerciantes que vendem bebidas alcoólicas para os indígenas, que é a maior causa da violência entre os índios, foram responsabilizados ou autuados. (Eduardo Palomita).


Deixe seu Comentário

Leia Também

Prefeitura informa novo recorde de vacinação com 7,6 mil doses em 24 horas
COVID-19
Prefeitura informa novo recorde de vacinação com 7,6 mil doses em 24 horas
PANDEMIA
Covid-19: Espanha libera entrada de voos do Brasil
STF
Ministro Alexandre de Moraes mantém prisão de denunciado por golpes milionários na internet
Anvisa recebe pedido para testes de vacina desenvolvida pela UFMG
COVID-19
Anvisa recebe pedido para testes de vacina desenvolvida pela UFMG
JUSTIÇA DO TRABALHO
Carreteiro não será indenizado por dano existencial por jornada exaustiva
FALTOU CHUVA
Julho de 2021 chega ao fim entre os mais secos da história de Dourados
Museu da Língua Portuguesa é reaberto com presença de autoridades
STF
Ministro determina retomada de inquérito que apura suposta interferência de Bolsonaro na PF
ENERGIA ELÉTRICA
Bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha
PANDEMIA
Homem e mulher são mais recentes vítimas da Covid-19 em Dourados

Mais Lidas

ACIDENTE DOMÉSTICO
Após discussão com entregador jovem acaba ferido
PARAGUAI
Militares executados na fronteira eram sargentos da FTC
PONTA PORÃ
Bilhete ao lado de corpo esquartejado indica próximos "alvos" de criminosos
CLIMA
Dourados bate recorde de frio no ano com geada forte